Saúde

SAÚDE MENTAL: Cuiabá terá segunda edição do Talk Show “Tenho Depressão. E agora?”

Publicados

em

Programação está focada nas novas tecnologias, tratamentos e formas de abordagem e acolhimento
A segunda edição do Talk Show “Tenho Depressão. E agora?” será realizada na terça-feira (23) no Cine Teatro Cuiabá. O evento discutirá saúde mental a partir de três dimensões- corpo, mente e espírito – e terá contribuição de profissionais multidisciplinares para cumprir esta tarefa.

O encontro começa às 19h, acaba às 22h e foi estabelecido o ingresso social para todas pessoas que não têm condições de pagar ou que, neste momento, não podem investir esse valor, mas que gostariam de estar presentes.

Tem ainda a opção de ingresso pago, no valor de R$ 49,90, que será 100% revertido para Organização Não-governamental Lírios, que atua no auxílio a mulheres vítimas de violência.

Cada participante, independentemente do tipo de ingresso, terá direito a um exemplar do livro “Tenho Depressão. E agora?”, de Alan Barros.

O organizador do evento e palestrante, Alan Barros, explica que o objetivo principal do encontro é criar um ambiente de partilha, onde todos possam trocar experiências, conhecimento e informações.

Este é o segundo evento deste modelo organizado por Barros. O primeiro foi em junho de 2017, meses antes dele lançar o livro. Naquela ocasião, foram trabalhados os temas depressão, ansiedade, suicídio, superação, autoamor e autoconhecimentos em uma esfera conceitual. A programação estava focada em levar a compreensão do que é saúde mental e seus termos.

Agora, neste evento, o objetivo é galgar mais um degrau dentro da discussão. Trabalhar com as novas pesquisas publicadas sobre o tema e suicidologia, dificuldades trazidas pela pandemia do covid-19, os tratamentos e as melhores maneiras de se fazer o acolhimento de forma segura.

A programação

A abertura do evento será com uma palestra de Alan Barros. Ele sentiu na pele os danos que uma saúde mental frágil pode causar e chegou à beira de uma atitude extrema, que serviu de ignição para uma trajetória de estudos, tratamentos e autoconhecimento.

No decorrer de 20 anos, ele estruturou um grande arcabouço de informações, histórias e experiências que o levaram a superação daquele momento e a necessidade de compartilhar todo aprendizado desse percurso de forma acessível.

Parte da experiência está descrita no livro, que as pessoas irão receber ao pagar o ingresso. Vale lembrar que desde o lançamento da publicação, em 2017, novos estudos, novas reflexões e tecnologias fizeram com que alguns sentidos fossem ressignificados. E, essas atualizações estão na programação.

Logo em seguida, será a vez dos convidados. Barros explica que a mente do ser humano é algo vasto e que para chegarmos perto do entendimento precisamos de diferentes lentes, que juntas constroem um entendimento multidimensional. Respeitando essa complexidade, ele convidou um time de especialistas de diversas áreas. Pessoas de renome no mercado e que poderão auxiliar os participantes no processo de conhecimento e autoconhecimento.

No palco estarão a psicóloga Flávia Haddad, o médico psiquiatra Manoel Vicente, a terapeuta integrativa Emanuelle Cálgaro e a especialista em comportamento digital Maria Augusta Ribeiro.

Após as falas, o espaço será aberto para perguntas e respostas e o objetivo é fazer com que as pessoas se sintam à vontade para apresentar as dúvidas sem ressalvar, censuras ou julgamentos.

Serviço:

  • O que: 2º Talk Show “Tenho Depressão. E agora?”
  • Quando: terça-feira (23)
  • Onde: Cine Teatro Cuiabá
  • Valor do ingresso: gratuito (com direito ao livro “Tenho Depressão. E agora?”)
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Várzea Grande completa 15 dias sem óbitos por Covid-19

Saúde

Hospital é Pronto Soccoro de Várzea Grande é credenciado para fazer Residência Médica

Publicados

em

Por

JB News

Por Alisson Gonçalves

Mesmo em um ano de adversidades para a Saúde Pública e porque não dizer também para a Saúde Privada, Várzea Grande, avançou no setor e se consolida diante do eficiente planejamento colocado em prática, seja na vacinação contra a COVID 19, seja da implantação da Maternidade Pública da Rede Cegonha Dr. Francisco Lustosa de Figueiredo e agora com a confirmação do Ministério da Educação de que o Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande (HPSMVG) entra para o rol de instituições que
realizarão Residência Médica.
“Essa é uma grande notícia e demonstra que estamos no caminho certo, que continuamos um trabalho realizado desde 2015 e continuado por nós e que vem representando melhorias em uma das áreas mais essenciais de todas, a saúde pública, da qual milhões de pessoas no Brasil dependem”, disse o prefeito Kalil Baracat para quem a Saúde em Várzea Grande caminha a passos largos e vai continuar sendo prioridade.
A Residência Médica (RM) é uma das fases mais importantes para o profissional da saúde; durante esta etapa acontecem as principais vivências na área em que o médico irá se especializar. Essa modalidade de ensino de pós-graduação, que confere o título de especialista, completou 77 anos em 2021 – uma conquista para a medicina como um todo.
A Residência é um período de grande dedicação ao desenvolvimento de competências profissionais no qual o médico destina 60 horas semanais à aprendizagem em serviço, totalizando, ao final de cada ano, 2.880 horas de formação. Essa carga horária prioriza eminentemente a prática profissional: 288 a 576 horas dedicadas às atividades teóricas, e a carga horária restante é destinada às atividades práticas.
De acordo com os dados divulgados na Demografia Médica no Brasil, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), no País, cerca de 40% das vagas de residência médica não são ocupadas.
“Atualmente no Brasil são apenas 809 instituições credenciadas pelo Ministério da Educação para ofertar vagas de Residência Médica em apenas 5% 253 cidades ofertam vagas e Várzea Grande passou a fazer parte deste seleto grupo que acompanha 53.776 médicos residentes, sendo anualmente 7 mil vagas são disponibilizadas entre novas e de profissionais médicos que completaram sua carga horária”, disse o prefeito Kalil Baracat.
“É simplesmente uma decisão fantástica”, comemorou o Dr. Glen Arruda, coordenador da Comissão de Residência Médica (Coreme) do Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande que desde 2018 realiza um trabalho para chegar até este momento e que necessita avançar ainda mais para se tornar um Hospital Escola que transformará médicos em especialistas “e com certeza em brilhantes profissionais”, disse Glen Arruda que nos últimos três anos esteve mensalmente se especializando fora de Mato Grosso para permitir que Várzea Grande desse um grande passo em prol do SUS – Sistema Único de Saúde e da saúde que atende a milhares de pessoas da cidade, de outros municípios, Estados e até mesmo países vizinhos do
Brasil.
“O Hospital e Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande foi credenciado pela Comissão Nacional de Residência Médica do Ministério da Educação para dois programas de residência médica: clínica médica e cirurgia geral. A visita técnica contou com a participação das Doutoras Magali Sanches e Heloise Siqueira, que visitaram in loco o HPSMVG em outubro passado e é com muita satisfação que recebemos essa notícia, pois esse projeto trará muitas melhorias para o SUS Várzea Grande”, disse Glen Arruda.
O projeto iniciado em 2018, tem como eixo o ensino/serviço para melhorar a qualidade no atendimento e a eficiência nos resultados, pois foram três anos de muito esforço e dedicação para que o Hospital Pronto Socorro de Várzea Grande fosse autorizado pelo Ministério da Educação.
“Tivemos o empenho de dois gestores, a então prefeita Lucimar Sacre de Campos que iniciou essa caminhada e agora o prefeito Kalil Baracat que está concluindo este importante avanço para a Saúde Pública de Várzea Grande, de Mato Grosso e do Brasil, pois em nossa cidade tem curso de medicina, na capital do Estado também e a especialização é fundamental”, disse Glen Arruda lembrando ainda do ex-secretário Diógenes Marcondes, do atual titular da pasta, Gonçalo Barros que se juntaram ao Diretor Geral do HPSMVG, Ney Provenzano, do supervisor da área de cirurgia geral, Dr. Gunther Pimenta e da supervisora da área de Clínica Médica, Aline Almeida que juntamente com nós se dedicaram para que a Residência Médica se tornasse uma realidade.
Glen Arruda frisou este é só o começo de um projeto bem maior que visa transformar o Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande em numa instituição do tipo Hospital Ensino e se tornar referência na especialização de médicos além do bem maior, que é salvar vidas com conhecimento. “Temos ainda outros passos a serem dados e o que é melhor, quanto mais avançarmos, melhores serão as possibilidades de ampliar atendimento e receber mais recursos, só que de outros Ministérios, além da Saúde, também da Educação e futuramente da pasta de Ciência e Tecnologia pois também transformaremos a unidade em um centro de pesquisas”, disse.
Segundo o secretário de Saúde, Gonçalo Barros, fica evidente neste Credenciamento para Residência Médica de que Várzea Grande avança apassos largos para se consolidar como referência em Saúde Pública de
qualidade. “O prefeito Kalil Baracat tem reiteradamente nos cobrado que a Saúde Pública de Várzea Grande seja referência nos atendimentos que ela oferta para as pessoas, independente de residirem ou não na cidade, pois cerca de 40% a 52% dos atendimentos prestados anualmente, são de pessoas de outras cidades, Estados e até mesmo países vizinhos ao Brasil e com quem Mato Grosso faz fronteira”, disse Gonçalo Barros.
Ele apontou ainda que o credenciamento de Residência Médica (RM) é feito por etapas e neste primeiro momento ele é provisório, “mas é necessário lembrar que fomos visitados por técnicos dos Ministérios da Educação e da Saúde que avaliam as condições da unidade hospitalar, a possibilidade de realizar um trabalho desta envergadura que é a Residência Médica que no Brasil representam mais de 55% dos atendimentos realizados em grandes unidades hospitalares”, frisou Gonçalo Barros.
“É um primeiro passo de muitos que a Administração Kalil Baracat planeja dar ao longo dos próximos anos e que consolidarão em definitivo a saúde pública da segunda maior cidade de Mato Grosso, em uma caminhada iniciada pelo ex-prefeita Lucimar Sacre de Campos que deu um salto nos serviços de saúde prestados pela Várzea Grande”, frisou Gonçalo Barros.
Já para o Diretor Superintendente do Hospital Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande, Ney Provenzano, a Residência Médica é uma das etapas vencidas pela Administração Municipal que coroa todo um processo de crescimento e de investimentos visando melhorar o atendimento médico que é oferecido a população que espera uma Saúde Pública eficiente e sempre presente.
“Temos conquistado ao longo dos últimos anos, importantes avanços no Hospital Pronto Socorro Municipal e que são reconhecidos por todos interessados. A Saúde Pública conquista a cada dia novas vitórias e demonstra isto em números de atendimentos realizados e especializações, tanto que conseguimos enfrentar a pandemia da COVID 19”, disse Ney Provenzano.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  De 02 a 05 de dezembro Festival Satyrianas transforma MT uma das sedes da cultura nacional
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA