Política Estadual

Deputado Botelho lamenta falecimento de promotor e destaca seu legado

Publicados

em


O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho lamenta o falecimento do promotor de Justiça, Célio Joubert Fúrio, ocorrido, por conta de complicações da Covid-19.

O servidor do Ministério Público Estadual (MPE) foi diagnosticado com a doença em março e foi internado em uma unidade do Hospital Santa Rosa, em Cuiabá. Devido a uma piora no seu quadro clínico, no dia 29 de março o promotor foi transferido para um hospital de São Paulo, onde faleceu na manhã desta sexta-feira (16).

Botelho destacou o perfil do promotor que tinha um excelente trabalho prestado em combate a corrupção, e o descreveu como um  profissional centrado e muito competente.

“A Promotoria de Justiça do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público de Cuiabá perde um grande promotor de Justiça, realizava uma atuação excelente nas questões do patrimônio, com intervenção importante nas esferas políticas, sempre zelando pelas boas práticas na administração pública.”

O deputado também externou as condolências aos familiares e amigos do promotor que durante quase 30 anos prestou serviços em combate a corrupção. Celío Fúrio deixa dois filhos.

Leia Também:  Thiago Silva e vereadores reforçam cobrança para construção de escolas em Rondonópolis

“É lamentável mais uma perda para Mato Grosso, o promotor Célio Fúrio tem sua carreira interrompida tão cedo, mais uma vítima da pandemia. Deixo minhas condolências para a família e amigos neste momento de grande dor!”

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:

Política Estadual

Hospital São Luiz pede apoio da ALMT para reposição de insumos

Publicados

em

Por


Foto: MAURICIO BARBANT / ALMT

Com volume de atendimento de até 500 internações por mês, o Hospital Filantrópico São Luiz,  em Cáceres, precisa de ajuda para repor o estoque de insumos. Acompanhados do prefeito de Salto do Céu, que preside o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Oeste, Mauto Teixeira Espíndola (SD), os representantes da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, entidade gestora da unidade, recorreram ao primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM) para relatar as dificuldades e pedir ajuda na ordem de R$ 1,5 milhão para que a unidade continue em funcionamento.
Ao receber o Ofício 192/2021, durante a reunião, realizada nesta terça-feira (11), Botelho demonstrou preocupação com o sistema de saúde e solicitou ao deputado Dr. João (MDB), presidente da Comissão de Saúde da Casa de Leis, para analisar a viabilidade do pedido.
Espíndola ressaltou a importância da unidade de saúde para a região, informou que além de atender os 14 municípios que compõem o consórcio intermunicipal, também é referência para cidades da região de Pontes e Lacerda e até da Bolívia, devido a sua localização na fronteira Brasil/Bolívia.
“É importantíssimo para a região. Por isso, estamos aqui na Assembleia para poder ajudar. Temos que contribuir para melhorar cada vez mais o hospital. Saímos esperançosos pelo jeito que o deputado nos atendeu muito bem e relatou que tem condições de nos ajudar. Se esses insumos chegarem lá [hospital] vai melhorar muito, vai ajudar nas cirurgias, nas internações, tudo que está precisando. O hospital recebe do governo, sim, mas demora de cem a cento e quinze dias para receber o que foi utilizado. Por isso, estamos aqui em busca de recursos junto ao deputado Botelho”, esclareceu o prefeito.
Frederico Coltro, gerente corporativo de Operações da Pró-Saúde, explicou a importância da reunião na ALMT para esclarecer a situação. Listou que dentre os insumos básicos que faltam estão neurobloqueadores, anestésicos, antibióticos e materiais como luvas, que segundo Coltro, antes, a caixa custava R$ 17,00 e agora custa R$ 117,00.
“Os insumos ficaram muito caros. Viemos pedir ajuda e explicar os impactos catastróficos causados pela pandemia e, principalmente, para abastecer o nosso estoque. Sem os insumos não conseguimos atender. Hoje, estamos com estoque baixo, compramos insumos, mas não são suficientes para atender a demanda da unidade”, explica o gerente de Operações.
Com atendimentos de alta e média complexidades, 156 leitos cadastrados no CNES, sendo 147 destinados ao SUS, atua com clínica médica, obstetrícia, ginecologia, pediatria, UTIs adulto e neonatal, Pronto Atendimento 24 horas, centro cirúrgico e salas para recuperação pós-anestésica, o São Luiz, conforme o ofício, passa por sérias dificuldades para conciliar a aquisição de suprimentos com o efetivo pagamento junto aos fornecedores, pela demora para receber do governo.
“Solicitamos o apoio de nos amparar através da destinação de recursos no valor de R$ 1,5 milhão para regularização dos estoques, única e exclusivamente para aquisição de materiais hospitalares e medicamentos”, diz trecho do ofício, ao pedir urgência na avaliação do pedido.
Também participaram do encontro, o secretário-executivo do consórcio, Danilo Bastos, o contador do consórcio, Ailton Paula de Arruda e Brasílio Ferreira, consultor de sustentabilidade da Pró-Saúde.

Leia Também:  Comissão de Constituição, Justiça e Redação aprecia 179 matérias em 90 dias de trabalhos
Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA