Redução em 35% da Área Agricultável

Proposta de Zoneamento Socioeconômico preocupa setor produtivo de MT

Redução em 35% da Área Agricultável

Publicados

em

 

Presidente do Fórum Agro MT e da Acrismat, Itamar Canossa, aponta que a nova proposta pode reduzir em 35% área agricultável com uso de tecnologia 

O Fórum Agro MT, entidade criada em 2014 para representar política e estrategicamente os interesses da agropecuária, se reuniu na última semana com a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), prefeitos e lideranças de vários municípios para discutir a proposta do novo Zoneamento Socioeconômico Ecológico de Mato Grosso (ZSEE-MT). Atualmente em fase de consulta pública no site da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag-MT), a proposta causa preocupação principalmente para o setor produtivo do Estado.

Durante o encontro, os representantes das entidades debateram as propostas e diretrizes técnicas sobre a ZSEE-MT e solicitaram a suspensão da consulta pública, uma vez que a proposta não atende a alguns requisitos legais.

Segundo o presidente do Fórum Agro MT e também da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), Itamar Canossa, o texto atualmente pode reduzir em até 35% a área agricultável no Estado com uso de tecnologia.

Leia Também:  Ministro da Infraestrutura e diretor-geral do DNIT fazem visita técnica as obras do Contorno Rodoviário de Barra do Garças

“Dos atuais 40 milhões de hectares de área agricultável com uso de tecnologia, com a nova proposta esse total pode ser reduzido para 26 milhões de hectares. De acordo com a proposta de ZSEE-MT essa diferença de 14 milhões de hectares será transformada em áreas de agricultura familiar, preservação ou de reserva ambiental, impedindo a implantação de tecnologia na produção”, explica.

Segundo as entidades, essa mudança causará um impacto gigantesco na economia do Estado e na vida de milhares de pessoas que trabalham direta e indiretamente com o agronegócio em Mato Grosso.

“Imagina o impacto que isso pode causar na região do Vale do Araguaia, por exemplo, impedir que produtores que há gerações plantam, criam e produzem tenham que mudar a forma de seus negócios por conta do novo zoneamento. Sem contar na queda drástica na arrecadação do Estado, já que a quantidade da produção deverá diminuir se isso realmente acontecer”.

O Fórum Agro MT é composto pela Acrismat (Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso), Acrimat (Associação dos Criadores de Mato Grosso), Ampa (Associação Mato-Grossense dos Produtores de Algodão), Aprosmat (Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso) e Famato (Federação de Agricultura do Estado de Mato Grosso).

COMENTE ABAIXO:

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA