Entretenimento

Filme aborda experiências e memórias de imigrantes que vivem em Cuiabá e Lisboa

Publicados

em

O curta ‘Intersecção – A História de Quem Migra’ será lançado no dia 25 de janeiro, às 19h, no Cine Teatro Cuiabá

Graciele Leite | Secel-MT

Ousseynou Dieye Uzak (Senegal) – Foto por: Divulgação

Selecionado no Edital MT Nascentes, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), o curta “Intersecção – A História de Quem Migra” traz a perspectiva de imigrantes negros sobre a experiência da imigração. Com relatos de pessoas que vivem em Cuiabá e Lisboa, o filme apresenta a adaptação ao novo ambiente, as relações afetivas e de trabalho, a luta pelos direitos humanos e por cidadania. O lançamento será na próxima terça-feira (25.01), às 19h, no Cine Teatro Cuiabá.

“Mais do que a intersecção entre os contextos de imigrantes em locais diferentes, o projeto mostra as convergências entre cultura e a sensibilização do público quanto ao direito à cidadania de todos os povos. É mais uma iniciativa da qual temos satisfação em apoiar e dar visibilidade por meio de nossos editais”, destaca o secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Machado.

Leia Também:  Governo busca atrair novos investidores em evento internacional de inovação e tecnologia

O projeto começou a ser idealizado em 2017, quando o diretor Rodrigo Zaiden realizou um intercâmbio em Lisboa, Portugal. No país, experimentou as contradições que a imigração traz. De um lado, a exclusão por ser brasileiro e negro. De outro, o afeto e a confiança entre as pessoas pretas, principalmente dos Países Africanos de Língua Portuguesa.

“Percebi que, apesar da diversidade de origem das pessoas, todas passavam pelas mesmas situações da imigração, principalmente, por estarmos no país que colonizou os nossos países. Daí que surgiu a ideia de registrar esses diálogos, para que pudéssemos expressar nossas reflexões sobre temas que nos circundavam, mas também a milhões de pessoas, por questões sociais, ambientais ou raciais”, pondera Zaiden.

Lígia Kellermann imigrante brasileira em Lisboa
Créditos: Divulgação

A ideia era apresentar a perspectiva dos imigrantes em Lisboa. Mas voltando ao Brasil, em 2019, o diretor percebeu que os problemas se repetiam com os imigrantes daqui, principalmente entre os que chegavam do Haiti, Moçambique, Venezuela. Assim, surgiram as histórias de Lígia, Marvinda e Ka Codé, em Lisboa. E de Lídia, Uzak e Silvina, de Cuiabá. O filme foi produzido com recursos da Lei Aldir Blanc, por meio do Edital MT Nascentes, e as gravações finais foram feitas em 2021, nas duas cidades.

Leia Também:  Especialistas alertam para os riscos de suicídio durante e pós-pandemia

Serviço:

Lançamento do filme ‘Intersecção – A História de Quem Migra’

Data: 25.01, às 19h

Local: Cine Teatro Cuiabá

Mais informações: interseccaofilme@gmail.com

(Com informações da assessoria)

COMENTE ABAIXO:

Entretenimento

Cine Teatro Cuiabá recebe neste sábado Projeto Literamúsica

Publicados

em

Por

LITERAMÚSICA

Intercâmbio Cultural

JB NEWS

Por Jonas da  Silva

O Cine Teatro Cuiabá recebe neste sábado (14/5), às 20 horas, o Projeto Literamúsica, com apresentações e intercâmbio de músicos, escritores e plateia. O produto cultural foi idealizado pelo maestro da Orquestra Sinfônica da UFMT, Fabrício Carvalho, e o deputado Professor Allan Kardec (PSB-MT), por meio da destinação de emenda parlamentar.

O público em casa também poderá acompanhar o projeto pelo canal do YouTube do Cine Teatro Cuiabá. O ingresso para a entrada será 1 Kg de alimento não perecível, que pode ser trocado a partir das 19 horas no local do evento. A limitação de assentos é de 60 pessoas.

Junto com o maestro Fabrício no palco estarão as compositoras e cantoras Pachá Ana e Si Azevedo; o escritor, ator e poeta Caio Ribeiro, o percussionista Cleiton Bolacha e o músico, compositor e instrumentista, Oliveira Filho, que fará a direção musical do evento.

Até o fim do ano, o projeto será um verdadeiro circuito cultural sempre nos campi da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), em Tangará da Serra (23/6); Cáceres (25/8) e Sinop (10/11), sempre mediada pelo maestro. As apresentações e performances com participação do público nos locais onde ocorrer o projeto serão no formato de programas de auditórios de TV.

O deputado Professor Allan Kardec afirma que a ideia do Literamúsica é levar arte e cultura ao público jovem e apresentar a eles novos artistas mato-grossenses. E permitir o acesso de modo mais fácil, de forma popular, e fazer simultaneamente a divulgação das diversas manifestações de artistas e escritores do Estado.

“É a prática da cultura e circulação da arte. Um intercâmbio, troca de experiências entre novas plateias e divulgação da geração de novos artistas mato-grossenses. Desenhamos isso, junto com o maestro Fabrício e o Flávio Ferreira do Cena Onze, para promover, principalmente aos jovens, nossa qualificada cultura de novos músicos, escritores, compositores, cantores e artistas de Cuiabá e de todo Mato Grosso”, descreve a importância do projeto.

Leia Também:  Coletivo Miraluz Films de Cuiabá realiza mostra online nesta quinta e sexta-feira

*Público e artistas jovens*

Para o maestro da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Fabrício Carvalho, o projeto cumpre a finalidade de proporcionar a troca de experiências entre o público jovem em especial e artistas mato-grossenses. Pois, ele afirma que as áreas de literatura, da música, do teatro, do audiovisual tem crescido muito em Mato Grosso, em todas as plataformas artísticas.

“O deputado Allan Kardec, eu e o professor Flávio Ferreira, do Cena Onze, também entusiasta dessa ideia, sentamos, pensamos e planejamos um grande projeto que tivesse interação e participação dos estudantes. E principalmente que eles tivessem acesso a essa nova formação dos jovens artistas de Mato Grosso”, descreve como foi formatado o projeto. “É um público que precisa de novas ideias. E tem novos artistas que precisam de um novo público e divulgar seus trabalhos”, resume o objetivo do Literamúsica.

Maestro Fabrício acrescenta outro objetivo do projeto de divulgar aos estudantes universitários a música e literatura fora do eixo cultural da “industrialização de massa”. “Não é só o que passa na televisão aberta, só o que toca no rádio. A ideia é que eles conheçam outros artistas também. Principalmente os artistas de Mato Grosso”, afirma.

O diretor musical do Literamúsica, destaca o projeto como inédito e necessário e que compõe a harmonia perfeita para promover e mostrar a rica cultura mato-grossense. Ele se diz honrado com a oportunidade de participar do projeto.

Leia Também:  Governo busca atrair novos investidores em evento internacional de inovação e tecnologia

*Música e literatura para a vida*

“O projeto já soa poesia e música já vem com sonoridade, o Litera Música. O que seria do mundo sem a literatura e sem a música, algo tão maravilhoso para nossas vidas ?”, comemora o multi-instrumetista. “E temos a música que considero o complemento indispensável dessa festa cultural. A música pode, através dos ouvidos de quem as ouvem penetrar nos lugares talvez nunca visitado com palavras. Mas, com a letra vai chegar, isso é conhecimento para nosso intelecto e música para nossos ouvidos, para nossa alma e vida. Sou muito grato de participar deste encontro cultural”, registra Oliveira Filho sobre o impacto do Literamúsica.

Oliveira Filho é músico, compositor e instrumentista há mais de 20 anos em Cuiabá. Ele veio do Rio de Janeiro trompetista, músico da Escola Villa Lobos. Nas décadas de 1980 e 1990 começou a tocar na Escola Técnica Federal, ETF, (IFMT), com os lendários Bolinha e Juca de Mestre Albertino na banda marcial da escola.

Depois foi levado por Bolinha para as festas do Senhor Divino da Catedral de Cuiabá e Festa de São Benedito na Igreja do Rosário. Com as experiências, firmou carreira com o samba e pagode na Banda KAARADOGOL. Ali tocou cavaquinho e violão. Oliveira Filho foi ainda vocal em várias bandas em Mato Grosso há 20 anos. Um dos destaques foram os hits dos Garanhões da Madrugada, bloco histórico e ícone de Santo Antônio de Leverger que embalou e embala vários carnavais na cidade.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA