DISPLASIA

Vereador Dr. Luiz Fernando propõe PL para tornar obrigatório o exame do quadril para recém-nascido

Publicados

em

JB News

O vereador Dr. Luiz Fernando (Republicanos), propôs um projeto de lei para detectar a displasia do desenvolvimento dos quadris em todos os recém-nascidos nos berçários das maternidades públicas e privadas na Capital.

Popularmente, o exame é conhecido como ‘teste do quadril’, que precisa ser realizado após as primeiras 24h de vida, antes da alta hospitalar.

A displasia do desenvolvimento do quadril conhecida por luxação congênita do quadril, consiste num espectro de anormalidades que afeta o quadril infantil, incluindo uma forma acetabular anormal (displasia), associada ou não a um deslocamento parcial (subluxação) ou completo (luxação) da cabeça femoral.

A displasia é multifatorial. Fragilidade anormal dos ligamentos e da cápsula articular está presente em pacientes e famílias com displasia de quadril. Efeitos hormonais maternos podem também ser um fator, além de fatores mecânicos.

Aproximadamente um em cada 1.000 recém-nascidos poderá nascer com o quadril luxado e cerca de 10 em 1.000 com quadril subluxado (instável).

Em nosso meio, podemos esperar a incidência de cinco por 1.000 quanto à positividade do sinal de ortolani, que é o sinal clínico precoce de detecção da afecção.

Leia Também:  Governador assina contratos de concessão e parceria social de 931 km de rodovias em MT

Com a nova normativa, o exame de quadril do recém-nascido deverá ser rotineiro e enfatizado nos berçários. Nos recém-nascidos e nos bebês o diagnóstico da DDQ é eminentemente clínico e realizado com as manobras de Ortalini (detecta o deslizamento posterior do quadril para dentro do acetábulo) e de Barlow (detecta deslizamento do quadril para fora do acetábulo. Cada coxa é examinada em separado).

COMENTE ABAIXO:

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA