Destaque

Golpista voltam a utilizar imagem do prefeito Kalil na tentativa de pedir dinheiro

Publicados

em

 

Da Redação

Golpistas que se passam pelo prefeito de Várzea Grande, Kalil Baracat, voltaram a utilizar a imagem do gestor em conversas de whatsapp que terminam com o pedido de dinheiro, via Pix. O estelionato já havia sido denunciado pela Secretaria de Comunicação de Várzea Grande (Secom/VG), no mês de fevereiro. E hoje (11), houve nova tentativa, desta vez utilizando um número diferente do anterior: (65) 99933-1644. Dessa vez, foram pedidos R$ 6.300.


O prefeito pede aos seus contatos, que porventura venham sofrer a tentativa de golpe, que ignorem os pedidos, como forma de debelar o golpe.
O alerta feito pelo prefeito vale para todos os cidadãos que forem surpreendidos com pedido dessa natureza, via whatsapp. “Vale tentar contato com a pessoa que está com a imagem vinculada ao pedido para chegar a veracidade da mensagem”.


Assim como da última vez – por meio do número de telefone 66 99725-2468 -, a Procuradoria do Município já formalizou nova denúncia junto aos órgãos responsáveis com registro de boletim de ocorrência. “A prefeitura de Várzea Grande solicitou a apuração dos fatos e punição dos responsáveis que estão se utilizando desse meio para aplicar o golpe em pessoas idôneas e bem intencionadas”, informa o secretário de Comunicação, Marcos Lemos.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  TJMT define lista tríplice de novos juízes substitutos do TRE-MT

Destaque

MPMT instaura procedimento para apurar declarações homofóbicas de padre durante missa em Tapurah

Publicados

em

Por

 

JB News

Em relação às declarações homofóbicas feitas durante uma missa por um padre da Igreja Católica no município de Tapurah (451 Km de Cuiabá), o Ministério Público do Estado de Mato Grosso informou que instaurou procedimento investigatório para apurar os fatos e colher os subsídios necessários para adoção de medida judicial cabível.

O Ministério Público Estadual, por meio do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos e Diversidades, repudia qualquer tipo de discurso de ódio. Reitera que as declarações efetuadas pelo padre extrapolaram a liberdade religiosa e que podem até mesmo resultar na propositura de medidas extrajudiciais, de ação civil pública por dano moral coletivo causado à sociedade, bem como ação penal, por eventual crime cometido.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Avião cai na Rodovia do Peixe em Rondonópolis
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA