Abastecimento

MT tem 22 cidades entre as 50 que mais produzem; Governo cria programa para verticalizar agricultura

Publicados

em

Sorriso, com R$ 3,9 bilhões, lidera a lista nacional, seguido por Sapezal, com R$ 3,3 bilhões. Mato Grosso têm ainda seis entre os 10 municípios com maior valor do país

Jairo Sant’Ana

Com informações Secom – MT

Enceramento da colheita de soja e abertura do plantio de milho em Sorriso – Foto por: Christiano Antonucci/Secom/MT

Mato Grosso conta com 22 municípios entre os 50 com maior valor da produção agrícola do país, de acordo com a Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, o resultado da pesquisa confirma a vocação de Mato Grosso como locomotiva do agronegócio nacional, que é fruto da determinação do produtor mato-grossense.

O secretário destacou que, para acompanhar esse crescimento, o Governo do Estado criou também um grande programa de incentivos, voltado para a verticalização da produção mato-grossense.

“Somos o maior produtor de milho do país e esta produção vem sendo industrializada no Estado, sendo transformada em etanol e em DDG para nutrição animal. Em síntese, este trabalho conjunto – Governo do Estado e iniciativa privada – no mesmo viés de desenvolvimento é o que tem propiciado que Mato Grosso cresça cada vez mais e se torne um exemplo para o país e para o mundo”, afirmou.

Os maiores

Sorriso, distante 400 km de Cuiabá no sentido Norte, maior produtor nacional de milho e soja, lidera o ranking nacional com R$ 3,9 bilhões – de um total R$ 361 bilhões em 2019, segundo a Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulga nesta semana pelo IBGE.

Leia Também:  Especialistas falam sobre câncer de mama em live nesta segunda-feira

O segundo do ranking nacional, com R$ 3,3 bilhões, também é mato-grossense. Sapezal, 500 km no sentido Sudoeste de Cuiabá, responsável pela maior safra de algodão herbáceo do país no período levantado. Campo Novo do Parecis, também no Sudoeste, ficou em quarto lugar, com R$ 3 bilhões.

Diamantino (R$ 2,35 bilhões), Nova Ubiratã (R$ 2,33 bilhões) e Nova Mutum (R$ 2,2 bilhões) ficaram, respectivamente, em oitavo, nono e décimo do ranking. Portanto, Mato Grosso têm seis entre os 10 municípios com maior valor de produção do país, cuja soma, R$ 17,08 bilhões, equivale a quase 30% do mato-grossense, mais de 15% do regional (Centro-Oeste) e 4,73% do nacional.

Mato Grosso, com R$ 58,4 bilhões, respondeu por mais da metade do valor da produção agrícola em 2019 do Centro-Oeste, de R$ 107,9 bilhões, o maior do país por região.

Liderança inconteste

Sorriso liderou a produção nacional de soja, 2,1 milhões de toneladas, e de milho, com 3,1 milhões de toneladas, enquanto Sapezal foi o primeiro do país na produção de algodão herbáceo, com 894,8 mil toneladas, quase um terço da produção mato-grossense, de 2,9 milhões de toneladas.

Leia Também:  Mais de 1.8 mil vagas de emprego estão disponíveis no Sine MT

A maior produção estadual de milho é na safrinha. Foto Secom-MT  

Outros municípios mato-grossenses em destaque são Nova Mutum, segundo no ranking nacional dos produtores de soja; e Nova Ubiratã, terceiro na produção de milho.

O Estado segue líder tanto na produção de soja (32,24 milhões de toneladas), milho, com 99,1% da produção colhidos na segunda safra (31,5 milhões) e algodão. Mato Grosso e Bahia, juntos, colheram quase a metade do algodão plantado no país.

Municípios mato-grossenses com maior valor de produção agrícola do país

Ranking Municípip Valor (R$)
1 Sorriso 3,9 bilhões
2 Sapezal 3,3 bilhões
4 Campo Novo do Parecis 3 bilhões
8 Diamantino 2,35 bilhões
9 Nova Ubiratã 2,33 bilhões
10 Nova Mutum 2,2 bilhões
12 Campo Verde 1,9 bilhão
13 Primavera do Leste 1,7 bilhão
16 Lucas do Rio Verde 1,6 bilhão
17 Campos de Júlio 1,5 bilhão
22 Itiquira 1,3 bilhão
23 Paranatinga 1,26 bilhão
24 Querência 1,24 bilhão
27 Canarana 1,18 bilhão
29 Brasnorte 1,16 bilhão
32 Ipiranga do Norte 1,12 bilhão
36 Tapurah 1,06 bilhão
37 São Félix do Araguaia 1,03 bilhão
42 Porto dos Gaúchos 926 milhões
47 Sinop 867 milhões
48 Gaúcha do Norte 866 milhões
50 Santa Rita do Trivelato 857 milhões

 

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abastecimento

Ministro Onyx Lorenzoni destaca que produção de alimentos em MT é a mais ecológica do mundo

Publicados

em

Onyx Lorenzoni afirmou que Mato Grosso tem dado exemplo em produção sustentável

Lucas Rodrigues

Com informações Secom-MT

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni – Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que a produção de alimentos de Mato Grosso é muito mais ecológica e sustentável se comparada com a produção desenvolvida em outros países.

A afirmação foi dada na manhã desta segunda-feira (28.09), durante o evento que oficializou a adesão de Mato Grosso ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Governo Federal.

“Nosso país tem a maior cobertura vegetal do mundo. Nosso país tem a maior cobertura florestal do mundo. A produção de Mato Grosso é a produção que, comparada com os nossos competidores internacionais, usa o menor volume de substâncias químicas”, destacou Lorenzoni.

Mato Grosso é um dos principais produtores de alimentos do mundo e, apesar disso, mantém pelo menos 62% de seu território totalmente preservado. No Brasil, é o Estado com a maior produção de soja, milho, algodão e também de carne bovina, contando com o maior rebanho bovino do país.

Leia Também:  Primeira-dama Virginia Mendes recebe Medalha Guardiões do Paiaguás

O estado também despontou no ranking dos principais exportadores do país. Subiu da 6ª posição em 2019 para a 4ª em 2020 (janeiro a maio), com U$$ 7,7 bilhões exportados, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A exportação mato-grossense representa no momento 9,1% das exportações totais do Brasil.

“Nós temos o boi mais ‘verde’ do mundo. O boi criado em outras áreas do mundo compete com a alimentação humana. Aqui o boi se alimenta de pasto, ele é completamente ecológico”, ressaltou o ministro.

Lorenzoni ainda destacou que o Governo Federal tem auxiliado o Governo de Mato Grosso a combater os incêndios florestais no Pantanal. O fato foi reforçado pelo governador Mauro Mendes.

“Começamos as operações no Pantanal em julho. Desde o primeiro momento que entramos, a Marinha e o Exército sempre estiveram presentes ao nosso lado. Em março, quando lançamos o Plano de Ação Contra o Desmatamento Ilegal e Incêndios Florestais, as forças armadas estiveram juntas na Operação Verde Brasil 2”, disse o governador, pontuando que a união de esforços ajudou o Governo do Estado a manter 80% do pantanal preservado.

Leia Também:  Paciente denuncia ser vítima de estupro em UTI do HMC
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA