Política Estadual

Alta Floresta é contemplada com nova sede da Escola Militar Dom Pedro II

Publicados

em


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

A Escola Militar do Corpo de Bombeiros Dom Pedro II de Alta Floresta (MT) foi contemplada com uma nova sede, no dia 1° de setembro, para atender inicialmente 668 alunos matriculados. O novo espaço definido é a antiga Escola Estadual Vitória Furlani da Riva que possui espaço amplo e, que no próximo ano, disponibilizará 1.200 vagas. Esse resultado faz parte de uma das articulações que o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) realizou junto à Secretaria de Educação de Mato Grosso (Seduc).

O parlamentar esteve com o secretário Alan Porto, juntamente com o vereador Luciano Silva (Pode), de Alta Floresta, no dia 11 de fevereiro deste ano, para tratar sobre as condições físicas da antiga unidade da Escola Militar Dom Pedro II, instalada no segundo semestre de 2018, com cerca de 300 alunos do 7° ano do ensino fundamental ao 3° ano do ensino médio matriculados. “Havíamos nos reunido com o secretário Alan [Seduc] para ver a situação da unidade militar. Isso porque o espaço físico era, até então, muito pequeno considerada a procura e, consequentemente, inadequado para atender a comunidade escolar”, lembra.

Leia Também:  ALMT promove debate sobre fechamento de escolas

Unidade

A unidade militar Dom Pedro II é uma instituição dirigida pela 7ª Companhia do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBMMT) . Anteriormente, a escola ocupava  um espaço cedido pela Secretaria Municipal de Esportes. “Temos que pensar em Alta Floresta no sentido do redimensionamento e ordenamento. A gente faz todo o levantamento e analisa os prédios. A gente vai ter a real situação e fomentar o município com recursos financeiros e apoio técnico com o regime de colaboração”, explicou o secretário Alan no encontro com Claudinei.

Uma preocupação, que gerou debate junto à Seduc  era que,  com a escolha da Escola Estadual Vitória Furlani da Riva,  fazia-se necessário manter a denominação original da unidade – uma homenagem à mãe do colonizador Ariosto da Riva,  importante defensor da educação no município, na década de 70. “Ainda bem que foi mantido o nome da antiga escola na unidade militar. Assim, mantém o propósito feito anteriormente, em respeito à história vivenciada e construída e, principalmente, aos familiares de Vitória Furlani da Riva”, declarou Claudinei.

Leia Também:  Estado deve custear tratamento particular para pacientes infectados pela Covid-19

A implantação de escolas militares Tiradentes envolve uma parceria entre a Seduc e a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp), por meio da CBMMT, envolvendo as áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa, com a participação do corpo docente da escola e apoio dos militares que levarão instruções militares, ensinamentos de disciplina, organização e patriotismo.

Instituição – Em 2020, a Escola Militar Dom Pedro II de Alta Floresta teve destaque, em primeiro lugar, no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) no município; terceiro entre as escolas estaduais e em quarta colocação entre todas as escolas públicas do estado de Mato Grosso.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:

Política Estadual

ALMT promove debate sobre fechamento de escolas

Publicados

em

Por


Foto: Ronaldo Mazza

Sob a condução do deputado estadual Alan Kardec (PDT), a Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) promoveu na tarde de quinta-feira (23/09) reunião com diretores de escolas estaduais para discutir o fechamento de importantes unidades de ensino pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), sob alegada “reorganização” estrutural. 

A reunião contou ainda com participação dos deputados Valdir Barranco (PT) e Wilson Santos (PSDB) – este presidente da Comissão de Educação -, por meio de videoconferência. O debate também teve a participação de diversos diretores de escolas públicas, além de professores, sindicalistas e estudantes. 

FECHAMENTO DE ESCOLAS 

Logo no início do ano, quando ainda contava poucos dias à frente da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), o secretário Alan Porto confirmou o fechamento de 19 escolas em Mato Grosso. Do total de unidades de ensino que serão desativadas, duas são de Cuiabá e três de Várzea Grande. A confirmação da desativação das escolas foi feita pelo gestor após audiência na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), realizada no dia 25 de janeiro. 

Leia Também:  Lei garante a motoristas de aplicativo o direto de utilizar carros em nome de parente consanguíneo

 “O que nós estamos fazendo é um redimensionamento e reordenamento das nossas unidades escolares, que tem como foco uma infraestrutura mais adequada, um Ideb de qualidade e a localização dos nossos alunos”, tentou explicar o secretário aos parlamentares naquela ocasião. 

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA