COVID-19

Prefeitura vê ilegalidade em pedido do MPE e pede autonomia para seguir decretos

Publicados

em

Manifestação foi protocolada neste domingo (28), após pedido de aditamento do órgão

Por JAD LARANJEIRA

foto Luiz Alves

A Prefeitura de Cuiabá, por intermédio da Procuradoria Geral do Município (PGM), entrou com uma manifestação no Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso e pediu o indeferimento do pleito de aditamento imposto pelo Ministério Público Estadual (MPE), para que todos os municípios, sigam o Decreto Estadual nº 874/2021. O documento governamental atualizou a classificação de risco epidemiológico e fixou regras e diretrizes para adoção de medidas restritivas de prevenção à disseminação da Covid-19, e com isso a Capital deveria cumprir Lockdown por 10 dias.

O órgão entrou com pedido de aditamento assinado pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, pedindo para que o ato normativo seja cumprido de forma obrigatória por todos os municípios, excepcionando-se apenas a aplicação de decretos locais naquilo que forem mais restritivos.

A manifestação da prefeitura foi protocolada no último domingo (28), e assinada pelo procurador geral adjunto Alisson Akerley da Silva. Segundo o seu entendimento o órgão “não guarda compatibilidade com o ordenamento jurídico pátrio, pretendendo o Ministério Público inovar de forma totalmente ilegítima e ilegal”.

Leia Também:  Por falta de água no bairro, vacinação é suspensa na UBS Pedra 90 V e VI

“Diante de todo o exposto, resta evidente que a pretensão ministerial além de transbordar de sua competência funcional como órgão de controle, pretende inovar de forma indevida nas regras atinentes ao devido processo legal, sob a justificativa de estar pleiteando direito coletivo, quando na verdade limita-se a invadir competência administrativa e autonomia constitucional dos entes municipais. Inexiste possibilidade legal de se respaldar o pleito ministerial, posto que a este não é dada a prerrogativa de inovar de forma indevida nas regras processuais vigentes, pleiteando situação que extrapola as balizas constitucionais que regulamentam o devido processo legal bem como as competências que lhe são constitucionalmente asseguradas. Desta feita, requer o indeferimento do pleito de aditamento realizado nos autos e reiteramos o pleito de extinção da ação pela superveniente perda do objeto”, diz trecho da manifestação.

A Prefeitura de Cuiabá também ressaltou no documento que a orientação no Supremo Tribunal Federal (STF) é de que os aditamentos peticionais de inicial em acoes de controle abstrato somente podem ser admitidos quando ainda não requisitadas informações aos órgãos ou autoridades dos quais emanou a lei ou ato impugnado.

Leia Também:  Prefeito Emanuel Pinheiro diz que é o homem mais injustiçado de MT

“Outrossim, evidencia-se na pretensão do autor da presente ação, nítida inovação processual, que não guarda qualquer compatibilidade com nosso ordenamento jurídico pátrio, bem como com as regras processuais vigentes, que devem ser observadas por todos os sujeitos processuais, inclusive pelo Ministério Público Estadual”, diz outro trecho.

Por fim, o procurador também informou que o próprio Estado de Mato Grosso, ente competente pela edição do ato normativo, já publicamente confirmou a natureza meramente recomendatória aos municípios.

“Ora, se o próprio ente responsável pela edição do decreto aduz serem as medidas tão somente orientativas, não pode o Ministério Público, vir pleitear judicialmente que o instrumento passe a ter viés impositivo a todos os municípios mato-grossenses, para fins de imputar aos gestores municipais a prática de ilícitos penais, bem como intimidando os mesmos de afastamento dos respectivos cargos”, analisou.

COMENTE ABAIXO:

COVID-19

Novo decreto exige compravante de vacinação para permancer em hospital público ou privado de Cuiabá

Publicados

em

Por

JB NEWS

Por Alisson Gonçalves

 

Prefeitura de Cuiabá públicou um Decreto municipal nº 8.332, nesta quinta-feira (02.12), que passa a ser exigido de acompanhantes e visitantes de pacientes atendidos em hospitais de saúde públicas e privadas da Capital.

A apresentação da Cadernacão da vacina, comprovando a vacinação contra Covid-19, para entrar e pernacer no local.

Essa nova medida vai servir para incentivar as pessoas que não foram vacinadas, e também prevenir as que já foram vacinadas.

A medida ainda irá prevenir uma nova onda de Covid-19 em Cuiabá, Principalmente agora que foi descoberto uma nova variante no Brasil a Ômicron.

Em uma coletiva de imprensa na quarta-feira 1/12 o Prefeito Emanuel Pinheiro (Anunciou medidas de prevenção uma delas a proibição de festa de Réveillon e carnaval em Cuiabá e faz apelo para que toda a população Cuiabana posso se vacinar.

“Eu quero que as 57 mil pessoas que não tomaram a segunda dose vão tomar a segunda dose. Eu quero que as 20 mil que não tomaram nenhuma dose vão tomar as duas doses e quero universalizar a vacinação dos adolescentes de 12 a 17 anos. São números preocupantes e estamos aí com a nova cepa rondando o Brasil e nós não poder fazer vista grossa a isso”

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Emanuel Pinheiro nega e desconhece “rachadinha”, e diz que tentam incriminar ele sua família
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA