Esportes

No top 13 do Brasil, contra meninos mais velhos, Dudu Cuiabaninho quer fechar 2021 dentro do top dez nacional

Publicados

em

Dudu Cuiabaninho compete na categoria 12 anos tendo apenas 11 anos e, dentre 264 tenistas de todo o país, conseguiu se colocar entre os principais do ranking
Com 11 anos de idade, Dudu Cuiabano embarca para a II Copa Orthopride de Tênis, de 16 a 19 de setembro, válida pelo Circuito Nacional Infanto-Juvenil da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), no Novo Rio Country Clube, no Rio de Janeiro (RJ). E, na sequência, encarará a Taroii Juniors Cup, de 27/09 a 03 de outubro, no Itamirim Clube de Campo, em Itajaí (SC), e ainda o Torneio Gaspar, de 07 a 10 de outubro, no Guarani Esporte Clube, em Blumenau (SC).

“Meu espírito de competição está forte e estou bastante confiante. Recém voltei de um torneio em São Paulo, onde tive partidas difíceis e ganhei experiência, e, desde então, treinei bastante focado em aperfeiçoar técnicas para os próximos torneios. O que reforçou ainda mais minha confiança e expectativa para obter novos resultados.”, conta Livas Eduardo Damazio, o ‘Dudu Cuiabano’.

Apesar da pouca idade, na faixa etária de uma criança, 11 anos, Dudu Cuiabano já sabe o que deseja para a vida adulta e marcha, com passos firmes, em busca da concretização desse sonho, ser tenista profissional internacional. E enfrenta, sem qualquer pipilo, todos os obstáculos comuns aos meninos com o mesmo objetivo, bem como sofre entraves extras comuns de quem não reside nas grandes praças do tênis, como São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Leia Também:  Projeto incentiva jovens a praticarem ciclismo para competição

Para Livas Tarcilio Damazio, treinador do pequeno tenista, professor de tênis na academia Tennis Company, em Cuiabá-MT, e profissional de educação física, Dudu Cuiabano passa pelos mesmos obstáculos de todo atleta, como, por exemplo, encarar a disciplina rígida de treinamento de longo prazo e a falta de apoio governamental, mas também encara barreiras extras, àquelas advindas de morar longe das cidades onde ocorrem os principais torneios.

“Nossa logística provoca maior gasto financeiro. Isso se traduz em participar de menos torneios por ano por falta de recursos e então conquistar menos pontos para o ranking. Também há certo desgaste físico maior em viagens de cerca de dois mil quilômetros, como ir até Itajaí-SC ou Porto Alegre-RS. Ainda assim, mesmo diante desse cenário, ele não fica para trás. Compete de igual numa categoria acima da idade. Ele possui 11 anos e joga contra meninos de 12 anos. Isso é muito significativo nessa faixa etária.”, explica o professor, Livas Damazio.

Dudu Cuiabano disputou 11 nacionais neste ano, tendo conquistado três troféus de vice-campeão e alcançado quartas de final noutras três oportunidades. O que acumulou 356 pontos e colocou o menino, atualmente, entre os 264 tenistas rankeados, na 13ª posição do ranking nacional infanto-juvenil da CBT. Além disso, dentre os treze tenistas melhor ranqueados, apenas ele e mais um possuem 11 anos de idade, enquanto todos os demais são garotos de 12 anos.

Leia Também:  Documentário sobre vida e obra de Regina Pena será lançado nesta sexta

“A meta é de fechar 2021 no top dez. Neste ano, em alguns momentos, ele já oscilou para dentro do top dez. O que nos fez cogitar ampliar essa meta e buscar posições mais altas. Portanto, temos estudado uma estratégia que nos permita reajustar a meta para cima. Ele tem mais três torneios nas próximas semanas e estamos confiantes. O apoio de mais patrocinadores nos ajudaria na elaboração da estratégia.”, diz o segundo treinador e irmão, Pedro Victor Damazio, 19 anos.

Patrocinador

Livas Eduardo Damazio, o ‘Dudu Cuiabano’, de 11 anos, conta com o suporte da OnLine Engenharia de Sistemas (pelo segundo ano juntos), da Unimed Cuiabá (2ª ano), da Humana Medicina Integral e da Florescer Moda Feminina. Suporte sem o qual não seria possível participar da quantidade necessária de torneios para competir minimamente de igual para igual com os melhores do país.

“Agradecemos demais pelo apoio dessas empresas. Seria mais difícil, se não impossível, sem o auxílio delas. Estamos esperançosos para o resultado desse ano, mas, principalmente, muito motivados frente aos planos para 2022. O Dudu estará com 12 anos e estará no seu auge nessa categoria de 12 anos. Isso significa muitos resultados. Além disso, planejamos participar do Sul-Americano e de uma Gira Europeia, será a primeira vez dele em torneios europeus.”, conta o treinador principal, Livas Tarcilio Damazio.

COMENTE ABAIXO:

Esportes

Várzea Grande sedia final da Supercopa masculina de Voleibol

Publicados

em

Por

SUPERCOPA

Várzea Grande vai sediar a final da Supercopa de Vôlei do Brasil no próximo dia 26 de outubro, terça-feira. A cidade foi escolhida por ter melhores condições de abrigar o evento esportivo, principalmente por causa do Ginásio Poliesportivo Júlio Domingos de Campos (FIOTÃO), recém-inaugurado e que adotou todas as regras e exigências necessárias para realização de jogos nacionais e internacionais.

“Fico feliz de ver Várzea Grande ter o reconhecimento nacional de entidades como a Confederação Brasileira de Vôlei, lembrando que já realizamos outros eventos e é essa a nossa intenção, mostrar que Várzea Grande é acolhedora e tem condições de bem servir e que estamos preparados, mesmo em período de pandemia de COVID-19 de realizar eventos de nível internacional como este”, disse o prefeito Kalil Baracat.

O secretário Municipal de Comunicação Social, Marcos Lemos, informa que o polo de vacinação no Ginásio Fiotão foi suspenso temporariamente por conta da Supercopa Masculina de voleibol, por ser o local indicado e apropriado, conforme regulamento nacional da Confederação de Voleibol para sediar o campeonato nacional.

Leia Também:  Trabalhadores e autônomos italianos terão que ter o  Green Pass para poder desempenhar sus atividades e gera revolta no país

“O Fiotão foi solicitado pela Confederação para ser sede do evento esportivo por estar dentro dos parâmetros esportivos estabelecidos pelo campeonato. Hoje (21), já foram suspensas as atividades de vacinação, porém os outros polos seguem funcionando normalmente com a vacinação contra Covid-19. Amanhã (22), haverá a sanitização de todo ginásio para a realização da Supercopa na terça-feira (26). Após o evento o ambiente passará novamente por processo de sanitização e desinfecção completa para segurança da população que busca o local para se vacinar”, destaca o secretário.

O secretário de Comunicação Social informa aos veículos de comunicação interessados em cobrir a decisão da Supercopa masculina entre Sada Cruzeiro (MG) e Funvic/Educacoin/Natal (RN), que o credenciamento já está aberto. Os interessados na cobertura do evento esportivo devem encaminhar pedido de credenciamento para o e-mail imprensa@volei.org.br

O jogo ocorre na próxima terça-feira (26.10), às 19h30 – horário de Brasília – no ginásio Júlio Domingos de Campos “FIOTÃO”, centro de Várzea Grande. É necessário informar o nome do veículo, além do nome e cargo dos profissionais interessados na cobertura.

Leia Também:  Jogos Estudantis iniciam nesta quinta-feira em Campo Verde

De acordo com informações da Confederação Brasileira de Voleibol, será obrigatória a apresentação de documento original com foto, carteira de vacinação comprovando as duas doses completas e/ou exame PCR Negativo com até 72 horas ou teste antígeno até 48 horas antes do evento.

A Confederação destaca ainda que a liberação será para um número limitado de profissionais e depende de aprovação prévia pelos protocolos de biossegurança. Os pedidos aprovados receberão um e-mail de confirmação com local e horário para retirada das credenciais. O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA