Cidades

Empreendimentos de 30 municípios de MT serão alvo da fiscalização do Crea-MT em setembro

Publicados

em

A fiscalização do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT) inicia as ações do mês de setembro nesta quinta-feira (09/09), no município de Chapada dos Guimarães.   Até o final do mês de setembro, serão alvos da fiscalização do Crea-MT: Pequena Central Hidrelétrica (PCH), Usina de Placa Solar, indústrias, postos de combustíveis obras públicas e particulares, Usinas, Frigorífico, Contratos e ISSQN do município fiscalizado   e hospitais.   No dia 13 deste mês será realizada a “Operação Pente Fino” no município de Cáceres, tendo como foco: Construção Civil, Contratos e ISSQN do município fiscalizado, industrias, postos de combustíveis, usinas frigorífico.

O gerente de fiscalização, Jakson Paulo da Conceição, explica que o principal objetivo é averiguar a existência de profissionais legalmente habilitados em obras e serviços relacionados as modalidades do Sistema Confea/Crea, garantindo a segurança da sociedade. Os fiscais trabalham nas ações com as devidas exigências do Ministério da Saúde”, explanou o Jakson Paulo.

Municípios que serão fiscalizados até o final de setembro:

Chapada dos Guimarães, Confresa, Vila Rica, Santa Terezinha, Canabrava do Norte, São José do Rio Claro, Nova Maringá, Diamantino, Colíder, Nova Santa Helena, Marcelândia, Cáceres, Tabaporã, Porto dos Gaúchos, Novo Horizonte do Norte, Arenápolis, Nova Maringá, Nortelândia, Alto Paraguai, Santo Afonso, Brasnorte, Campo Novo do Parecis,    Nova Bandeirantes,  Apiacás, Paranaíta,  Alta Floresta,  Itaúba,  Claudia,  Guarantã do Norte  e  Matupá.

Leia Também:  Presidente do Crea-MT homenageia profissionais ao inaugurar auditórios no interior de MT

Cristina Cavaleiro /Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar (GEMAR)

Cristina Cavaleiro
COMENTE ABAIXO:

Cidades

MPMT destina R$ 46 mil a projeto de castração solidária em Sinop

Publicados

em

Por

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 3ª Promotoria de Justiça Cível de Sinop (a 500km de Cuiabá), destinou R$ 46.287,30 à Associação Atitude Real de Carinho e Amor (Arca) – Castração Solidária, nos últimos cinco meses, para aplicação na Campanha de Seleção para Castração de Animais de Tutores Carentes. Os recursos são oriundos de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) e outros acordos firmados pela instituição. A Arca, que é cadastrada no Banco de Projetos e Entidades (Bapre) do MPMT, já castrou mais de 100 animais em Sinop, entre gatos e cachorros, fêmeas e machos.

A iniciativa seleciona tutores com renda familiar de até trêssalários-mínimos. Após aprovada a solicitação e autorizada a castração, o tutor é encaminhado para uma das clínicas credenciadas, onde é agendado o dia da castração. O projeto custeia o transporte, até dois exames pré-cirúrgicos, cirurgia com anestesia inalatória, medicação pós-cirúrgica, avalia a necessidade individual de cada animal sobre itens de segurança (cones e roupinhas) e o transporte de volta para casa. Animais de rua também são beneficiados, desde que um tutor se responsabilize por ele.

O promotor de Justiça Pompílio Paulo Azevedo Silva Neto destaca a importância da iniciativa para a saúde pública. “A castração de animais de rua ou que tenham como tutores pessoas de baixa renda ajuda a fazer um controle da quantidade de animais em circulação, evitando assim o abandono e a propagação de zoonoses. Como a população de baixa renda muitas vezes não tem acesso a esse serviço em razão do custo elevado, a iniciativa ganha também um viés social. Assim, o Ministério Público está cumprindo com o seu papel na defesa da cidadania e dos direitos sociais”, argumentou.

Conforme a presidente da associação, Caroline Perin, a parceria com o MPMT é essencial para o projeto. “Um dos nossos problemas é a falta de verba. Durante a pandemia, tivemos que parar as ações, como venda de rifas e de biscoitos. Os recursos destinados pelo Ministério Público permitem que a iniciativa caminhe”, contou. Ela argumenta que a castração evita crias indesejadas, doenças zoonóticas e doenças nos animais, além de diminuio número de animais nas ruas e, em alguns casos, reduzir comportamentos indesejados como territorialismo e agressividade.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Avião faz pouso forçado no Aeroporto Marechal Rondon
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA