Economia

Publicados

em

Novo salário mínimo entra em vigor HOJE; Confira valor.

 

Iasmin Franco

Valor não tem ganho real, apenas aumento pela inflação. Porém, reajuste ainda pode mudar, porque valor é determinado por decreto presidencial.

A proposta de orçamento do aumento do salário mínimo dos atuais R$ 998 para R$ 1.031 em 2020 foi aprovada pelo Congresso no último dia 17. O novo valor abrange correção pela inflação, com base na previsão do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) para este ano, sem ganho real em relação ao salário mínimo deste ano (R$ 998). Isso significa que o novo valor apenas mantém o mesmo nível de antes, em vista do alto do custo de vida.

Contudo, de todo modo, a quantia ainda pode ser alterada. Isso porque o reajuste do salário mínimo é determinado por decreto presidencial, e este costuma ser assinado apenas nos últimos dias do ano. Além disso, o valor pode ser influenciado conforme a previsão da inflação quando o decreto for assinado.

Leia Também:  Concerto traz clássicos pop dos anos 70 e 80

Foi o que aconteceu no ano passado. Apesar do Congresso ter aprovado a previsão de R$ 1.006 para o mínimo em 2019, o presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que estipulou o valor em R$ 998 no dia 1º de janeiro.

Previsão já foi diminuída duas vezes

O novo valor já passou por dois reajustes esse ano. Em abril, o governo enviou ao Congresso o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias com a previsão do piso nacional de R$ 1.040. Ainda que os parlamentares tenham aprovado o texto com esse valor em outubro, o governo já havia enviado o Projeto de Lei Orçamentária Anual ao Congresso prevendo um mínimo menor, de R$ 1.039.

Porém, em novembro, foi feito uma nova revisão que diminuiu em R$ 8, ficando para R$ 1.031.

Cálculos da equipe econômica, para 2020, indicam que a cada R$ 1 a mais no salário mínimo eleva as despesas da União em cerca de R$ 320 milhões.

Ainda sobre essa questão, o governo informa que a redução na projeção de inflação tem “impacto no valor do salário mínimo e consequentemente em benefícios sociais”. Isso ocorre devido ao fato de que benefícios levam em conta o valor do mínimo, como é o caso do reajuste das aposentadorias.

Leia Também:  Nova lei cria Fórum Mato-grossense de Desenvolvimento Regional

 

 

 

COMENTE ABAIXO:

Economia

Governador assegura fornecimento de gás natural a MT em reunião com ministro de Hidrocarburos e presidente da YPFB

Publicados

em

Por

Durante a reunião, nesta sexta-feira (15.10), Mauro Mendes também tratou da ampliação no fornecimento de gás para o Estado

Noelisa Andreola | Secom-MT

Governador Mauro Mendes em reunião com ministro de Hidrocarburos e presidente da YPFB – Foto por: Assessoria

O governador Mauro Mendes esteve na Bolívia, nesta sexta-feira (15.10), em reunião com o ministro de Hidrocarburos, Luis Alberto Sánchez Fernández, e o presidente da estatal Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB), Oscar Barriga Arteaga, para assegurar que o gás natural continue a ser fornecido para Mato Grosso.

De acordo com o chefe do Executivo Estadual, apesar da queda no fornecimento do produto, devido ao desmoronamento de um dos poços bolivianos que atingiu não só Mato Grosso, mas também a Argentina e a Petrobrás, não há interrupção no fornecimento de gás no Estado.

“Conseguimos garantir que não haja interrupção no fornecimento, graças aos importantes investimentos que estamos fazendo para desenvolver a cadeia do gás, tanto veicular, como a construção da rede de distribuição para as indústrias, que vai ser alocada lá no Distrito Industrial”, esclareceu.

Leia Também:  Governador assegura fornecimento de gás natural a MT em reunião com ministro de Hidrocarburos e presidente da YPFB

Mauro Mendes pontuou ainda que o Estado tem uma posição estratégica no mercado nacional de gás e grande potencial de desenvolvimento também para o mercado de ureia.

“Conversamos de forma bastante positiva e esperamos até a próxima semana uma resposta firme para uma possível ampliação no fornecimento de gás, em 2022, para Mato Grosso. Mais uma vez nós acreditamos que vamos fortalecer e consolidar essa matriz energética no nosso Estado”, destacou o governador.

Estiveram presentes na reunião o presidente da Companhia Mato-Grossense de Gás (MT Gás), Rafael Reis, e o suplente de senador Fábio Garcia.

Contrato firme

Em junho deste ano, o governo assinou contrato firme para fornecimento de gás natural da Bolívia com vigência de cinco anos, a partir de janeiro de 2022.

O contrato permite que Mato Grosso receba até 3,5 milhões de m³ de gás natural ao mês durante o ano de 2022, podendo chegar até 6,5 milhões de m³ até 2027.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA