POLITICA

Kalil Baracat projeta avanços na cultura várzea-grandense

Publicados

em

Várzea Grande tem aeroporto, bons hotéis, restaurantes e muita arte. Elementos importantes, segundo o candidato, para o fortalecimento da produção cultural, visando à geração de emprego e distribuição de renda.

Da Assessoria

Buscando ampliar as conquistas da atual gestão da prefeita Lucimar Campos (DEM) em torno da valorização da identidade cultural do várzea-grandense, o candidato a prefeito pela coligação “Amor por Várzea Grande – MDB, DEM, PSDB, PP, PL e PC do B” – quer ampliar os atendimentos realizados pela “Casa de Artes” durante sua gestão.

Desde o início do atual governo, a “Casa de Artes” implementou os cursos de Violão, Corte e Costura, Pintura em Tela, Rede no Tear, Bordado, Tricô e Crochê, Pintura em Tecido, Manicure e Pedicure Básico, Alongamento de Unhas e outras técnicas, além de Aulas de Balé para crianças a partir de 4 anos. “Como várzea-grandense legítimo que sou, não poderia deixar de ter um olhar sensível e humano às nossas tradições. A cultura será uma de nossas marcas”, observou.

À exemplo disso, a gestão atual solicitou a avaliação para o reconhecimento das redes de Limpo Grande como patrimônio cultural brasileiro junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). “A arte do tear é transferida de geração em geração. Se não desenvolvermos políticas públicas de estímulo à produção local, perderemos nossa própria identidade”, pontuou Kalil.

Leia Também:  Conexão TCE será lançado no próximo dia 23 em Primavera do Leste

Com raízes profundas fincadas em solo várzea-grandense, Kalil é fruto de uma árvore genealógica cuja tradição política resulta em serviços prestados à cidade. Neto de Sarita Baracat, primeira mulher eleita prefeita do Município, e de Cabloco, ex-vereador, além de filho do ex-vice-prefeito Nico, o candidato é um amante da cultura local.

Kalil ressalta um dos locais mais lindos e visitados da cidade de Várzea Grande; a famosa “Rota do Peixe” que passa pelos Distritos da Praia Grande, Pai André, Souza Lima, Bom Sucesso, Limpo Grande e Passagem da Conceição. “É exatamente na Comunidade de Bonsucesso que nasceu a cidade de Várzea Grande em 1823. Aqui temos uma culinária incrível, tem Siriri e Cururu, além da tradicional rapadura de cana”.

A “Casa de Artes” possuiu cerca de 158 artistas cadastrados, que expõem e comercializam seus produtos no espaço. Toda a renda adquirida com a venda dos objetos é 100% revertida aos artistas. O espaço é mantido pelo Município. “O turismo gera emprego e distribui renda à comunidade. Temos um aeroporto em nossa cidade. Bons hotéis. Vamos criar mecanismos de estímulo à produção cultural. Várzea Grande tem identidade própria. E ela será valorizada na nossa gestão”, concluiu Kalil.

Leia Também:  Medeiros destaca atuação de ministra na defesa da criança e do adolescente

COMENTE ABAIXO:

POLITICA

CPI da Renúncia marca oitiva com presidente da Aprosoja para o próximo dia 27

Publicados

em

Por

 

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Renúncia e Sonegação Fiscal aprovou, nesta segunda-feira (20), a convocação do presidente da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/Brasil) e ex-presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Antônio Galvan.

A oitiva será no dia 27, às 14h.

Segundo o presidente da CPI, deputado Wilson Santos (PSDB), o objetivo é investigar denúncias de desvio de recursos provenientes do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), no período em que Antônio Galvan foi presidente da Aprosoja Mato Grosso entre 2018-2020.

O parlamentar é o autor do requerimento e destaca a importância do depoimento para os trabalhos para a relatoria de Agronegócio. “A comissão pretende apurar se houve malversação das quantias repassadas anualmente para a associação, e daremos a oportunidade a ele de dar suas explicações e contribuir com sugestões para a melhoria da arrecadação de nosso Estado”, defendeu.

O deputado Carlos Avalone (PSDB) também defendeu a convocação e reforçou a importância do depoimento para os trabalhos da comissão. “Nas últimas três semanas surgiram sérias denúncias quanto ao uso de dinheiro público destinado ao fomento do agronegócio e a sociedade ficou com dúvidas que precisam ser esclarecidas. Na ocasião o senhor Galvan terá a oportunidade de se explicar”, defendeu.

Leia Também:  Almerinda e Duda Mezavila lançam bingo gratuito com prêmios em dinheiro neste domingo

Os deputados Valmir Moretto (Republicanos) e Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD), acompanharam a decisão e destacaram importância da oitiva para ouvir as considerações de Galvan sobre as denúncias. “Aqui ele terá a oportunidade de se posicionar, trazer documentos e fazer as argumentações em sua defesa e da Aprosoja, sobre as denúncias levantadas pela imprensa”, afirmou Moretto. “Vamos analisar com cautela as informações, porque uma denúncia dessa muitas vezes compromete a imagem das pessoas, gera prejuízos e precisamos ter cuidado e entender melhor essa situação, antes de julgarmos”, complementou Nininho.

Outros requerimentos

Além da convocação de Galvan, a comissão também aprovou uma oitiva com Adão Joasir Fontoura, para o mesmo dia. Ele é apontado nas investigações como autor do homicídio que vitimou o empresário Wagner Florêncio Pimentel, no dia 09 de fevereiro de 2019.

O empresário era apontado pelo Ministério Público do Estado como líder de uma organização criminosa de sonegação de ICMS no Estado, investigada pela Operação Crédito Podre, conduzida pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz).

Leia Também:  Medeiros destaca atuação de ministra na defesa da criança e do adolescente

“Wagner era laranja de um grupo de sonegadores de impostos de MT e havia feito uma delação antes de ser assassinado. Nós queremos saber do assassino quais foram as razões e quem foi o mandante desse crime. Quem sabe assim a CPI possa avançar nas investigações sobre grupos econômicos que são contumazes na tarefa de sonegar impostos no estado de Mato Grosso”, justificou Wilson Santos.

A comissão aprovou ainda a dilação de prazo para entrega dos relatórios finais das subcomissões e o pedido de prorrogação dos trabalhos da CPI por mais seis meses.

Fonte: ALMT
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA