Geral

FNA apresenta o documentário A BOLSA OU A VIDA

Publicados

em

 

Por Carolina Jardine

Produção do cineasta Silvio Tendler propõe debater que caminho tomará o mundo no pós-pandemia

Como parte da extensa agenda no 27° Congresso Mundial de Arquitetos – UIARio2021, que começa em 18/7, a Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA) vai apresentar em primeira mão aos participantes do evento o documentário A BOLSA OU A VIDA, filme do cineasta Silvio Tendler.

A pré-estreia acontece hoje (19/7), às 20h, na sequência da Mesa de Debates ‘Educação em Arquitetura e Urbanismo’, programação especial da FNA e do CAU Brasil para o UIARio2021. A transmissão acontece no espaço PALCO DIÁLOGOS COM A SOCIEDADE – Atividades culturais – Mundo dos Filmes, na plataforma do UIARio2021.

O filme dirigido por Silvio Tendler e produzido pela Caliban Cinema e Conteúdo foi desenvolvido em plena crise sanitária do coronavírus, em 2020, e sua proposta é discutir o tema ‘o que virá depois da pandemia’? “É uma discussão sobre se no pós-pandemia a centralidade será no ser humano e na natureza ou no cassino financeiro”, como ele mesmo definiu. Todas as entrevistas para o filme foram realizadas por meio de videoconferências. “Falamos com pessoas do Brasil todo, além dos Estados Unidos e da Grécia, sem sair do mesmo lugar”, conta Tendler.

Leia Também:  Kalil lamenta morte da professora Ana Rita Curvo

Em quase um ano e meio de produção do filme com 1’41 minutos, foram realizadas mais de 73 entrevistas com personalidades conhecidas do mundo artístico/cultural, e com cidadãos comuns que fazem parte do dia a dia das cidades brasileiras e que sentem na pele as dificuldades impostas pelo caos social. Caso da ‘Duda’, motorista de Uber na cidade do Rio de Janeiro, que foi uma das retratadas no filme de Tendler cuja história conduziu o documentário.

A BOLSA OU A VIDA foi produzido com um orçamento 100% colaborativo de 19 entidades entre sindicatos, federações e confederações, além de pessoas físicas. “A FNA mais uma vez foi uma dessas entidades a contribuir não apenas com parte do orçamento, mas emprestou sua experiência e conhecimento nas causas urbanas”, pontuou Tendler. O documentário, além de tantos outros personagens relevantes, conta com a participação de quatro arquitetos e urbanistas com forte atuação sindical e voltados para a luta urbana e social.

Conhecido como “o cineasta dos vencidos” ou “o cineasta dos sonhos interrompidos” por abordar em seus filmes personalidades como Jango, JK e Carlos Marighella, dentre outros, Tendler produziu e dirigiu mais de 70 filmes entre curtas, médias e longas-metragens em formato documental, além de diversas séries.

Leia Também:  "Dimenor” é condenado pela quarta vez e penas somam 47 anos de prisão

Seu primeiro longa-metragem é de 1980, “Os Anos JK – Uma Trajetória Política”, produzido pela Terra Filmes. Ao longo de sua trajetória como cineasta recebeu diversas premiações e destaques, dentre elas. uma homenagem no X Festival de Cinema Brasileiro em Paris (2008), com uma retrospectiva de seus filmes. Também naquele ano, foi condecorado com a Medalha Tiradentes pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

 

 

COMENTE ABAIXO:

Geral

Projeto Reconstruindo Sonhos será lançado nesta quinta-feira (23)

Publicados

em

Por

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso lança nesta quinta-feira (23), às 9h, o projeto “Reconstruindo Sonhos”. A iniciativa conta com a parceria do Poder Judiciário, Governo do Estado, Defensoria Pública, Instituto Ação Pela Paz e Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso. O evento ocorrerá pela plataforma Microsoft Teams com transmissão ao vivo pelo canal do MPMT no Youtube.

O objetivo do projeto é fortalecer a reinserção social dos reeducandos e a redução da reincidência criminal por meio da qualificação, habilitação para o mercado de trabalho e ampliação da compreensão do sentido da vida. A coordenadora do Centro de Apoio Operacional Criminal e da Execução Penal, promotora de Justiça Josane Fátima de Carvalho Guariente, ressalta que a proposta é proporcionar à pessoa privada de liberdade uma nova perspectiva de vida.

Além da qualificação profissional, o projeto dará ao reeducando oportunidade para que possa repensar o sentido da vida. Iniciativas semelhantes ao Reconstruindo Sonhos já são desenvolvidas em outros estados e os resultados têm sido surpreendentes, mas para que a iniciativa dê certo aqui também é necessário termos um olhar mais humanizado para esta situação”, ressaltou a promotora de Justiça.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Juiz Marcos Faleiros adverte Comandante quanto ao papel da PM e dos policiais nas manifestações de 07 de setembro
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA