Eleições 2020

Miguel Vaz tenta calar a voz das ruas e impugnar pesquisa

Publicados

em

JB News

Após a divulgação da pesquisa do Instituto Segmenta Dados, nesta sexta-feira (30.10), onde o candidato à reeleição em Lucas do Rio Verde, Luiz Binotti desponta na liderança com 51,26% dos votos válidos, o candidato adversário Miguel Vaz, tentou impugnar a pesquisa e teve o pedido negado pelo juiz eleitoral Cristiano dos Santos Fialho. A Coligação Gente que Faz, tentou ainda calar a voz das ruas e entrou com mandado de segurança junto ao TRE e também sofreu derrota.
No parecer do juiz Bruno D’Oliveira Marques (TRE) não houve qualquer ilegalidade na realização da pesquisa registrada sob o número MT-03696/2020. “Posto não vislumbrado ilegalidade e abuso de poder para dar trânsito a este mandado, indefiro-o liminarmente, extinguindo o feito sem julgamento”, traz trecho da decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso.
A pesquisa quantitativa foi realizada em 23 bairros, abrangendo 93% da área urbana e 7% do rural num intervalo de confiança de 95%, ou seja, se fossem realizadas 100 pesquisas, em 95 delas os resultados obtidos estariam iguais.
Se as eleições fossem hoje o atual prefeito e candidato à reeleição, Luiz Binotti ganharia com 51,26% dos votos válidos contra 40,20% do segundo colocado, Miguel Vaz.
As entrevistas foram feitas entre os dias 26 e 29 de setembro nos bairros: Centro, Pioneiro; Menino Deus, Dalastra, Alvorada, Jardim Europa, Veneza, Tessele Júnior, Industrial, Bandeirantes, Parque Das Emas, Cidade Nova, Rio Verde, Palmeiras, Urbano Bieger, Jaime Senti Fuji, Parque Américas, Araras, Ventura, Jardim Primavera. Zona Rural: Groslândia e São Cristóvão.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Prefeito Kalil Baracat acompanha instalação de novas bombas de captação de água e da nova adutora que abastecerá a ETA Grande Cristo Rei

Eleições 2020

Prazo para eleitor justificar ausência ao 2º turno termina hoje

Publicados

em

Por

ELEIÇÕES 2020

JB News

Por Denise Niederauer

Termina na nesta quinta-feira (28.01) o prazo de 60 dias para que o eleitor justifique a ausência às urnas nas localidades onde houve segundo turno para prefeito e vice-prefeito nas Eleições 2020.

 

O cidadão que não compareceu à urna deve apresentar justificativa fundamentada, com o motivo que o impediu de votar.

 

A justificativa pode ser apresentada nos cartórios eleitorais, pelo Sistema Justifica ou pelo aplicativo e-Título. O cidadão pode baixar o app no Google Play ou na App Store.

 

Devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19, muitos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) optaram pelo atendimento de maneira virtual, que também pode ser feito pela ferramenta Título Net, disponível no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A medida busca evitar aglomerações nos postos de atendimento da Justiça Eleitoral.

No dia 14 de janeiro encerrou o prazo para que o eleitor justificasse a ausência à urna no primeiro turno, realizado no dia 15 de novembro. De acordo com os dados do TSE, cerca de oito milhões de eleitores apresentaram justificativa por não comparecerem para votar no primeiro turno do pleito.

Leia Também:  Max Russi e governador Mauro Mendes prestigiam aniversário de Jangada, reafirmam comprometimento e entregam benefícios

 

Como fazer:👇

A justificativa pode ser feita pelo Sistema Justifica, no qual o eleitor deve preencher o “requerimento de justificativa” e informar os dados pessoais exatamente como registrados no cadastro eleitoral, declarar a razão da ausência à urna e anexar documentação comprobatória digitalizada.

 

Com o campo preenchido corretamente, será gerado um código de protocolo para acompanhamento, que será transmitido à zona eleitoral a que o eleitor pertence, para que seja examinado pelo juiz competente.

O eleitor será notificado da decisão ou poderá consultar a situação também pelo Sistema Justifica.

No caso de justificativa presencial, o eleitor deve entregar o requerimento em qualquer cartório eleitoral ou enviar por via postal ao juiz da zona eleitoral na qual é inscrito. Além do formulário, deve apresentar documentação que comprove os motivos alegados para justificar a ausência.

Consequências:👇

Na última quinta-feira (21.01), o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, suspendeu, por meio da Resolução TSE nº 23.637, as consequências previstas no artigo 7º do Código Eleitoral para os eleitores que deixaram de votar nas Eleições 2020 e não apresentaram justificativa eleitoral ou não pagaram a respectiva multa. A resolução deverá ainda ser referendada pelo Plenário do Tribunal após o recesso forense.

Leia Também:  Deputado participa de lançamento da obra da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

 

A resolução suspendeu os seguintes efeitos: o impedimento de o eleitor obter passaporte ou carteira de identidade; inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, e neles ser investido ou empossado; renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo; e receber remuneração de função ou emprego público.

A medida vale enquanto permanecer vigente o plantão extraordinário previsto pela Resolução TSE nº 23.615/2020 para prevenir o contágio pelo novo coronavírus.

Com informações do TSE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA