CULTURA

Biografia em 1 Minuto’ homenageia artistas mato-grossenses

Publicados

em

 

Com o objetivo de preservar a memória dos artistas mato-grossenses, a  Associação Cultural Cena Onze e a MT Escola de Teatro lançaram o projeto Biografia em 1 Minuto, uma pesquisa sobre a história das pessoas que abriram caminho e fixaram na memória do povo a importância da cultura de Mato Grosso. As biografias poderão ser acompanhadas durante todo o ano de 2022, sendo o primeiro homenageado o artista plástico Adir Sodré.

De acordo com o diretor artístico da Associação Cultural Cena Onze, Flávio Ferreira, foi a partir do momento em que percebeu-se que a memória dos precursores da cultura local estava se perdendo, que surgiu a necessidade da pesquisa histórica.

“São pessoas importantíssimas, que abriram os caminhos e investiram na cultura e na arte local. Então, entendemos que essas pessoas têm ficado esquecidas, depois de suas mortes, ninguém mais lembra que ela esteve por aqui, quais foram as contribuições deixadas para Mato Grosso”, pontua Flávio.

Para o Coordenador Pedagógico do Curso Superior de Tecnologia em Teatro da MT Escola de Teatro (Unemat), Agnaldo Rodrigues da Silva, homenagear os artistas mato-grossenses é reconhecer o legado que eles deixaram. “O que, sem dúvida, abriu caminho para muitos outros que vieram depois. Essas personalidades são ícones da nossa cultura, da nossa história, da nossa memória e da nossa identidade. Por isso, é preciso dar fôlego a projetos como este, que demonstram a nossa riqueza cultural e literária. E reconhecer que no nosso estado há pessoas que fizeram e que fazem cultura”, salienta ele.

Leia Também:  Salgadinho do Katinguelê, Pagodão S.A, Banda Tarraxinha, Erre Som e mais no Carnaval da Gente 2020

Escolhido para abrir os tributos, o pintor e desenhista rondonopolitano, Adir Sodré, destacava suas obras pelo colorido exuberante e pela  temática social de caráter irreverente. Vítima de um infarto ocorrido em agosto de 2020, suas pinturas colorem e embelezam diversas áreas da capital, incluindo alguns viadutos.

“A questão da valorização da cultura ainda é muito recente em nosso Estado. É importante que nós conheçamos as nossas raízes para poder preservá-las. Daí a necessidade de se conhecer as gerações de pessoas que contribuíram, e muito, e que se dedicaram a valorizá-las”, destaca o diretor artístico.

As homenagens podem ser acompanhadas todos os domingos por meio das redes sociais da Associação Cultural Cena Onze, do Cine Teatro Cuiabá e da MT Escola de Teatro.

Além de Adir Sodré, Marília Beatriz, Magna Domingos, Luiz Carlos Ribeiro, Clóvis Irigaray, Regina Penna, Nanah Varela, Zé Bolo Flô, Zulmira Canavarros, Dunga Rodrigues, Dom Aquino Correia, Guilherme Dick, Bolinha, Chico Amorim, Agostinho Bizinoto e Liu Arruda, serão os primeiros reverenciados neste tributo.

Leia Também:  Film Comission será tema de discussão nesta quinta-feira

Sobre o Associação Cultural Cena Onze

A Associação Cultural Cena Onze surgiu como um grupo de teatro em 1989 em Cuiabá e região. Ao longo dos anos foram dezenas de espetáculos encenados, mais de 2 mil alunos de teatro, dança, música, artesanato, pintura, etc.

Sobre a MT Escola de Teatro

A MT Escola de Teatro é um polo de formação criado e mantido através da parceria entre Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (SECEL-MT), Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Associação Cultural Cena Onze e Associação dos Artistas Amigos da Praça de São Paulo (Adaap), se destacando por ser o único Curso Tecnológico Superior de Teatro de Mato Grosso, oferecendo aos alunos de graduação sete áreas de especialização.

 

Yod Comunicação 

 

COMENTE ABAIXO:

CUIABÁ

Projeto Telharte é realizado no Quintal da Domingas em São Gonçalo Beira Rio

Publicados

em

Por

JB News

Por Malu Souza

O projeto Telharte, desenvolvido pela professora, artesã e ceramista Edilaine Domingas, que ministra uma oficina presencial para vinte alunas, tem como principal objetivo, valorizar as mulheres de baixa renda, através do artesanato em telha. A oficina foi realizada de 07 a 14 de maio, das 8h ás 12h, no Quintal da Domingas. O artesanato em cerâmica é um dos símbolos da comunidade ribeirinha de São Gonçalo Beira Rio.
Conforme Edilaine, o Telharte é um projeto vinculado ao Ponto de Cultura, que busca dar oportunidades ás mulheres, mães de baixa renda, para que elas possam desenvolver habilidades manuais e contribuir com uma fonte de renda para a família, com a produção e venda do artesanato. “Nossa meta é ensinar a fazer o artesanato em telha, mas principalmente despertar nelas o potencial de cada uma, contribuir com a autoestima e oferecer a elas a possibilidade de uma geração renda”, disse Edilaine, lembrando que também aprendeu a arte em casa, e quer repassar o seu conhecimento.
A tradição da arte em telha vem sendo cultivada desde a sua infância. A ceramista carrega os seus valores familiares e com determinação, reaproveita a matéria-prima da telha com perfeição, elaborando peças com cores vibrantes e homenageia personagens da cultura regional, como as dançarinas de Siriri, índios e outros. “Vem sendo repassada desde a minha avó, para minha mãe, e agora na terceira geração, dou continuidade com muito orgulho. A telha para mim tem uma forte simbologia, pois ela cobre o teto das pessoas. Amo trabalhar com esta arte, que também está ligada a minha história de vida”, frisou a ceramista, informando que seu trabalho também poderá ser levado também a outras comunidades e cidades de Mato Grosso, por meio de novas parcerias.

Leia Também:  Filme aborda experiências e memórias de imigrantes que vivem em Cuiabá e Lisboa


A oficia ministrada por Edilaine, foi organizada por uma equipe integrada pelo produtor, Jean Delgado e o assistente de produção, Jonnhy Brandão, pela produtora cultural e historiadora Natália Ramires, e também o produtor convidado Avinner Augusto.

História: A comunidade de São Gonçalo Beira Rio é o berço da cultura mato-grossense, tem o seu reconhecimento pelas tradições culturais, especialmente a dança e o artesanato em cerâmica. O trabalho reflete o desejo de manter viva a identidade cultural da comunidade, que é referência histórica e cultural, e que perpetua práticas e saberes perpassados por gerações. Tombada desde 1992, como área de preservação, produção e comercialização da cerâmica, se destaca uma das mais antigas manifestações culturais de Cuiabá. O fomento e valorização artesanato são prioridades para seus moradores.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA