Entretenimento

Jovem escritor lança “Dinheiro: até a física explica” na Academia Mato-Grossense de Letras

Publicados

em

JB News

No mês em que a Academia Mato-Grossense de Letras completa seu centenário, a Casa Barão recebe Érico Debesaitis Metzner, um dos mais jovens escritores brasileiros, que no dia 18 de setembro, às 16 horas, lança seu quarto livro, “Dinheiro: até a física explica”.

Érico tem 17 anos, é cuiabano e iniciou a sua trajetória de escritor há 6 com a obra “Como conquistar seu próprio dinheiro”.

Participou na Bienal Internacional do Livro, em São Paulo, quando na maior feira do mercado livreiro da America Latina, com apenas 12 anos, lançou um livro muito original, Din Din: o jogo do dinheiro, em formato de cartas.

Na sua terceira obra, com o sugestivo nome “Smart sonho” lançada bilíngüe, português e inglês, o menino escritor já tem suas experiências compartilhadas, entre dois países, o Brasil e EUA, sendo que palestrou em universidades e também na abertura do Congresso de representantes dos Estados dos EUA,  WACA, World Affairs Council of America.

Em “Dinheiro: até a física explica”, o empreendedorismo é explorado e demonstrado na essência, explicando por meio de descobertas científicas e fenômenos da natureza, em como podemos usar o que está ao nosso redor como ferramentas e motivações para fazer e administrar o dinheiro. A premissa do livro, segundo o autor, é estimular o leitor a construir oportunidades, planejar e executar a ideia de criar negócios, desenvolvendo sua própria forma de fazer dinheiro, através do empreendedorismo.

O livro é recomendado para adolescentes e jovens e tem como principal intuito introduzi-los à Física, por meio do estudo da matéria e da energia, e a interatividade de ambos. Visa, portanto, facilitar o aprendizado e ao mesmo tempo ensinar o público alvo sobre dinheiro, finanças pessoais e empreendedorismo, e induzir à curiosidade por meio de perguntas ao longo de toda a narrativa. “Esses assuntos são os que adolescentes de hoje têm mais dificuldade e este livro pode auxiliá-los a simplificar as coisas, tornando-os interessantes com exemplos práticos do dia a dia”, explica Érico.

Nas palestras que o escritor fez ao longo de sua trajetória, em escolas públicas e programas de educação financeira, ele diz ter percebido que muitos jovens e crianças não possuem interesse por educação financeira, porque não têm dinheiro.

Nos dois últimos anos, ao desenvolver um programa de empreendedorismo, Érico fez pesquisas, aprimorou ideias e orientou um grupo de crianças e adolescentes a colocarem os conceitos da educação financeira em prática, com resultados inspiradores, cujas técnicas estão inseridas na obra. E quem não tem acesso a algum dinheiro, poderá, através do livro aprender a administrar o capital da família, ajudando a economizar e até mesmo a empreender. Aos que já tem acesso, o autor destaca que poderá melhorar seus resultados.

Para quem aprendeu a administrar o seu dinheiro aos 6 anos de idade, e com 11 já escrevia sobre o tema, é de se esperar que das experiências vividas ele só tem valor a agregar. Cada escritor, é certo, tem suas peculiaridades, que o torna único. Érico começou efetivamente a escrever ainda criança, e embora não tivesse nenhuma obrigatoriedade de se prender a rigidez, iniciou de forma organizada o seu processo criativo, sem improvisação, e chegou antes de completar 18 anos, com bagagem para ensinar, e isso através de um meio muito interessante, o livro.

Leia Também:  Cuiabá e Flamengo terminam empatados no Maracanã

A pergunta com a qual inicia a narrativa na obra “Dinheiro: até a física explica”, já remete a curiosidade que o seu título remete: o que Física tem a ver com dinheiro? e a partir de então, baseando-se em pesquisa, abre o campo da reflexão com a proposta: “Física e dinheiro possuem suas leis e quanto mais aprendemos com elas, melhor será a nossa relação com o mundo”. Nesta esteira, ele cita até o famoso Tio Patinhas, personagem de Walt Disney, que possuía uma montanha de dinheiro, que usava até mesmo como colchão e banheira. Uma função meramente acumulativa, sem sentido. Segundo o autor, é preciso dar significado ao dinheiro, e isso remete a conforto, segurança com o futuro, viagens, geração de empregos, salvar o planeta, ter uma vida boa e outros sonhos que dependem de dinheiro para acontecer. Sua própria trajetória já legitima o que diz.

            Muito interessante também no novo livro de Érico Debesaitis Metzner são pequenos relatos com histórias de famosos que começaram do nada, a exemplo do Senor Abravanel, o Silvio Santos, que aos 14 anos iniciou a atividade como camelô e hoje é dono de um verdadeiro império.

            Trazer o lançamento do livro “Dinheiro: até a física explica” para a sede da AML, instituição cultural mais antiga de Mato Grosso, no mês em que se comemora o seu centenário é considerado pela presidente Sueli Batista, como muito relevante. “É uma forma de aproximar a comunidade jovem do espaço que abriga a intelectualidade, uma das metas da minha gestão. Já recebemos alunos de escolas públicas e de projetos da capital e interior, e ter um jovem escritor compartilhando seu conhecimento através de uma nova obra é muito inspirador”, salientou.

Sueli Batista lembrou a conexão da Academia com o escritor. Quando Érico participou da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em 2016, para lançar Din Din, ela era diretora secretária da instituição e conseguiu com a presidência, uma carta o referendando para a mostra. Em reunião com os membros da instituição, ela relatou a história do pequeno escritor, e despertou a admiração dos “imortais”. Em maio deste ano, suas obras, Como conquistar seu próprio dinheiro, Din Din e Smart Sonho fez parte da exposição do centenário, na qualidade dos escritores mato-grossenses, que não pertencem ao quadro acadêmico.

Sobre o autor

Aos 6 anos de idade, começou a administrar o seu próprio dinheiro, recebendo uma “semanada” para comprar durante a semana. Com o tempo, percebeu que poderia economizar uma parte de seu dinheiro, para conseguir comprar itens maiores. Aos 8 anos, juntou durante um ano inteiro para comprar o primeiro celular, criando outras estratégias para complementar a renda, com ações empreendedoras simples. Com isso, começou a perceber as “maravilhas” que o dinheiro pode fazer se usado da forma correta. Desde então, aprendeu novas estratégias, incluindo o empreendedorismo, aplicado no dia-a-dia, e conseguiu realizar grandes sonhos. Aos 11 anos, já havia realizado várias conquistas e escreveu seu primeiro livro. Aos 12 anos, tendo já sua primeira obra publicada, começou a realizar palestras sobre educação financeira para grupos de crianças e adultos.

Leia Também:  Fusão do jazz com rasqueado dá o tom a novo disco da Tocandira

Seus livros

Publicou o primeiro livro, como conquistar seu próprio dinheiro, no aniversário de 12 anos (2015). O livro é voltado para crianças, com imagens cartunizadas para ambientação. Nele, Érico conta sua história dos 6 aos 11 anos, quando começou a aprender sobre dinheiro, mostrando as estratégias que utilizou para conquistar vários sonhos, mesmo com pouca idade e pouco dinheiro (celular, tablet, videogame, viagens, etc.). Afirma e demonstra que isso é possível para qualquer criança que tenha determinação, disciplina e vontade de realizar seus sonhos e que se dispõe a criar e executar atividades simples e que conduzam ao objetivo.

Aos 13 anos (2016), publicou seu segundo livro, Din-din: o jogo do dinheiro, lançado na Bienal internacional do livro em São Paulo. O livro é em formato de cartas, para ser jogado com os amigos e família, com perguntas sobre dinheiro, sustentabilidade e questões filosóficas, para estimular a curiosidade e aprendizado na criança.

No mesmo ano (2016), criou o blogdoerico.com , onde publicou artigos, estratégias e histórias sobre dinheiro, a fim de ajudar os leitores a realizar os seus sonhos de forma simples e prática. Em 2018, o blog ganhou o selo ENEF, Estratégia Nacional de Educação Financeira, que reconheceu a iniciativa como uma influência nacional de educação financeira.

 No final de 2018, lançou o terceiro livro, Smart sonho: objetivo definido sonho realizado, no Brasil e nos EUA, por meio de palestras para universidades e para outras instituições (uma delas sendo o WACA, World Affairs Council of America, em que, junto com outros 2 palestrantes, abriram o evento para representantes de todos os Estados dos EUA).

O livro é bilingue, uma página está escrito em português e a outra, com o mesmo conteúdo, em inglês. O livro fala de estratégias para usar o dinheiro da melhor forma e traz características do empreendedorismo, contando por meio de histórias e exemplos.

Em 2019 criou o canal do youtube, “Érico Metzner”, para postar essas e outras histórias e estratégias em vídeo, para oferecer um ambiente em que a pessoa possa aprender como realizar os seus sonhos com atividades simples e práticas.

Serviço:

O que: lançamento do livro “Dinheiro: até a física explica”.

Quando: Sábado dia 18 e setembro às 16h

Onde: Na Academia Mato-Grossense de Letras – AML (Rua Barão de Melgaço n. 3684 Centro)

Quem: autor do livro – o jovem Érico Debesaitis Metzner

COMENTE ABAIXO:

Entretenimento

Exposição Vale dos Dinossauros é aberta no Parque Berneck em Várzea Grande 

Publicados

em

Por

 

No coração do Centro Ecológico de Recreação e Lazer Parque Bernardo Berneck de Várzea Grande foi aberta a exposição “Vale dos Dinossauros”, onde foram instaladas 11 réplicas das mais importantes espécies de dinossauros encontradas pela arqueologia mundial. Entre elas estão o dinossauro Chapadense (Pycnonemassaurus nevese) encontrado na região de Chapada dos Guimarães e o Uberabatitan Ribeiror, o maior dinossauro do Brasil descoberto em Minas Gerais.
A exposição que comemora o Dia das Crianças e da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, acontece justamente na semana que no Maranhão foi descoberto um fóssil de dinossauro. A descoberta está sendo apontada como uma das mais importantes da ciência.
A abertura da exposição ocorreu com a presença do prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, da primeira-dama e promotora de Justiça, Kika Dorilêo Baracat, vereadores, secretários municipais, visitantes e alunos da Rede Municipal de Educação e está aberta a população até o final do mês de outubro e marcam não apenas as festividades das crianças como desperta a atenção delas para a questão ambiental, já que o Parque Berneck é uma das maiores áreas de preservação ambiental urbana do Brasil.


O Vale dos Dinossauros foi montado com intuito de oferecer lazer a população do município e de conhecimento educacional. O projeto foi viabilizado pelas secretarias municipais de Educação, Cultura, Esportes e Lazer – SMECEL e Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável – SMADRS e conta com a Parceria do Governo do Estado de Mato Grosso, da Assembleia Legislativa de Mato Grosso e pelo Instituto Mato-Grossense de Desenvolvimento Humano – IMTDH.


A criação e execução é do Instituto Mato-grossense de Desenvolvimento Humano. Até o dia 28 de outubro, todas as escolas municipais estarão visitando a exposição guiada por professores das áreas de Ciências, Geografia e Meio Ambiente.
O prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat agradeceu a parceria com o Governo de Mato Grosso e a Assembleia Legislativa e do Instituto Mato-grossense de Desenvolvimento Humano. “Estamos no mês das crianças e a exposição é muito focada no público infantil e no lazer de toda a família. O parque é um lugar aconchegante e a exposição é mais uma alternativa de lazer e de oportunidade para que as crianças conheçam um pouco da história dos animais pré-históricos”, concluiu.
Ele lembrou que no momento de pandemia que assola o Planeta, desenvolver relações sociais mais próximas onde todos se respeitam é a demonstração mais clara de que a vida segue e vai se constituir com um novo normal, respeitando normas, mais reafirmando o conceito brasileiro de viver em comunidade, frisando ainda a importância do Parque Berneck que em parceria com a Assembleia Legislativa se tornou um dos polos de vacinação contra a COVID 19 mais eficientes e de resultados positivos.
O vice-prefeito, José Hazama lembrou como fundamental a integração da Administração Municipal com a população frisando que eventos como estes despertam o conhecimento das pessoas, reforçam as políticas públicas e assinalam pela boa relação.
“Uma gestão não é feita apenas de grande e importantes obras, mas de ações sociais, educacionais e que despertam valores nas pessoas”, disse José Hazama sinalizando que Várzea Grande sempre foi conhecida pelos eventos realizados e principalmente pela forma de atender as pessoas apesar dos problemas que existem e que estão sendo resolvidos com trabalho e determinação.
A história dos dinossauros tem sido contada e comprovada pela Arqueologia em todo o mundo através dos vestígios materiais como fonte documental. “No meio escolar, possibilita o desenvolvimento de atividades voltadas para a sensibilização de alunos e professores sobre a importância do conhecimento do mundo material e do mundo das imagens como parte fundamental do processo educativo”, comentou o secretário de Educação, Cultura, Esportes e Lazer de Várzea Grande, Sílvio Fidelis.
Em cada uma das 11 réplicas instaladas na exposição é mencionado o nome da espécie, data em que foram encontrados os vestígios e a era em que existiram na Terra. Os dinossauros são animais que viveram em nosso planeta há milhões de anos. Entre os organismos que existiram no passado e que temos registro de sua ocorrência, com certeza, os dinossauros são aqueles que mais impressionam crianças, jovens e adultos”, explicou a pedagoga de educação infantil do programa Escola em Tempo Ampliado, Taiane Barros Ferreira Leite. Parte desse interesse é devido ao tamanho de algumas espécies desses animais, assim como a ferocidade de alguns deles.
A professora comentou ainda que o estudo dos objetos como um vetor para a compreensão das transformações da vida do homem ao longo do tempo propicia a vivência de processos investigativos e contribui para a manutenção da curiosidade infantil inata como elemento motivador da aprendizagem.
Durante a abertura da exposição Vale dos Dinossauros as crianças observavam atentas a réplica do dinossauro chapadense (Pycnonemassaurus nevese) que viveu há 70 milhões de anos, durante a era Mesozóica, no período Cretáceo, na região onde hoje está localizada Jangada Roncador, no município de Chapada dos Guimarães. O animal tinha 15 metros de comprimento, cerca de 4 a 6 metros de altura e tinha um peso estimado entre 15 a 18 toneladas. Conhecido também como dinossauro de mata fechada, tinha dentes muito afiados.

Leia Também:  Lambadão mato-grossense é tema de podcast com patrocínio da Petrobras


O secretário de Meio Ambiente de Várzea Grande, Celio dos Santos, responsável pelo funcionamento do Parque Municipal Bernardo Berneck enfatizou que a unidade de conservação é a maior do município (28 hectares de mata nativa do cerrado) e possui atividades de lazer para toda a população. “É um espaço para toda a família”, anunciou.
A exposição Vale dos Dinossauros estará aberta ao público todos os dias, das 17h30 às 19h00 e no sábado, domingo e feriados das 07h30 às 19h00. A entrada é gratuita.
Serviço
– Exposição Vale dos Dinossauros
– Local: Parque Bernardo Berneck – Avenida Governador Júlio Campos, S/N entre bairros – Jardim Paula I, Várzea Grande – MT
– Horário de funcionamento: Todos os dias das 17h30 às 19h00 e no sábado, domingo e feriados das 07h30 às 19h00.
A entrada é gratuita.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA