Cidades

Frente fria chega em Mato Grosso e Cuiabá pode fazer 8ºC segundo a meteorologia

Publicados

em

JB News

Por Nayara Cristina

Uma massa de origem polar que chegou na noite desta terça-feira (27.07) no Brasil pode ser uma das mais intensas já vista segundo os indicadores da temperatura, uma das mais intensas do século em todo território nacional.

Em Mato Grosso os ventos fortes já foram sentidos, na capital a queda da temperatura já pode ser verificada, pelos registros será um dos finais de semana mais frio de todos os tempos na capital e em toda a região metropolitana.

Os modelos numéricos analisados pela MetSul Meteorologia, os indicadores informa de forma sistemática que será um erupção de ar gelado muito intensa, muito mais fortes do que as dos meses anteriores.

Pelos registro da MetSul, a chegada da onda polar excepcional teria uma força e magnitude raramente visto na história recente. E que não há dúvidas que o frio será intenso.

A partir dos dados observados chegou a ser apontado 5ºC e -6ºC no Sul do Brasil.

Leia Também:  Sema indefere instalação de usina no rio Sepotuba em Tangará da Serra   

De acordo com o Centro de Previsão de Tempos e Estudos (CPTEC), Ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Cuiabá pode ter a mínima de 8 ºC. Com a chegada da frente fria desta terça-feira, os termômetros poderia registrar a mínima de 17 ºC com máxima de 28 ºC, até quarta-feira (28.07).

Já na quinta-feira (29.07), a temperatura continua a cair, a mínima prevista é de 12 ºC, a máxima não deve passar de 23 ºC.

Na sexta-feira (30.07), a promessa é que a caia ainda mais tanto em Cuiabá como em Chapada dos Guimaraes com a mínima de 8 ºC, e a máxima de 26 ºC.

Em Rondonópolis a expectativa é que o termômetros cheguem a 10 ºC nesta quinta-feira (29.07).  Cáceres e Tangará da Serra pode registrar 11 ºC nesta sexta-feira (30.07), Segundo os especialistas em Tangará o frio pode ser tão intenso quanto o da capital chegando a 09 ºC indo até domingo podendo subir um pouco mais de 10 ºC.

COMENTE ABAIXO:

Cidades

MPMT destina R$ 46 mil a projeto de castração solidária em Sinop

Publicados

em

Por

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 3ª Promotoria de Justiça Cível de Sinop (a 500km de Cuiabá), destinou R$ 46.287,30 à Associação Atitude Real de Carinho e Amor (Arca) – Castração Solidária, nos últimos cinco meses, para aplicação na Campanha de Seleção para Castração de Animais de Tutores Carentes. Os recursos são oriundos de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) e outros acordos firmados pela instituição. A Arca, que é cadastrada no Banco de Projetos e Entidades (Bapre) do MPMT, já castrou mais de 100 animais em Sinop, entre gatos e cachorros, fêmeas e machos.

A iniciativa seleciona tutores com renda familiar de até trêssalários-mínimos. Após aprovada a solicitação e autorizada a castração, o tutor é encaminhado para uma das clínicas credenciadas, onde é agendado o dia da castração. O projeto custeia o transporte, até dois exames pré-cirúrgicos, cirurgia com anestesia inalatória, medicação pós-cirúrgica, avalia a necessidade individual de cada animal sobre itens de segurança (cones e roupinhas) e o transporte de volta para casa. Animais de rua também são beneficiados, desde que um tutor se responsabilize por ele.

O promotor de Justiça Pompílio Paulo Azevedo Silva Neto destaca a importância da iniciativa para a saúde pública. “A castração de animais de rua ou que tenham como tutores pessoas de baixa renda ajuda a fazer um controle da quantidade de animais em circulação, evitando assim o abandono e a propagação de zoonoses. Como a população de baixa renda muitas vezes não tem acesso a esse serviço em razão do custo elevado, a iniciativa ganha também um viés social. Assim, o Ministério Público está cumprindo com o seu papel na defesa da cidadania e dos direitos sociais”, argumentou.

Conforme a presidente da associação, Caroline Perin, a parceria com o MPMT é essencial para o projeto. “Um dos nossos problemas é a falta de verba. Durante a pandemia, tivemos que parar as ações, como venda de rifas e de biscoitos. Os recursos destinados pelo Ministério Público permitem que a iniciativa caminhe”, contou. Ela argumenta que a castração evita crias indesejadas, doenças zoonóticas e doenças nos animais, além de diminuio número de animais nas ruas e, em alguns casos, reduzir comportamentos indesejados como territorialismo e agressividade.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  “Estudo da UFMG mostra que todos os casos de desmatamento ilegal em MT foram autuados”, afirma governador
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA