Entrevista da Semana

Presidente da Desenvolve-MT afirma que prioridade é potencializar crédito emergencial aos micro e pequenos empresários

Publicados

em

Com aporte de R$ 55 milhões pelo Governo do Estado, a meta é alcançar os 141 municípios com a disponibilização de linhas de crédito para atender aos micro e pequenos empresários

Redação | Secom – MT

Foto por: Michel Alvim – SECOM/MT

A Desenvolve-MT, agência de fomento estadual, está capitalizada e já iniciou a oferta de linhas de crédito emergenciais para atender micro e pequenos empresários que sofreram com os impactos financeiros da pandemia da Covid-19, segundo o presidente da autarquia, Jair de Oliveira Marques.

 

Na semana passada, o Governo de Mato Grosso lançou o programa Desenvolve Emergencial, que, através da autarquia, está liberando R$ 55 milhões em três linhas de crédito para atender emergencialmente as pequenas empresas.

 

“O resultado será a liberação de maior volume de operações e estar presente nos 141 municípios do Estado em melhores condições de ofertar recursos no que se refere a prazos e juros”, afirma ele, em entrevista especial.

 

Leia a entrevista

 

A Desenvolve-MT chegou a figurar na lista de autarquias e empresas estatais a serem extintas por baixo desempenho, porém conseguiu reverter a situação. Qual o trabalho desenvolvido, para torná-la economicamente viável e estabilizada?

 

Jair de Oliveira Marques – Uma das primeiras atitudes tomadas pela atual diretoria, foi levar aos nossos colaboradores uma mensagem de motivação, de que havia possibilidade de reversão daquela situação. Para isso, era preciso o comprometimento de todos para tornar a agência novamente relevante.

 

Não só para o próprio governo, como, e especialmente, para a sociedade. Por isso, a necessidade deste comprometimento, para que pudéssemos atender nossos clientes com eficácia e rapidez.

 

Presidente, 2020 foi um ano difícil economicamente para muitos setores, por conta da pandemia do coronavírus. De que forma, a Desenvolve-MT atuou para diminuir o impacto financeiro negativo das empresas?

 

Leia Também:  Sem doses de reforço, Cuiabá aguarda Ministério da Saúde para poder iniciar terceira fase de vacinação a idosos e imunossuprimidos

Jair de Oliveira Marques – De imediato, o Governo do Estado, por meio da agência de fomento, implementou programas emergenciais para atender os segmentos empresariais mais impactados pela pandemia.

 

Entendemos que, naquele momento, nossa missão era manter os empregos e as empresas em funcionamento. Para isso, simplificamos e facilitamos o acesso ao crédito.

 

A decisão em optar, até por necessidade, pela inovação tecnológica, levou a Desenvolve a implantar o Crédito Digital, facilitando nossa chegada em 130 municípios mato-grossenses com ações de crédito. Os resultados foram imediatos, tornando 2020 no melhor ano da Desenvolve, desde sua fundação em 2004.

 

Houve redução de despesas, reversão de 80% do prejuízo contábil, redução nos índices de inadimplência, maior liberação, em quantidade e em valores, de operações e, ainda, o aumento de quase 100% do lucro contábil, entre os resultados obtidos pela atual gestão.

 

Quais as linhas de crédito oferecidas pela Desenvolve MT e quem pode acessá-las?

 

Jair de Oliveira Marques – A agência possui nove linhas de crédito em seu portfólio, além dos programas emergenciais, disponibilizados por tempo determinado, com recursos repassados pelo Governo do Estado e Assembleia Legislativa, visando amenizar o impacto negativo das empresas dos segmentos de bares, restaurantes e eventos.

 

Governador Mauro Mendes lança linhas de crédito para microempreendedores individuais, bares, restaurantes e eventos por meio da Desenvolve MT
Créditos: Mayke Toscano/Secom-MT

Governo lança linhas de créditos para os pequenos negócios Foto Mayke Toscano

 

Temos também recursos do Fundes/Sedec, do Governo do Estado. Recursos do Fungetur, do Ministério do Turismo, para giro e investimento do trade turístico. Recursos do Finep, para financiar projetos de inovação de empresas – nesse momento, especialmente para a área de saúde.

Leia Também:  Mato Grosso recebe 83.070 doses de vacina contra a Covid-19 nesta segunda-feira

 

Podem acessá-las, micro e pequenas empresas, ativas, constituídas, no mínimo, há 12 meses, estabelecidas em Mato Grosso, com faturamento anual até R$ 4,8 milhões.

 

Qual o planejamento da Desenvolve MT para os próximos anos e o que a população, mais especificamente os pequenos empresários, pode esperar da autarquia para 2021?         

 

Jair de Oliveira Marques – Uma das exigências do governador para a não extinção da agência, cujo decreto foi publicado em 11 de agosto de 2020, foi exatamente a apresentação, por parte da diretoria, de um planejamento para os próximos cinco anos, visando sua sustentabilidade.

 

Entre as necessidades identificadas para execução deste planejamento estratégico, a maior era a capitalização. Era pequena para as demandas apresentadas. No início da atual gestão, em 2019, o capital social era de cerca R$ 17 milhões. Encerramos 2020 com R$ 22 milhões e mais R$ 4 milhões em processo de capitalização.

 

Com o aporte de R$ 55 milhões em seu capital pelo Governo do Estado e Assembleia Legislativa, a Desenvolve deve saltar da 15ª posição entre 16 agências de fomento dos pais, para ocupar o 7º lugar.

O resultado será a liberação de maior volume de operações e estar presente nos 141 municípios do Estado em melhores condições de ofertar recursos no que se refere a prazos e juros, incluindo alguns programas de alcance social como o recém-lançado Desenvolve Emergencial para atender ao microempreendedor individual (MEI).

COMENTE ABAIXO:

Entrevista da Semana

“Governo já investiu R$ 1,6 bilhão e, até 2022, serão R$ 4,7 bilhões em infraestrutura”, afirma Marcelo de Oliveira

Publicados

em

Por

Os resultados, segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, são mais 1,3 mil km em obras rodoviárias, mais de 1,5 mil quilômetros em novas pavimentações e 67 pontes em execução e projetados

Secom-MT

Governador Mauro Mendes, secretário de Infraestrutura, Marcelo de Oliveira assinam ordens de serviço e apresentam projetos para obras em 62 municípios – Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT

O Governo de Mato Grosso já investiu mais de 1.300 quilômetros em obras rodoviárias em todas as regiões do Estado. No total, foram R$ 1,6 bilhão contratados e quitados desde o início da atual gestão, com previsão de alcançar R$ 4,7 bilhões de investimento em quatro anos.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, são mais de mil quilômetros de novas pavimentações e 51 pontes em execução, além de 468 km de rodovias e 16 novas pontes em fase de contratação de projetos.

“Além disso, estamos em uma grande licitação para manutenção de rodovias pavimentadas e não pavimentadas em todas as regiões do Estado”, destaca o secretário, acrescentando: “tudo resultado de planejamento e parcerias, especialmente com municípios e associações”.

Leia a entrevista:

Secretário, o Governo lançou o programa Mais MT, cujos investimentos, somente em infraestrutura, serão R$ 4,7 bilhões. Qual será o trabalho desenvolvido pela Sinfra para executar todos estes investimentos e transformá-los em obras que beneficiem o cidadão?

Marcelo de Oliveira – Nosso trabalho está em andamento desde o início desta gestão. É resultado do planejamento estratégico, orientado pelo governador Mauro Mendes, de se investir em todas as regiões de Mato Grosso, promovendo a integração dos municípios e dos diversos modais de transporte.

Pavimentação na MT-020 que ligar os municípios de Paranatinga até Canarana
Créditos: Mayke Toscano/Secom-MT

Rodovia MT 20 entre Canarana e Paranatinga  – Foto Maike Toscano 

Estamos atuando em diversas frentes de trabalho. Da estruturação do plano estratégico de transportes à execução e fiscalização de obras, passando pela contratação de projetos executivos de engenharia.

Já demos ordem de serviço para obras de pavimentação, restauração e manutenção de rodovias, incluindo construção de pontes de concreto, em vários municípios e estamos acompanhando passo a passo cada uma delas.

Leia Também:  Ministra Damares lança em Cuiabá o programa Famílias Fortes e a Escola de Formação Municipalista

Quando necessário, notificamos as empresas, cobramos cumprimento de contrato, de prazo e, principalmente, qualidade da obra. Com isso, garantimos a entrega para o cidadão de cada uma das obras iniciadas.

O governo também lançou um grande pacote de obras de pavimentação e construção de pontes, dentro do programa Mais MT, muitas das quais já tiveram início. Como é possível executar esse montante em obras?

Marcelo de Oliveira – Com planejamento. Toda obra lançada em Mato Grosso faz parte do planejamento estratégico da Sinfra, para que seja possível iniciá-la, dar andamento e assegurar sua conclusão. Não vamos iniciar obras apenas por iniciar. Todas elas estão em nosso planejamento, para que tenham começo, meio e fim.

Execução da Ponte sobre o Rio Verde na MT-222
Créditos: Tchélo Figueiredo – SECOM-MT

Ponte de concreto sobre Rio Verde na MT 222 – Foto Tchélo Figueiredo

Outro fator importante para o avanço das obras em várias regiões do Estado, até então desassistidas, também uma diretriz do governador Mauro Mendes e do vice-governador Otaviano Pivetta, é a parceria com municípios e associações.

Via parcerias, estamos fazendo manutenção em rodovias não pavimentadas, pavimentando rodovias estaduais, construindo pontes, implantando bueiros e tantas outras obras e serviços de infraestrutura em Mato Grosso.

Secretário, estamos no fim do período de chuvas em Mato Grosso. Qual o planejamento e a expectativa da Sinfra para executar a manutenção das rodovias?

Marcelo de Oliveira – A manutenção é um trabalho rotineiro executado pela Sinfra para recuperar as rodovias e garantir condições de trafegabilidade. Já iniciamos em várias rodovias e temos também atuado fortemente em parceria com municípios e associações na manutenção de rodovias não pavimentadas.

Restauração de 22km da MT-338 – entre Tapurah-Ana Terra-Itanhangá
Créditos: Mayke Toscano/Secom-MT

Pavimentação e restauração da MT 338 entre Itanhagá e o distrito de Ana Terra  – Foto Mayke Toscano

Além disso, estamos fazendo um grande procedimento licitatório de manutenção de rodovias pavimentadas e não pavimentadas, dividindo o Estado em 13 regiões para que possamos atender a todas.

Leia Também:  Processo seletivo para contratação temporária ofertará 955 vagas na rede pública de Várzea Grande

Também foram destinados recursos para a elaboração de projetos de pavimentação e pontes, além de obras em parceria com os municípios. De que forma esse trabalho será executado, já que depende também dos municípios?

Marcelo de Oliveira – Estamos revisando e elaborando estudos, projetos básicos e executivos para 1.057,78 quilômetros de novas pavimentações e 51 pontes de concreto.  Isso já está sendo feito.

Estes projetos são necessários para que o Governo possa executar novas obras e expandir a malha rodoviária estadual pavimentada e, assim, atender parte da grande demanda de Mato Grosso.

Também já está em fase final de licitação, a contratação de projetos para a pavimentação de mais 468,4 quilômetros e 16 pontes de concreto.

Como nossos parceiros na execução de mais obras estão os municípios e as associações. Temos parcerias, convênios e cooperações em andamento, e outras sendo formalizadas, para que possamos trabalhar em conjunto, investindo menos e executando mais, com a colaboração de todos.

Com todos estes investimentos somente em rodovias estaduais, o senhor não teme que as empreiteiras fiquem sobrecarregadas? O que já está sendo feito para evitar interrupção na execução de obras?

Marcelo de Oliveira – O processo licitatório é formalizado e as empresas, interessadas em participar, apresentam suas propostas. A empresa vencedora tem que obrigatoriamente apresentar o cronograma a ser cumprido. Sempre bato nas mesmas teclas: o que precisamos é um cronograma exequível e a qualidade da obra excelente.

Ponte sobre Rio Arinos MT 220
Créditos: Marcos Vergueiro/Secom-MT

Ponte sobre rio Arinos, na MT 220 –  Foto Mayke Toscano

O que precisamos entregar para a população é obra de qualidade, dentro do cronograma apresentado pela empresa. Não temos como mensurar se haverá sobrecarga para as empresas.

Secretário, até agora quanto já foi investido em infraestrutura pela atual gestão?

Marcelo de Oliveira – Já investimentos efetivamente, contratados e pagos, R$ 1,6 bilhão. Porém, nosso planejamento de investimento vai muito além. Com o programa Mais MT estimamos investir R$ 4,7 bilhões nos quatro anos de gestão. Temos não só condições financeiras como todo um planejamento de execução obras.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA