CUIABÁ

MISC recebe Encontro de Choro com Orquestra Cuiabana

Publicados

em

EMILY MAGALHÃES

Davi Valle

Clique para ampliar

Dando continuidade à agenda de programações culturais, o Museu da Imagem e do Som (MISC), coordenado pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, recebe no dia 2 de fevereiro o Encontro de Choro com a Orquestra Cuiabana de Choro e outros convidados.

O evento será realizado a partir das 20h no saguão do museu, com entrada gratuita e seguindo as medidas de biossegurança contra a Covid-19.

As apresentações contarão com um repertório autoral e alguns clássicos do Choro brasileiro como Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Jacob do Bandolim, entre outros.

O projeto foi contemplado em edital da Lei Federal Aldir Blanc em Cuiabá, executado pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer.

O MISC

Criado em 2006, o Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (MISC) é o principal acervo de imagem e som da diversidade cultural de Cuiabá. Além de apresentações musicais, o MISC também apresenta exposições, mostras de fotografia e vídeos, oficinas e peças teatrais valorizando a história da cuiabania.

Serviço

Assunto: Encontro de Choro

Local:  Museu da Imagem e do Som (MISC) (Rua: Voluntários da Pátria, nº 79, Centro Norte)

Leia Também:  Emanuel Pinheiro inaugura UPA do Verdão na próxima quinta-feira 26

Dia: 02/02/2022

Hora: 20h

COMENTE ABAIXO:

CUIABÁ

Projeto Telharte é realizado no Quintal da Domingas em São Gonçalo Beira Rio

Publicados

em

Por

JB News

Por Malu Souza

O projeto Telharte, desenvolvido pela professora, artesã e ceramista Edilaine Domingas, que ministra uma oficina presencial para vinte alunas, tem como principal objetivo, valorizar as mulheres de baixa renda, através do artesanato em telha. A oficina foi realizada de 07 a 14 de maio, das 8h ás 12h, no Quintal da Domingas. O artesanato em cerâmica é um dos símbolos da comunidade ribeirinha de São Gonçalo Beira Rio.
Conforme Edilaine, o Telharte é um projeto vinculado ao Ponto de Cultura, que busca dar oportunidades ás mulheres, mães de baixa renda, para que elas possam desenvolver habilidades manuais e contribuir com uma fonte de renda para a família, com a produção e venda do artesanato. “Nossa meta é ensinar a fazer o artesanato em telha, mas principalmente despertar nelas o potencial de cada uma, contribuir com a autoestima e oferecer a elas a possibilidade de uma geração renda”, disse Edilaine, lembrando que também aprendeu a arte em casa, e quer repassar o seu conhecimento.
A tradição da arte em telha vem sendo cultivada desde a sua infância. A ceramista carrega os seus valores familiares e com determinação, reaproveita a matéria-prima da telha com perfeição, elaborando peças com cores vibrantes e homenageia personagens da cultura regional, como as dançarinas de Siriri, índios e outros. “Vem sendo repassada desde a minha avó, para minha mãe, e agora na terceira geração, dou continuidade com muito orgulho. A telha para mim tem uma forte simbologia, pois ela cobre o teto das pessoas. Amo trabalhar com esta arte, que também está ligada a minha história de vida”, frisou a ceramista, informando que seu trabalho também poderá ser levado também a outras comunidades e cidades de Mato Grosso, por meio de novas parcerias.

Leia Também:  Vereador Luiz Fernando apresenta projeto para se tornar obrigatório a transmissão ao vivo de sessões públicas de processos de licitação


A oficia ministrada por Edilaine, foi organizada por uma equipe integrada pelo produtor, Jean Delgado e o assistente de produção, Jonnhy Brandão, pela produtora cultural e historiadora Natália Ramires, e também o produtor convidado Avinner Augusto.

História: A comunidade de São Gonçalo Beira Rio é o berço da cultura mato-grossense, tem o seu reconhecimento pelas tradições culturais, especialmente a dança e o artesanato em cerâmica. O trabalho reflete o desejo de manter viva a identidade cultural da comunidade, que é referência histórica e cultural, e que perpetua práticas e saberes perpassados por gerações. Tombada desde 1992, como área de preservação, produção e comercialização da cerâmica, se destaca uma das mais antigas manifestações culturais de Cuiabá. O fomento e valorização artesanato são prioridades para seus moradores.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA