Saúde

Grupo de apoio materno organiza “Carreata pela Amamentação” em Cuiabá

Publicados

em

Especial para o JB NEws

Por Celly Alves Silva

Objetivo é chamar a atenção para o Agosto Dourado, que este ano traz o tema “Proteger a Amamentação: uma responsabilidade de todos”.

O Grupo de Apoio Supermães, uma associação sem fins lucrativos, formada por gestantes, mães e mulheres que acreditam na importância da rede de apoio em prol da maternagem, convida toda a população cuiabana e mato-grossense a participar da “Carreata pela Amamentação”, no próximo sábado (31), a partir das 9 horas, com concentração na Praça das Bandeiras, na Avenida do CPA, e dispersão na Praça Alencastro, Centro de Cuiabá.

O objetivo do evento é chamar a atenção para o Agosto Dourado, mês de conscientização sobre o aleitamento materno, que este ano traz o tema “Proteger a Amamentação: uma responsabilidade de todos”. De acordo com a presidenta do Grupo de Apoio Supermães, a fisioterapeuta Josemara Lima, ainda existe muito preconceito e falta de informação em torno do tema amamentação e, por isso, é preciso colocar o assunto em discussão na sociedade, para que mães e filhos possam se beneficiar do aleitamento materno. “Muitas mulheres que acabaram de ter bebê, querem amamentá-lo, mas, por conta da rotina cansativa e falta de alguém para ajudar, acabam não tendo as condições básicas de se cuidarem para poder estar bem para amamentar. Em outros casos, até existem pessoas em volta ajudando as tarefas da casa e nos cuidados com a criança, mas, no aspecto emocional, acabam abalando a mãe com comentários desmotivadores. As pessoas precisam entender que para produzir leite, a mulher precisa estar bem alimentada e hidratada, descansada e com a mente tranquila, pois, tudo isso influencia na descida do leite”, afirma.

Leia Também:  Cuiabá enfrenta o Palmeiras nesta terça-feira na Arena Pantanal

Uma pesquisa nacional sobre nutrição infantil, conduzida pelo nutricionista Cristiano Boccolini, doutor em Epidemiologia em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz), mostrou que em 2013, apenas 36% dos bebês menores de seis meses recebiam aleitamento materno exclusivo no Brasil. Quanto ao aleitamento materno no primeiro ano de vida naquele ano, a taxa era de 45% das crianças nessa faia etária. Já no segundo ano de vida das crianças, os dados apontam que em 2013, estava em 31%. Esses dados devem ser lembrados no dia da carreata para reforçar que somente com o apoio da família, da sociedade e do poder público, as crianças terão condições de receber os devidos cuidados em sua primeira infância e que isso faz parte da construção de um futuro melhor para todos.

A escolha da manifestação em forma de carreata ocorreu para poder manter o distanciamento social. Além do Grupo de Apoio Supermães na organização, o evento contará com a presença de representantes de diversos órgãos e entidades, como: Do Ventre ao Coração, Associação de Doulas de Mato Grosso (Adomato), Família Canguru, IBFAN Brasil, Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, Secretaria de Estado de Saúde, Agosto Dourado Mato Grosso, Secretaria Municipal da Mulher, Câmara Municipal de Cuiabá.

Leia Também:  Prematuridade de recém-nascidos é debatida durante campanha ‘Novembro Roxo’

Para viabilizar a organização da carreata, as organizadoras fizeram uma vaquinha virtual, com o intuito de arrecadar R$ 1 mil, valor suficiente para pagar um carro de som e 30 bandeiras douradas, em alusão ao Agosto Dourado. Quem tiver interesse em contribuir, pode fazê-lo através do link: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/carreata-pela-amamentacao

 

Serviço

O quê: Carreata Pela Amamentação

Quando: 31 de julho (sábado), a partir das 9h

Onde: Saindo da Praça das Bandeiras até a Praça Alencastro

Para mais informações: (65) 9 8153-9213 (Celly) \ (65) 9985-2053 (Josemara)

 

COMENTE ABAIXO:

Saúde

Mais um casal de brasileiros são diagnosticados com a variante Ômicron

Publicados

em

Por

JB NEWS

Por Alisson Gonçalves

Foto: Exame

Mais um casal de brasileiros foram diagnosticados com a variante Ômicron do coronavírus , informou  a prefeitura de São Paulo  (SP), nesta quarta-feira, 01.12, o fato só foi divulgado hoje quinta-feira 02.12. As informações são de que os mesmos já haviam tomado as doses única da vacina da Janssen, quando ainda estavam na África do Sul, país onde residem.

O casal chegou ao Brasil a passeio em 23 de novembro. Dois dias depois, quando retornariam para a Cidade do Cabo, testaram positivo para covid-19.

A nova variante ,apresenta sintomas como cansaço, dores musculares, coceira na garganta, febre baixa e em poucos casos
tosse seca.

Os sintomas da Ômicron são mais parecidos com a variante Beta.

Até agora, os pacientes infectados pela Ômicron apresentaram apenas sintomas leves. No entanto, a nova variante preocupa a OMS e os países por causa das 50 mutações que a nova cepa apresenta, sendo 32 apenas na proteína S, principal alvo das vacinas desenvolvidas até o momento.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Virgínia Mendes defende que todos abracem as causas sociais
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA