MEIO AMBIENTE

Senado recebe Salles em busca de solução contra os incêndios e destruição no Pantanal

Publicados

em

Focos de fogo castigam duramente o santuário ecológico desde meados do ano, com recorde no número de queimadas

 

A Comissão Temporária Externa do Pantanal receberá, nesta quarta-feira, 30, o ministro Ricardo Salles, de Meio Ambiente, abrindo as discussões que possam resultar em solução contra os incêndios florestais na região. Focos de fogo castigam duramente o santuário ecológico desde meados do ano, causando destruição de plantas e animais e comprometendo seriamente a vida no bioma.

 

De acordo com plano de trabalho aprovado, além do ministro do Meio Ambiente, participarão da audiência pública remota representantes do Ibama/Prevfogo; da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

 

O presidente da Comissão do Pantanal, Wellington Fagundes (PL-MT), informou que também foram convidadas entidades representantes da sociedade civil. São elas: Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP); Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato); e, Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul – Famasul.

Leia Também:  “Estudo da UFMG mostra que todos os casos de desmatamento ilegal em MT foram autuados”, afirma governador

 

“Temos hoje uma situação de emergência no Pantanal. Muito triste, dolorosa para todos nós, que aprendemos a admirar as belezas desse patrimônio natural da humanidade. E o que queremos é preservá-lo, dentro de suas características. Para isso, precisamos avançar, especialmente no tocante a uma legislação que possa contemplar todos os seus personagens. Daí a importância dessas audiências públicas” – frisou Fagundes.

 

Segundo o plano de trabalho aprovado, serão feitas pesquisas, análises de dados e avaliações por entidades públicas e privadas; a identificação de atores sociais e agentes econômicos que atuam ou sofreram danos com os incêndios; audiências públicas com especialistas e agentes envolvidos ou afetados pelos incêndios e mais visitas às regiões atingidas pelas queimadas.

 

Além do senador Wellington Fagundes, presidente, a Comissão Temporaria Externa do Pantanal é formada pelos senadores Nelsinho Trad (PSD-MS), Simone Tebet (MDB-MS) e Soraya Tronicke (PSL-MS), Jayme Campos (DEM-MT), Carlos Favaro (PSD-MT), Espiridião Amim (PP-SC) e Fabiano Contarato (Rede-ES).

 

Além da audiência pública desta quarta-feira, a Comissão Temporária Externa do Pantanal deverá realizar ainda uma diligência ao Pantanal de Mato Grosso do Sul no próximo dia 3. Os senadores deverão visitar a região de Corumbá, município que detém o recorde de focos de incêndios florestais.

Leia Também:  Programa Rios + Limpos visita nascentes do Água para o Futuro neste sábado

 

Pouco alívio

 

Wellington Fagundes ressaltou que a chuva do último fim de semana aliviou um pouco o calor e o tempo seco do Pantanal, mas não o suficiente para frear o avanço do fogo. Setembro bateu a marca de mês com maior número de focos de incêndio do bioma, atingindo 6.048 uma semana antes de adentrar outubro. Anteriormente o mês com mais incêndios era agosto de 2005, com 5.993, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que iniciou o monitoramento da região em 1998.

COMENTE ABAIXO:

MEIO AMBIENTE

Equipes participam de movimento em prol do Rio Cuiabá

Publicados

em

Por

A ação faz parte do Programa Nacional Rios+Limpos, lançada oficialmente no Estado, em evento realizado no Distrito de Passagem da Conceição

Por: Kátia Passos

Equipes das Secretarias de Meio Ambiente – do Governo do Estado e Prefeitura de Várzea Grande – se uniram neste sábado (18), data em que se comemora o Dia Mundial da Limpeza, para fazerem a coleta de resíduos sólidos nas margens do Rio Cuiabá. A ação faz parte do Programa Nacional Rios+Limpos, lançado oficialmente no Estado, em evento realizado no Distrito de Passagem da Conceição, com a presença do Secretário Nacional do Ministério do Meio Ambiente, André França.

“Estamos neste sábado dando sequência a limpeza das margens do rio, que teve início na quinta-feira passada, com o lançamento do programa Rios+Limpos, onde durante a ação foram coletadas cerca de 2,3 toneladas de lixos, em um trabalho que envolveu equipes de educação ambiental das cidades de Cuiabá e Várzea Grande, além de moradores da localidade do distrito, pescadores e voluntários”, destacou o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural e Sustentável, Célio dos Santos.

De acordo com o gestor, equipes de diversas pastas que integram a Secretaria de Meio Ambiente, desenvolvem esse trabalho de forma contínua, uma vez que a atividade faz parte do núcleo de trabalho da nossa pasta, porém nestas datas comemorativas, as ações se tornam mais intensas e envolvem um número maior de pessoas, preocupadas com a preservação ambiental. “Hoje, em todo o mundo está acontecendo uma mobilização em favor ao meio ambiente, envolvendo mais de 180 países e mais de 50 milhões de pessoas estarão realizando a limpeza dos rios de áreas urbanas, córregos e nascentes. Várzea Grande também está envolvida neste movimento em prol da preservação do meio ambiente”.

Leia Também:  Governo de MT, Judiciário e MP avançam em solução conjunta para Baía de Chacororé

A presidente da Associação de Catadores de Material Reciclável e Reutilizável (Asmats), Maria Aparecida do Nascimento, destacou a importância da preservação dos rios e do meio ambiente, e da cultura da coleta seletiva do lixo, ações que devem ser praticadas por toda a população. “Nós da associação temos essa preocupação e colocamos em prática essa ação todos os dias, uma vez que o nosso trabalho é justamente o de tirar da rua tudo aquilo que pode ser reciclado, dando uma destinação para cada produto, que para muitos são considerados lixo”, destacou. Ela disse ainda que a associação tem participado de todos os movimentos em prol do meio ambiente.

O vereador Joaquim Antunes, morador da região da Alameda Júlio Muller, também participou da mobilização nas margens do Rio Cuiabá. “É importante participar de uma ação que promove a cultura de uma educação ambiental, e a melhoria na qualidade de vida da população. O Rio Cuiabá é importante para a nossa sobrevivência por isso é imprescindível que ações como essa sejam realizadas de forma constante e consciente.  Todos nós temos que fazer a nossa parte, só assim vamos preservar esse bem natural que é de todos e faz parte da história de nossa cidade”.

Leia Também:  Sem doses de reforço, Cuiabá aguarda Ministério da Saúde para poder iniciar terceira fase de vacinação a idosos e imunossuprimidos

Um grupo de caiaqueiros desceu o Rio Cuiabá para fazer a coleta de lixos nos trechos mais complicados, além disso, barcos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, também percorreram uma extensão do rio para a identificação de descarte de esgoto nas margens do Rio.

Já artistas que trabalham na arte de pintura estarão realizando em vários córregos e bueiros da cidade artes com imagens que representam a natureza e o meio ambiente.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA