TRATAMANTO DA COVID 

Max Russi cobra estrutura para hospitais do interior

Publicados

em

 

Três propostas do presidente da Assembleia Legislativa buscam instrumentalizar Saúde dos municípios de Sorriso, Novo São Joaquim e Barra do Bugres.

JB News

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), cobrou medias resolutivas do governo do Estado, quanto à falta de estrutura para tratamento e atendimento de pacientes da covid-19 em três municípios do interior de Mato Grosso. As indicações foram apresentas pelo parlamentar durante a sessão ordinária desta segunda-feira (19).

Autoridades sanitárias municipais tem se preocupado com o estoque de medicamentos para pacientes entubados sob ventilação mecânica, os bloqueadores neuromusculares, que já está quase no fim.

Esse é caso do Hospital Maternidade 13 de Maio, tido como um dos principais pontos de referência no atendimento a contaminados com o novo coronavírus em Sorriso. O problema foi relatado ao deputado pelo vereador Maurício Gomes e pelo secretário municipal de Saúde, Luíz Fábio Marchiorio.

Já o município de Novo São Joaquim, de acordo com a secretária municipal de Saúde, Camila Pestana, precisa de cinco aparelhos respiratórios (BIPAP) e dez cilindros de oxigênio para o hospital local.

Leia Também:  Cilindros de oxigênio para interior de MT serão entregues pela Energisa 

“Infelizmente, de acordo com o Boletim Informativo Epidemiológico do Estado, Novo São Joaquim está com classificação de risco muito alta. Esses cilindros e respiradores são mais do que necessários neste momento, para o atendimento aos pacientes”, alerta Max Russi, reforçando a cobrança à Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT).

Em relação à Barra do Bugres, a principal dificuldade é quanto a falta de cilindros de oxigênio. O secretário municipal de Saúde, Cláudio Alves de Souza, informou que o município conta com apenas 30 cilindros, sendo que cinco foram emprestados de comerciantes locais, como forma de complementar no tratamento de pacientes que precisam de auxílio respiratório.

Ainda de acordo com o secretário, o hospital local está sendo reaberto e precisa de todo o suporte medicinal possível, para que possam ser realizados novos atendimentos. Para se ter uma ideia, se a intenção for abrir mais leitos especializados, serão necessários ao menos 500 metros de oxigênio por dia. O deputado Max Russi ratificou as cobranças e pediu urgência nas indicações.

Leia Também:  Cilindros de oxigênio para interior de MT serão entregues pela Energisa 

“Essa quantidade é insuficiente para atender os infectados de Barra do Bugres, que também está classificado como “risco alto” para a infeção. Fiz essas cobranças à Secretaria de Estado de Saúde e espero que esses problemas sejam resolvidos com urgência”, complementou.

COMENTE ABAIXO:

TRATAMANTO DA COVID 

Cilindros de oxigênio para interior de MT serão entregues pela Energisa 

Publicados

em

Por

 

Parceria com Secretaria de Estado de Saúde tem como objetivo o transporte rápido do material para 83 municípios

 

Municípios das regiões de Barra do Garças e Tangará da Serra começam a receber nesta semana cilindros de oxigênio adquiridos pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) para as cidades que estão ampliando os leitos clínicos para tratamento da Covid-19. O transporte dos insumos está sendo realizado pela Energisa Mato Grosso, que se colocou à disposição do Governo do Estado para contribuir com o combate à pandemia. Nesta primeira entrega, 220 cilindros foram enviados a 32 municípios, sendo 23 no Araguaia e nove na região de Tangará.

 

Presente em todo o Estado, a Energisa possui uma logística organizada para transportar materiais rapidamente a todos os municípios. Ao tomar conhecimento da necessidade do transporte rápido desses materiais, o diretor-presidente da distribuidora, Riberto José Barbanera, se colocou à disposição para fazer a entrega dos cilindros. A ação em parceria com o Governo integra o movimento “Energia do Bem”, uma rede de solidariedade liderada pelo Grupo Energisa, em parceria com entidades de vários estados onde a empresa atua, e desde o ano passado realiza ações para minimizar os impactos da Covid-19 sobre a população.

Leia Também:  Cilindros de oxigênio para interior de MT serão entregues pela Energisa 

 

“Nosso propósito vai além de distribuir energia elétrica. Queremos promover o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida da sociedade, bem como a igualdade social e a preservação do meio ambiente. Temos acompanhado todos os esforços dos poderes públicos e da sociedade no combate à pandemia e faremos o possível para contribuir nesse momento”, comentou Riberto.

 

No total, a Energisa fará o transporte de 513 cilindros para 83 municípios conforme cronograma informado pela Secretaria de Estado de Saúde. O oxigênio que já está em trânsito será entregue nas cidades de Água Boa, Alto Boa Vista, Araguaiana, Arenápolis, Barra do Bugres, Campinápolis, Campo Novo do Parecis, Canabrava do Norte, Canarana, Cocalinho, Confresa, Denise, Gaúcha do Norte, Luciara, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Maringá, Nova Xavantina, Novo Santo Antônio, Novo São Joaquim, Porto Alegre do Norte, Ribeirão Cascalheira, Ribeirãozinho, Santa Cruz do Xingu, Santa Terezinha, Santo Afonso, São Félix do Araguaia, São José do Rio Claro, São José do Xingu, Serra Nova Dourada, Torixoréu e Vila Rica.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA