Saúde

Médico alerta para cuidados com o idoso dentro de casa

Publicados

em

 

JB News

Por Fábio Monteiro

 

Atualmente, 15% da população brasileira é composta por idosos

Junho é marcado como o mês de combate à violência cometida contra a pessoa idosa. E o lembrete se faz bastante necessário. Isso porque, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) divulgou um balanço de dados do “Disque 100” que relata que, de janeiro a junho deste ano, foram registradas mais de 35 mil denúncias de violações cometidas contra esse público. 

Destas, 16 mil ocorreram na casa onde residem a vítima e o suspeito e, entre os agressores, os filhos constam como os principais autores pelo crime. Para a presidente do Conselho do Idoso de Rondonópolis (218 km de Cuiabá), Marildes Ferreira, esses atos precisam ser combatidos. Ela explica que conforme houve aumento da população idosa, subiu na mesma proporção o número de agressões. 

Ainda de acordo com os dados do MMFDH, foram constatados quase seis mil registros de casos em que as vítimas possuem faixa etária entre 70 e 74 anos. E contra aqueles com mais de 90 anos, foram 2,5 mil. O médico do sistema Hapvida responsável por coordenar a equipe de saúde da família, Bruno Sampaio, explica que atualmente 15% da população brasileira é composta por idosos. 

Leia Também:  Aumenta o número de pessoas com Coronavírus em MT já são 11

E a projeção, segundo o profissional, é de que, até 2030, esse número chegue a 25%. Por isso, reforça, há a necessidade de que as famílias cuidem, acompanhem e promovam o bem-estar. Isso porque, comenta, o cuidado envolve uma série de ações que vão desde manter o bem psíquico, alimentar e social.

“Esse cuidador precisa garantir a autonomia, prática de atividade física, alimentação saudável e vida social.  Ele também alertou para que as famílias estejam atentas com relação ao fato de idosos apresentarem problemas de saúde e que alguns sintomas, muitas vezes, podem passar despercebidos. “Estejam atentos à alteração do sono, falta de apetite, agressividade, ansiedade e depressão”. Sampaio argumenta que esses sinais são motivos para que familiares procurem o atendimento de saúde o quanto antes.

Proteção 

Quem souber ou presenciar qualquer tipo de violação aos direitos humanos e, nesse caso, contra a pessoa idosa, pode fazer uma denúncia anônima pelo Disque Direitos Humanos (Disque 100), diariamente, 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana e feriados. As ligações podem ser feitas em todo o Brasil por meio de discagem direta e gratuita para o número 100 e pelo WhatsApp (61-99656-5008). 

Leia Também:  Mato Grosso registrou 533 óbitos por Covid-19 até o final deste sábado

Há ainda a possibilidade de relatar o caso pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil, no qual o cidadão com deficiência encontra recursos de acessibilidade para denunciar.

COMENTE ABAIXO:

Saúde

Brasil registra 37 mortes por covid-19 em 24 horas

Publicados

em

Por

Em 24 horas, foram registrados 4.429 novos casos de covid-19 no Brasil. No mesmo período, houve 37  mortes de vítimas do vírus. O Brasil soma desde o início da pandemia 681.437 mortes por covid-19, segundo o boletim epidemiológico divulgado neste domingo (14), pelo Ministério da Saúde. O número total de casos confirmados da doença é de 34.170.286.

Ainda segundo o boletim, 32.993.386 pessoas se recuperaram da doença e 495.463 casos estão em acompanhamento. No levantamento de hoje, não consta atualização dos dados de óbitos em Mato Grosso do Sul, do Distrito Federal, do Maranhão e de Minas Gerais. Já os estados de Mato Grosso, Rio de Janeiro, Roraima, Rio Grande do Norte e Tocantins não atualizaram nem o número de casos nem de morte.

Estados

Segundo os dados disponíveis, São Paulo lidera o número de casos, com 5,97 milhões, seguido por Minas Gerais (3,85 milhões) e Paraná (2,71 milhões). O menor número de casos é registrado no Acre (147,5 mil). Em seguida, aparecem Roraima (173,9 mil) e Amapá (177,7 mil).

Leia Também:  Diretor da Pifzer diz que a quarta dose da vacina será necessária

Em relação às mortes, de acordo com os dados mais recentes disponíveis, São Paulo apresenta o maior número (173.652), seguido de Rio de Janeiro (75.162) e Minas Gerais (63.257). O menor total de mortes situa-se no Acre (2.025), Amapá (2.155) e Roraima (2.165).

Boletim Epidemiológico Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico – 14/08/2022/Divulgação Ministério da Saúde

Vacinação

De acordo com os últimos dados divulgados, foram aplicadas 471,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, sendo 178,7 milhões com a primeira dose e 159,8 milhões com a segunda dose. A dose única foi aplicada em 4,9 milhões de pessoas. Outras 104,4 milhões já receberam a primeira dose de reforço, e 18,9 milhões receberam a segunda dose de reforço.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA