Política Estadual

Deputado articula com Seduc e IFMT retomada do Profuncionário em 2021

Publicados

em


Foto: José Luis Junior Busão / Assessoria de Gabinete

Com vistas à retomada do programa Profuncionário em Mato Grosso, o deputado estadual Allan Kardec (PDT) convocou e mediou uma reunião entre a Assembleia Legislativa, Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Instituto Federal de Educação de Mato Grosso (IFMT), realizada na terça-feira (16). 

O Programa de Formação Inicial em Serviço dos Profissionais da Educação Básica dos Sistemas de Ensino Público (Profuncionário) é o único instrumento de qualificação dos servidores, e atualmente se encontra suspenso por falta de recursos do Governo Federal.

Diante da estagnação do programa, que vem prejudicando os profissionais da educação, técnicos e apoio administrativo, o deputado Allan Kardec tomou a iniciativa de se reunir com o Secretário de Estado de Educação, Alan Porto, e também com o reitor do IFMT, Júlio César dos Santos, para articular a retomada, organizando uma força-tarefa com o objetivo de viabilizar recursos e estrutura.

A pedido de Kardec, o IFMT fez o levantamento de todos os custos para a execução do Profuncionário, que foi encaminhado à Seduc. Por sua vez, o secretário Alan Porto afirmou que o governo do estado tem todo o interesse em viabilizar a realização ainda este ano. A Assembleia Legislativa se disponibilizou a também auxiliar no levantamento deste recurso.

Leia Também:  Empossado há menos de quatro meses, deputado apresenta 65 proposições

Durante a reunião, o secretário Alan Porto convocou a equipe da Seduc, tanto dos setores administrativo-financeiros, quanto da gestão pedagógica e de pessoas, para estudo de viabilização das necessidades demandadas. 

“O secretário recebeu com bons olhos e nos deixou bastante esperançosos, no sentido de retomar ainda neste ano. Ele tem interesse em realizar o Profuncionário, o governo do estado tem interesse em realizar, o IFMT apresentou uma proposta exequível e acredito que temos plenas condições de retomada”, afirmou Kardec ao término da reunião.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:

POLITICA

Fávaro pede que projeto que autoriza aviação agrícola contra incêndios seja votado na Câmara

Publicados

em

Por

JB News

Por Glaucio Nogueira

Na semana em que deputados federais e senadores retornam às sessões, o senador Carlos Fávaro (PSD-MT) reforçou o pedido para que a Câmara dos Deputados aprove o Projeto de Lei que autoriza o uso da aviação agrícola no combate a incêndios florestais (PL 4629/2020). O texto foi aprovado pelo Senado em setembro do ano passado e desde maio está parado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara, último passo antes de seguir ao a plenário.

“Já estamos novamente sofrendo com o período das queimadas, somente neste ano cerca de 70mil hectares do bioma Pantanal sofreram com as queimas. As cenas são assustadoras e a sociedade espera do Poder Público uma resposta rápida, para que não haja a repetição da devastação que vimos”, destacou Fávaro, o que justifica uma análise mais célere por parte da Câmara dos Deputados.

Atualmente, o projeto encontra-se na CCJC, presidida pela deputada federal Bia Kicis (PSL-DF). “Por isso, respeitando a autonomia da Câmara, peço que a deputada coloque este projeto em pauta e que, indo a plenário, o presidente da Casa, deputado Arthur Lira, inclua entre os projetos a serem votados pelos parlamentares. Aprovamos este projeto de forma muito célere no Senado e é de fundamental importância que o mesmo aconteça nesta etapa da tramitação”.

Leia Também:  Deputado Moretto alcança 1.214 proposições e destaca avanço na região Oeste

Fávaro lembrou que o projeto, além de aumentar a capacidade do Poder Público em combater crimes ambientais, traz um ganho econômico a um setor que fica ocioso nesta época do ano. “Temos a segunda maior frota de aviões agrícolas no mundo e este é um excelente projeto, não há quem seja contra. Por isso, reitero meu apelo para que a Câmara dos Deputados vote este projeto”.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA