AGRONEGÓCIOS

Exportações ajudam produtores de aves a superar alta nos custos

Publicados

em

JB News
Com as intensas valorizações da cotação do milho desde setembro/20, a avicultura não poderia ficar de fora da tendência altista de custos. O poder de compra do avicultor frente ao grão atingiu o menor patamar no mês de abril de 2021.

Ainda que com ligeiro aumento, o mês de maio registrou o segundo pior índice de poder de compra da série histórica do Cepea Esalq/BM&FBOVESPA. Esta redução no poder de compra está atrelada à quebra de safra e, sobretudo, pelo receio do repasse dos custos de produção para os consumidores nesse período.

O levantamento realizado pela Neo Agro Consultoria, com base nos dados do Cepea/Esalq aponta que em maio/21, para cada quilo do frango congelado vendido pelo avicultor paulista, era possível comprar 4,15 quilos do milho. A relação de troca ficou 15,4% inferior ao que foi registrado em maio/20.

A realidade dos avicultores com relação aos custos e a situação do mercado está desafiadora, especialmente para os pequenos e médios produtores. Na avicultura integrada, os desafios são compartilhados entre produtores e agroindústria. Os insumos, em abril, compuseram 75,3% do custo total dos avicultores, segundo o Índice de
Custo de Produção da Embrapa.

Leia Também:  Segundo trimestre de 2021 soma mais de R$ 1 bi em negociações imobiliárias somente em Cuiabá

O respiro para os criadores vem com o resultado das exportações de frango congelado, que compensaram os entraves da produção no período. De acordo com os dados da Secex, em maio foram exportadas 383,2 mil toneladas de carne de frango in natura, número 5,6% maior que o volume escoado em abril/21.

Mesmo com a notícia positiva das exportações, o avicultor deve procurar medidas para driblar o preço do cereal.
Com a chegada do milho safrinha e as culturas de inverno, como sorgo, somado com o planejamento, os embarques aquecidos e o recuo do dólar frente ao real, as perspectivas na produção avícola podem ser mais animadoras para os próximos meses.

📈 A análise completa está disponível em www.neoagroconsultoria.com.br

Lá também é possível acessar análises técnicas, notícias e outros artigos de opinião produzidos pela equipe da Neo Agro.

  1. Por Laís Costa Marques
COMENTE ABAIXO:

AGRONEGÓCIOS

Live do AgriHub apresenta tecnologias para engenheiros atuantes no agronegócio

Publicados

em

Por

 

Tecnologia para engenheiros atuantes no agronegócio será o tema da próxima Live do “AgriHub Pró” que vai acontecer no dia 19 de julho (segunda-feira), às 19h de MT e 20h de SP. A iniciativa é do Instituto AgriHub e tem como parceiro o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (CREA-MT). Os profissionais interessados devem fazer a inscrição para receber o link de acesso clicando aqui: https://agrihub.com.br/livecrea.

Entre os assuntos que serão abordados estão as tecnologias e ferramentas digitais que podem auxiliar nos desafios da profissão dos engenheiros, em especial engenheiros agrônomos, ambientais, agrícolas, florestais e mecânicos.

Para enriquecer o debate já confirmaram presença o presidente do CREA-MT, Juares Silveira Samaniego, e os engenheiros agrônomos: Mauricio Nicocelli Neto, especialista em agricultura digital, e Otávio Celidonio, diretor-executivo do Instituto AgriHub.

A ideia é dar “start” na difusão de tecnologias e ferramentas que aumentem a produtividade e o engajamento dos profissionais de engenharia com os seus clientes, no caso o produtor rural. O objetivo é facilitar o melhor gerenciamento de dados e ações que auxiliam no processo de tomada de decisão reduzindo o tempo e os custos nas tomadas de decisões destes profissionais.

Leia Também:  Deputado federal Neri Geller vai à Fecomércio-MT e recebe ofício em defesa do Sistema S

“O engenheiro tem o papel de ponte, então é importante adequar o nível de maturidade da solução tecnológica que ele vai indicar para o produtor, aumentando assim a chance de uma melhor aderência tecnológica”, esclareceu Wilton Maciel, responsável pela rede de profissionais do agro AgriHub PRÓ.

Com esta iniciativa, o Instituto AgriHub pretende proporcionar aos profissionais uma plataforma de treinamento com metodologias de análise de processo dentro da propriedade rural, nível de maturidade do produtor e das soluções tecnológicas oferecidas pelas empresas.

“Queremos fazer uma conexão entre os engenheiros e a empresa que oferta as soluções, que posteriormente serão difundidas com seu cliente, o produtor rural”, explicou Wilton Maciel.

O presidente do CREA-MT, Juares Samaniego, disse que a parceria com o Instituto AgriHub abre um leque de oportunidades para os profissionais da engenharia. “A capacitação que o Instituto AgriHub está oferecendo em parceria com o CREA-MT abre espaço para esse profissional no mercado de trabalho e vai capacitá-los para prestar um serviço de qualidade ao produtor rural e às pessoas que buscam esse profissional no mercado”, apontou Samaniego.

Leia Também:  Em uma década, reforma de pneus economizou 5 bilhões de litros de petróleo

Juares reforçou ainda que a iniciativa do Instituto, além de aprimorar o conhecimento, leva informações relevantes aos que ainda não tem. “Será importante o engajamento dos profissionais que atuam na área do agronegócio, principalmente os engenheiros agrônomos, ambientais, agrícolas, florestais e mecânicos”, avaliou.

Pesquisa – Para conhecer o público interessado, após a inscrição no evento e durante a live, os profissionais terão acesso a um link para responder uma pesquisa sobre a sua atuação profissional. A ideia do questionário é conhecer o perfil dos profissionais e as diferentes realidades tecnológicas enfrentadas em cada região de Mato Grosso.

“O objetivo é ajudá-los a prestar o melhor serviço levando soluções assertivas ao produtor rural”, concluiu Wilton Maciel.

Serviço:

O que: Live “Tecnologia para engenheiros atuantes no agronegócio”

Quando: 19 de julho (segunda-feira)

 

Horário: 19h (horário de MT) – 20h (horário de Brasília)

Link de inscrição: https://agrihub.com.br/livecrea

 

Convidados: Presidente do CREA-MT, Juares Silveira Samaniego, e os engenheiros agrônomos: Mauricio Nicocelli Neto, especialista em agricultura digital, e Otávio Celidonio, diretor-executivo do Instituto AgriHub.

 

Fonte: Ascom Famato

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA