Pandemia

Várzea Grande cria disque-vacina contra Covid e já atende idosos de 60 anos acima

Publicados

em

Meta definida pelo prefeito Kalil Baracat e parceiros busca imunizar toda população local utilizando de instrumentos de informação para se combater a pandemia da Covid-19

JB NEWS

Novas medidas adotadas pela Prefeitura de Várzea Grande e parceiros como a Assembleia Legislativa de Mato Grosso e a Clínica Médica da Universidade de Várzea Grande (UNIVAG) estão melhorando a oferta de serviços como vacinação, atendimento e informações no combate a pandemia da COVID-19.

Além de dois novos pontos de vacinação, um no Parque Berneck que começa a funcionar amanhã, 17 de abril de 2021 em drive thru e no Jardim dos Estados que funciona semana que vem em ponto fixo, um novo serviço está sendo colocando a disposição, o Disque-Vacina que receberá ligação gratuitas através do 0800 647 4121 e funcionará durante o horário de expediente do Poder Público Municipal tanto para confirmações de vacinação como para esclarecimentos e principalmente para alertar as pessoas das medidas necessárias para conter o avanço da doença e para ajudar o Poder Público a diminuir os casos de internação e óbitos.

“Atendendo orientação do prefeito Kalil Baracat de fazer da informação um dos nossos principais aliados com objetivo de orientar a população, de um modo geral, sobre a campanha de imunização estamos abrindo novos serviços que precisam emprestar resultados para que a população se sinta segura e certa de que será atendida, terá medicamentos e vacina dentro do possível”, disse o secretário de Saúde de Várzea Grande, Gonçalo Barros.

As ligações são gratuitas e poderão ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, incluindo o horário de almoço. O Disque-Vacina segue o funcionamento do horário normal de expediente da Saúde municipal.

A superintendente de Vigilância em Saúde, Relva Cristina, cita algumas dúvidas mais frequentes.  “Os moradores que estão na faixa etária para se vacinar, por exemplo, e que perderam o dia do chamamento, aqueles que estão na dúvida sobre o cadastro, que estão aguardando serem chamados, dúvidas referentes ao cartão SUS, se está ativado e se realmente é registrado no município. Estas dúvidas serão esclarecidas pelo serviço 0800”, disse a superintendente.

Leia Também:  MPF e PF fazem operação contra tráfico internacional de drogas em MT e em outros estados

Segundo o secretário da pasta, Gonçalo de Barros, a saúde pública trabalha conforme a necessidade do cidadão. Ele explica que a partir do congestionamento dos telefones da secretaria e diante das dúvidas da população, verificou-se que em sua maioria, a demanda referia-se sobre a vacina contra a Covid-19. Desta forma, foi criada mais uma ferramenta de gestão no auxílio à população, o Disque-Vacina Dúvidas que vai funcionar no horário de almoço.

Os atendentes terão acesso ao sistema de agendamento para esclarecer a situação dos munícipes, como o porquê ainda não foram chamados para a vacinação. Além disso, a equipe estará integrada com o setor de agendamento para solucionar o caso individual de cada pessoa imediatamente ou, quando não for possível, o mais breve, retornando à ligação. “O que queremos é agilidade e bom atendimento, dentro da nossa política de humanização. Se existem dúvidas, vamos saná-las. O que não pode é deixar o cidadão, que tem direito a vacina, ficar sem ela e sem respostas. Por exemplo, se um cidadão de 70 anos, que tem direito de vacinar, ainda não vacinou e está na dúvida de como fazer, é só ligar para o 0800 647 4121 que as atendentes vão auxiliá-lo. Mesmo que a campanha hoje esteja na etapa dos idosos acima de 60 anos, todos os cidadãos acima desta faixa etária, que não se vacinaram, precisam fazer o cadastro. Se for idoso acamado é só ligar, se houver dúvida sobre o agendamento. Temos que atingir a meta de vacinar todos para promover o bloqueio epidemiológico da transmissão da doença”, explicou o secretário.

Leia Também:  Mato Grosso já passa de 10 mil mortes por Covid-19

Outro objetivo muito importante em criar o 0800, acrescenta Gonçalo de Barros, é monitorar os moradores já vacinados na primeira dose contra a Covid-19 e tirar dúvidas quanto a data da segunda dose, lembrando que na carteira de vacinação, que cada um recebe após a imunização, consta qual tipo de vacina aplicada.

“O intervalo da primeira dose para a segunda dose depende do tipo da vacina aplicada. Se tomou a CoronaVac, a segunda dose será aplicada cerca de 14 a 28 dias. Já AstraZeneca – Oxford – o intervalo da primeira dose para a segunda dose é de 90 dias. Pelo 0800, não será possível agendar a vacinação e nenhum outro serviço oferecido pelo município da Rede SUS. O canal de atendimento foi instituído para oferecer informação sobre vacinação e, sobretudo, para conhecer o pós-vacina das pessoas que já foram vacinadas. Por exemplo, se alguém, após vacinado, apresentar qualquer efeito adverso, pode ligar também para o número, que as atendentes vão buscar orientação dos profissionais da Vigilância em Saúde que vão esclarecer dúvidas e encaminharão a notificação para o Estado”, pontuou o secretário.

A Campanha de Vacinação contra a COVID-19 continua no município de Várzea Grande e está na fase de vacinar idosos de 60 anos acima. No sábado (17), a expectativa é vacinar 5 mil idosos desta faixa etária em dois pontos da cidade em sistema drive thru, no Centro Universitário UNIVAG – Clínicas Médicas e no Parque Berneck, das 8h às 16h. Só serão vacinados aqueles que fizeram o cadastro e tiveram a confirmação por telefone, SMS ou e-mail pelas equipes da Vigilância em Saúde. É necessário levar os seguintes documentos: Cartão SUS atualizado, comprovante de residência e documento com foto.

COMENTE ABAIXO:

Pandemia

Chineses estudam transferir tecnologia para produzir vacinas em laboratórios do agro

Publicados

em

Por

Plantas industriais reúnem capacidade e tecnologia para produzirem até 400 milhões de doses de vacina

 

Dois grandes laboratórios chineses iniciaram tratativas para transferir tecnologia que permita a produção de vacinas contra a COVID-19 no Brasil. A produção está sendo negociada com os laboratórios de saúde animal, articulados pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), relator da Comissão Temporária do Senado.

 

Documento do Sindicato Nacional das Indústrias de Saúde Animal (Sindan) indicam que os laboratórios brasileiros reúnem capacidade e tecnologia para produzir até 400 milhões de doses de vacina. O ciclo estimado de produção seria de 90 dias a partir da transferência de tecnologia.

 

O anúncio das tratativas com os chineses foi feito pelo senador do PL de Mato Grosso durante reunião da CT COVID-19. Os senadores reuniram governadores e prefeitos para tratar  sobre as maiores dificuldades ainda persistentes nos Estados e municípios no enfrentamento à pandemia.

 

A transferência de tecnologia tem se constituído como maior empecilho para o Brasil avançar na produção de vacinas em quantidade suficiente para atender rapidamente a demanda nacional. Atualmente, a vacina que chega ao brasileiro está restrita ao Instituto Butantan e Fundação Oswaldo Cruz, que fazem envase, respectivamente, das vacinas Coronavac e Astrazeneca.

Leia Também:  Judiciário de Mato Grosso prorrogou o fechamento da instituição por mais 10 dias

 

“A pedido dos interessados ainda não é possível revelar detalhes dessas negociações, mas temos grande expectativa que dê certo,  pois precisamos produzir a vacina rapidamente e evitar que as mortes continuem se alastrando em nosso país” – disse Fagundes, que enalteceu a ação dos governadores em busca de imunizante em todo o mundo.

 

Esta semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve dar prosseguimento à inspeção aos laboratórios do agro. Até agora, a agência esteve em duas unidades, da Ceva Brasil, em Juaruba (MG) e Ouro Fino, em Ribeirão Preto (SP). Os técnicos deverão conhecer as instalações da Merck Sharp & Dome, em Valinhos, e da Boeringher, em Paulínia, ambas em São Paulo.

 

Na reunião da CT, os gestores estaduais  solicitaram ao Senado apoio diplomático para liberação do IFA (ingrediente farmacêutico ativo) por países que detêm esse insumo. Eles também pediram atenção na manutenção dos financiamentos e planejamento logístico para assegurar a estrutura da rede de saúde, a fim de evitar novos colapsos no atendimento.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA