Internacional

Israel mantém ataques e Jihad Islâmica retalia com foguetes em Gaza

Publicados

em

Israel ataca Jihad Islâmica em Gaza na Palestina
Reprodução TV Aljazeera – 06.08.2022

Israel ataca Jihad Islâmica em Gaza na Palestina

Exército de Israel atacou a Faixa de Gaza pelo segundo dia consecutivo neste sábado, afirmando preparar uma “operação de uma semana” contra alvos militares da Jihad Islâmica, na pior escalada de violência desde um conflito de 11 dias em maio do ano passado, que deixou 260 mortos no lado palestino, incluindo combatentes, e 14 mortos em Israel, incluindo um soldado.

Segundo o Ministério da Saúde palestino em Gaza, os ataques deixaram até agora 15 mortos e 125 feridos, incluindo Tayseer al-Jabari ‘Abu Mahmud’, um dos líderes da Jihad Islâmica, e uma menina de 5 anos. Durante a noite, as forças israelenses prenderam 19 membros do grupo na Cisjordânia, território palestino ocupado por Israel desde 1967.

Em resposta à ofensiva israelense, a Jihad Islâmica lançou mais de 160 foguetes desde sexta a partir de Gaza, mas a maioria aparentemente caiu em áreas abertas ou foi interceptada pelo sistema de defesa antiaérea israelense Domo de Ferro.

Um dos projéteis atingiu uma casa em Sderot, no sul do país, causando apenas danos materiais, e outro uma comunidade israelense perto da fronteira com Gaza, deixando uma pessoa levemente ferida. Dois soldados israelenses ficaram feridos por explosões de morteiro em uma fazenda comunal perto da fronteira com Gaza, de acordo com o Exército.

Leia Também:  Governador assina fornecimento de gás natural da Bolívia: “É a primeira vez que temos um contrato firme”

Segundo maior grupo militante em atuação no território palestino e considerado terrorista pelos EUA e a União Europeia, a Jihad Islâmica geralmente atua de forma independente do movimento islâmico Hamas, que controla o enclave desde 2007. Pela manhã, Gaza parecia uma cidade fantasma, com ruas vazias e lojas fechadas. A única central de energia elétrica da Faixa de Gaza foi obrigada a fechar neste sábado por falta de combustível, o que “agravará a situação humanitária”, segundo a empresa.

Israel fechou as passagens para mercadorias e pessoas com o território palestino na terça-feira por temer represálias após a detenção de Basem Saadi, um líder do grupo armado palestino, no dia anterior. Os bloqueios reduziram as entregas de diesel necessárias para abastecer a central.

De acordo com o Ministério da Saúde palestino, a falta de energia repercutirá na capacidade de fornecer serviços médicos nos hospitais, com a estimativa de que uma paralisação total ocorra em 72 horas. Além disso, afirmou o ministério, o enclave enfrenta uma escassez de 40% de equipamentos e remédios básicos, além de 60% de falta de equipamentos médicos.

Segundo um porta-voz do Exército israelense, “atualmente não há negociações para um cessar-fogo”. A declaração foi dada depois de informações de que o Egito, mediador histórico entre o Estado hebreu e os grupos armados em Gaza, informou que poderia receber uma delegação da Jihad Islâmica . Mas o grupo armado palestino também descartou a possibilidade de cessar-fogo. A organização acusa Israel de ter “iniciado uma guerra”. “O inimigo sionista iniciou esta agressão e deve preparar-se para um combate sem trégua”, afirmou em na capital do Irã, Teerã, o secretário-geral da Jihad Islâmica, Ziyad al-Nakhalah.

Leia Também:  Polícia alemã investiga venda de "cerveja nazista"

Israel disse que os bombardeios contra o enclave foram uma ação preventiva para evitar um ataque iminente contra civis israelenses. Na sexta-feira, o premier Yair Lapid, acusou o grupo armado de ser “um representante do Irã que busca destruir o Estado de Israel e matar israelenses inocentes”.

Em um comunicado, a Liga Árabe criticou a “feroz agressão israelense”. A Jordânia destacou a “importância de acabar com a agressão”. Em 2019, a morte de um comandante da Jihad Islâmica em uma operação israelense provocou vários dias de hostilidades entre o grupo armado e Israel. O Hamas, que enfrentou Israel em quatro guerras desde que tomou o poder no território, permanece à margem dos confrontos.

Mas a decisão que tomar agora será crucial, pois o grupo enfrenta pressões para melhorar as condições econômicas do território. Israel impõe desde 2007 um bloqueio severo da Faixa de Gaza, território de 362 quilômetros quadrados em que moram 2,3 milhões de pessoas, com níveis elevados de desemprego e pobreza.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:

Internacional

Com melhora, Salman Rushdie é retirado de respirador

Publicados

em

Por

Salman Rushdie, o aclamado autor que foi hospitalizado na sexta-feira (15) com ferimentos graves após ser esfaqueado repetidamente em uma aparição pública no Estado norte-americano de Nova York, foi retirado do respirador e sua condição está melhorando, disse seu agente neste domingo.

“Ele está fora do respirador, então o caminho para a recuperação começou”, escreveu seu agente, Andrew Wylie, em um e-mail à Reuters. “Será longo; os ferimentos são graves, mas sua condição está indo na direção certa.”

Rushdie, de 75 anos, estava prestes a dar uma palestra sobre liberdade artística na Chautauqua Institution, no oeste de Nova York, quando um homem de 24 anos invadiu o palco e esfaqueou o escritor indiano, segundo a polícia. Há promessas de recompensa pela cabeça de Rushdie desde que seu romance de 1988 Os versos satânicos levou o Irã a incentivar que os muçulmanos o matassem.

O suspeito do ataque, Hadi Matar, de Fairview, Nova Jersey, se declarou inocente das acusações de tentativa de assassinato e agressão em uma audiência a tribunal no sábado, disse à Reuters seu advogado nomeado pelo tribunal, Nathaniel Barone.

Leia Também:  Corinthians vence o Botafogo e se mantém na vice-liderança do Brasileirão 2022

Após horas de cirurgia, Rushdie foi colocado em um respirador e não conseguia falar na noite de sexta-feira, disse Wylie em uma atualização anterior sobre a condição do escritor, acrescentando que ele provavelmente perderia um olho e tinha danos nos nervos, no braço e feridas no fígado.

Wylie não forneceu mais detalhes sobre a saúde de Rushdie em seu e-mail deste domingo.

Apoio

O esfaqueamento foi condenado por escritores e políticos de todo o mundo como um atentado à liberdade de expressão. Em uma declaração no sábado, o presidente dos EUA, Joe Biden, elogiou os “ideais universais” de verdade, coragem e resiliência incorporados por Rushdie e seu trabalho.

“Estes são os blocos de construção de qualquer sociedade livre e aberta”, disse Biden.

Nem as autoridades locais nem federais ofereceram detalhes adicionais sobre a investigação no sábado. A polícia disse na sexta-feira que não havia estabelecido um motivo para o ataque.

Uma análise inicial das redes sociais de Matar mostrou que ele era simpático ao extremismo xiita e ao Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica, conhecido popularmente como Guarda Revolucionária Iraniana, embora nenhum vínculo definitivo tenha sido encontrado, segundo a NBC de Nova York

Leia Também:  Irã poderá usar a Venezuela para vingar a morte do general iraniano Qassem Soleimani

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA