Política Nacional

Lava Jato ocultou informações de Weber ao pedir apoio para investigar Lula

Publicados

em

source
mulher loira arrow-options
Rosinei Coutinho/SCO/STF

Ministra Rosa Weber

Uma série de mensagens divulgadas pelo jornal Folha de S.Paulo na manhã desta terça-feira (5) mostram que membros da força-tarefa da Lava Jato monitoraram grampos do telefone do ex-presidente Lula e ocultaram informações importantes da ministra Rosa Weber antes de pedir 

A ministra Rosa Weber era a responsável por examinar o pedido de suspensão das investigações da Lava Jato feito pela defesa do ex-presidente Lula. Em uma conversa no aplicativo Telegram, o agente Rodrigo Prado, responsável pelo monitoramento das escutas, avisou a investigadores da força-tarefa que Lula tinha conversado com Roberto Teixeira, advogado do ex-presidente, sobre formas de falar com a ministra sobre o caso.

Leia também: Deltan tem até esta segunda para decidir se tenta cargo de procurador regional 

As escutas foram passadas pelo procurador Deltan Dallagnol ao então juiz Sergio Moro . Deltan teria apontado riscos da ação no STF. “Até onde tenho presente, ela é pessoa séria”, disse o ex-juiz.

A partir deste diálogo, a ideia de confeccionar um documento com informações sobre as investigações da Lava Jato e entregá-lo a Weber foi, então, colocada em pauta. Em pouco tempo, segundo as mensagens, alguns membros da força tarefa pediram cautela no que seria conversado com Rosa. 

Leia Também:  Neri Geller integra comitiva oficial que viabiliza Arthur Lira à presidência da Câmara Federal

“Não abra nada”, disse o promotor Carlos Fernando. Em pouco tempo, ele afirmou que era “contra falar qualquer coisa sobre operação” e que achava necessário apenas discutir a “necessidade de que o STF não interrompa a investigação”. 

Leia também: ‘É bênção ter inimigos burros’, diz Glenn sobre tentativa de derrubar Vaza Jato

Um dos medos demonstrados pelo grupo, segundo mensagens, era de que informações da operação vazassem para o público . Eles demonstravam, também, desconfianças em relação a Rodrigo Janot.

Deltan, então, foi até Brasília e entregou o documento ao chefe de gabinete de Rodrigo Janot, que passou as informações para o chefe de gabinete da ministra. Após receber o documento, Rosa solicitou que a defesa de Lula fosse comunicada das informações mostradas pela força-tarefa, pedindo uma resposta deles para tomar decisão. 

Com o despacho enviado à defesa de Lula , procuradores articularam com a Polícia Federal a data de busca e de condução coercitiva do ex-presidente. Sem encontrar indícios de ilegalidade nas investigações, a ministra anunciou sua decisão de permitir que o trabalho continuasse no mesmo dia. A decisão foi comemorada pelo delegado Márcio Anselmo, que disse “Rosa weber mandou lils pastar” e “Uhuuuuuu”.

Leia Também:  JUSTIÇA MANDA DEPUTADO E ASSESSOR DO PSL APAGAREM VÍDEO FAKE CONTRA FELIPE NETO

Leia também: Possível fator decisivo, Rosa Weber vota contra prisão após segunda instância

Em resposta, a força-tarefa disse que não tiveram contato com Rosa Weber para falar sobre o assunto. Eles afirmaram, ainda, que não reconhecem as mensagens vazadas por considerá-las “material oriundo de um crime cibernético”.

O hoje ministro Sergio Moro também disse que não reconhece as mensagens e que nunca tratou informalmente de questões relativas à Operação Lava Jato com Rosa Weber ou qualquer outro ministro do STF. O procurador Eduardo Pelella, que teria recebido o documento de Deltan quando era chefe de gabinete do ex-PGR Rodrigo Janot, disse que não lembra de detalhes das situações e que funções como despachos eram parte do cotidiano no local. 

Rosa Weber e Rodrigo Janot não se pronunciaram sobre o caso. 

COMENTE ABAIXO:

POLITICA

Após eleição de Arthur Lira presidente da câmara, Dr. Leonardo é escolhido líder da bancada de MT em Brasília no lugar de Neri Geller

Publicados

em

Por

Após eleição de Arthur Lira presidente da câmara Dr Leonardo se torna líder de bancada

JB News

Da Redação

Uma reunião que está acontecendo já na manhã desta terça feira 02, nas dependências da do gabinete do senador Jayme Campos (DEM), escolheu o deputado Dr. Leonardo do Solidariedade de Cáceres como o novo líder da bancada de Mato Grosso Em Brasília.
Essa função era ocupada pelo deputado Neri Geller (PP).


Ainda ontem 01 de fevereiro, aconteceu a eleição para presidente da mesa diretora do congresso, onde Lira foi o vencedor. Neri foi um dos grandes articuladores da campanha do deputado a presidência, que passa agora o cargo a Dr Leonardo. Até o momento não tem a informação de qual cargo o deputado Neri vai ocupar no congresso nacional, uma vez que foi da linha de frente na composição.
Participam da reunião os senadores Jayme Campos (DEM), Welington Fagundes (PL) Carlos Fávaro (PSD), os deputados federais Dr Leonardo (DS), Nelson Barbudo (PSL) e Juarez Costa (MDB).
Mais Informações em Instantes.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Após eleição de Arthur Lira presidente da câmara, Dr. Leonardo é escolhido líder da bancada de MT em Brasília no lugar de Neri Geller
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA