Política Estadual

“Precisamos olhar para quem mais precisa de ajuda neste momento”, diz Max Russi

Publicados

em


Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Max Russi (PSB), participou nesta quarta-feira (7) da entrega de cestas básicas para centenas de artesãos de Cuiabá e da Baixada Cuiabana. A ação social, coordenada pela primeira-dama de Mato Grosso, Virgínia Mendes, e Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), também fizeram a entrega de 9 mil cestas básicas para Várzea Grande, incluindo a zona rural da cidade.

“A Assembleia Legislativa apoia esse tipo de iniciativa e é parceira do governo do Estado, nesse momento tão crítico em que milhares de famílias passam por dificuldades financeiras. Com certeza, essas cestas básicas chegarão às famílias mais carentes e, em breve, o município também será contemplado com o Ser Emergencial. É esse trabalho social que precisamos fazer: olhar para quem mais precisa de ajuda neste momento”, recomendou o parlamentar.

A doação de alimentos perecíveis faz parte da campanha Vem Ser Mais Solidário – MT unido contra o coronavírus, que teve início em março de 2020. No ano passado, foram entregues 330 mil cestas básicas e, neste ano, o estado por meio da primeira-dama, pretende alcançar 540 mil famílias, nos 141 municípios mato-grossenses. Além disso, o governo também criou o auxílio Ser Emergencial, programa de transferência de renda, no valor de R$ 150 mensais, durante 90 dias, que a partir deste mês, estará disponível às 6 mil famílias, que atualmente, se encontram em vulnerabilidade social.

Leia Também:  Comissão de Constituição, Justiça e Redação aprecia 179 matérias em 90 dias de trabalhos

Para Virgínia Mendes, o momento é de estender as mãos para quem mais necessita. Ela garantiu que o governo, por meio da Setasc, não medirá esforços para ajudar os mais necessitados. “É uma forma de o governo mostrar que estamos sensíveis as questões sociais e que tem feito de tudo para ajudar os mais vulneráveis nessa pandemia. A Setasc está acompanhando essas famílias de perto e vamos ajudar o máximo de pessoas possível. Quero agradecer o apoio da Assembleia Legislativa que, tem sido imprescindível neste momento tão difícil. O deputado Max tem sido um grande parceiro dos trabalhos sociais no estado”, ressaltou a primeira-dama.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Quem aprovou a ação foi o artesão e artista plástico, Toninho Guimarães, ele, que desde o ano passado tem recebido a ajuda do governo do Estado por meio da doação de alimentos. “Desde que começou a pandemia aqui em Mato Grosso, estou recebendo o apoio do governo. Minhas vendas caíram demais por causa da pandemia, o que tem me ajudado são essas cestas básicas e o auxílio emergencial e, agora, ainda vou conseguir o auxílio do Ser Emergencial. Só tenho que agradecer por essa ajuda ao nosso segmento, que tanto tem sofrido por conta desse vírus”, destacou o artesão.

Leia Também:  CPI da Renúncia e Sonegação recebe delegado da Defaz

A aposentada Francisca Gomes, 77 anos, também falou da importância da ação. Diferente do Toninho Guimarães, ela não tem direito ao auxílio emergencial, por já contar com a aposentadoria, mensalmente. “Muito boa a iniciativa do governo em doar essas cestas. Minha aposentadoria não é suficiente para dar conta dos compromissos e despesas e, eu agradeço muito a Deus por hoje poder receber esses alimentos. Agora já vamos ter o que comer nessa semana”, comemorou.

Doações – Os interessados em doar alimentos não perecíveis ou produtos de limpeza e higiene pessoal, basta entrar em contato com a Setasc pelo telefone: (65) 3613-5700. Quem preferir doar recursos financeiros, a conta bancária especial, aberta exclusivamente para isso é: Banco do Brasil. Agência 3834-2. Conta bancária número 1.042.810-0.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:

Política Estadual

Comissão de Constituição, Justiça e Redação aprecia 179 matérias em 90 dias de trabalhos

Publicados

em

Por


Foto: Marcos Lopes

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) realizou 24 reuniões entre fevereiro e abril deste ano, totalizando a análise de 179 matérias. Neste espaço de tempo, 20 das 24 reuniões realizadas foram extraordinárias, uma foi reunião de instalação e outras três reuniões ordinárias. Nesta terça-feira (11), os deputados membros realizaram a 5ª reunião ordinária remota e apreciaram 23 matérias.

Para o presidente da CCJR, deputado Wilson Santos (PSDB), devido à necessidade de apreciar todas as pautas que tramitam na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), a comissão tem um volume de trabalho maior e a necessidade de realizar encontros extraordinários para que a pauta da Casa não fique comprometida.

“Todos os anos esta é a comissão que mais analisa projetos, até porque tudo que as comissões de educação, infraestrutura, agricultura, direitos humanos analisam, obrigatoriamente passam pela CCJR, que avalia a constitucionalidade”, afirmou o presidente.

Na pauta desta terça-feira (11), 27 matérias estavam inicialmente na pauta, mais quatro projetos foram retirados, a pedido dos autores, antes do início das relatorias. Dois projetos foram apreciados com relação ao pedido de dispensa de pauta, sendo um foi acatado, PL 280/2021, e um pedido rejeitado, Projeto de Decreto Legislativo 03/2021, ambos de autoria do deputado Lúdio Cabral (PT).

Leia Também:  Comissão de Constituição, Justiça e Redação aprecia 179 matérias em 90 dias de trabalhos

O deputado membro Dilmar Dal Bosco (DEM) relatou cinco matérias, concedendo parecer favorável a dois deles, Projeto de Lei Complementar (PLC) 10/2020 e PL 422/2019, contrário a outros dois, PL 554/2019 e 355/2020, e pela manutenção do veto total 31/2021.

O vice-presidente da CCJR, deputado Dr. Eugênio (PSB) ficou responsável pela relatoria de outros cinco projetos. O PLC 43/2019, e o PL 717/2019 tiveram parecer contrário e os projetos de lei 264/2019, 152/2020 parecer favorável. Com relação ao veto total 30/2021, o relator votou pela derrubada.

O presidente Wilson Santos ficou responsável pela leitura dos projetos relatados pelos deputados Sebastião Rezende (PSC) e Janaina Riva (MDB), que não puderam participar da reunião. Somente o projeto de lei 1006/2019 recebeu parecer favorável e os projetos 872/2019 e 269/2019 pareceres contrários. Também foi aprovada a redação final do PL 778/2019, de autoria do deputado Xuxu Dal Molin, que dispõe sobre o Programa de Apoio à Mulher Empreendedora.

O presidente da Comissão, deputado Wilson Santos foi relator de sete projetos em tramitação na Casa. Recebe parecer favorável PL 620/2019, PL 1181/2019, PL 661/2020, PL 235/2021, Projeto de Resolução (PR) 28/2021 e Ofício 97/2021. O projeto 598/2019 teve parecer contrário aprovado.

Leia Também:  Deputado Claudinei visita Associação dos Pacientes Oncológicos de Rondonópolis

Turismo e Conservação – O projeto de lei 1006/2019, que confere ao município de Chapada dos Guimarães o título de capital estadual da Geodiversidade teve parecer favorável aprovado durante a reunião desta terça-feira. De autoria do deputado Wilson Santos, o projeto foi  proposto, em 2018, pela Câmara Setorial Temática do Geoparque.

De acordo com o autor do PL 1006/2019, Wilson Santos, a intenção é que o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães seja transformado em um Geoparque para expandir duas dimensões e também atribuições. “Quando se amplia a área territorial, incluí-se mais aspectos turísticos, ambientais e culturais, costumes e tradições. Este é o primeiro Geoparque em implantação no estado e o Brasil só tem um instalado, no Ceará”. 

O projeto de implantação do Geoparque é de longo prazo e, segundo Wilson Santos, deve levar de oito a dez anos até a conclusão.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA