MEIO AMBIENTE

Várzea Grande está entre as cidades da região Metropolitana com menor número de focos de calor em 2021

Publicados

em

Parceria com Corpo de Bombeiros reduziu focos de incêndios e ampliou área de atuação no ano passado.

Várzea Grande encerrou o ano de 2021 entre os três municípios, sob atuação do Comando Regional 1 do 2º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, a registrar o menor número de focos de incêndios urbanos. Conforme balanço apresentado pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural Sustentável (SEMMADRS) e a corporação, os registros passaram de 48 em 2020 para 33 no ano passado, queda anual de 31,25%.

Em 2021, ainda antes do início da temporada de estiagem – que é crítica entre julho e setembro no Estado – a prefeitura e o Corpo de Bombeiros revalidaram a parceria, por meio do projeto de Prevenção e Combate à Incêndios em terrenos urbanos, o PrevQueimadas. “Diante dos resultados satisfatórios já contabilizados em 2020, renovamos a dobradinha de atuação e vamos seguir juntos no combate aos incêndios urbanos. Não temos dúvidas de que o projeto contribuiu para a melhoria da qualidade do ar e segurança à população e ao patrimônio público e privado, nesse período crítico, na medida em que reduziu o tempo resposta, no combate aos pequenos focos de incêndio, na área urbana”, frisou o prefeito Kalil Baracat, que reassumiu o Executivo hoje (24), após duas semanas.

Leia Também:  Audiência pública debate Impacto Ambiental do projeto da Ferrovia de Integração Estadual de MT

Segundo o balanço, 52% das ocorrências de incêndios em vegetação – durante o período proibitivo – em Várzea Grande, foram realizadas por meio de viaturas e brigadistas do PrevQueimadas. Ainda conforme o 2ª Batalhão, “com o incremento dos recursos do Projeto, o número de ocorrências de incêndios em vegetação, em Várzea Grande, aumentou em 26% na comparação entre os resultados de 2020 e 2021”.

O titular da SEMMADRS, Célio Santos, aponta que nunca é demais lembrar que todo grande incêndio começa com um pequeno foco de calor. “A prefeitura disponibilizou duas caminhonetes equipadas com reservatório de água e um caminhão pipa, com motorista e combustível, insumos decisivos para a obtenção desses resultados. Em 2022 estaremos juntos novamente”.

Santos frisa ainda que embora a Prefeitura Municipal de Várzea Grande esteja atuando ao longo do ano com grande rigor na fiscalização dos terrenos urbanos, como forma de impedir o acúmulo de lixo e, consequentemente, “de combustível para as queimadas”, a ação integrada faz toda a diferença na hora de combater os incêndios. “O tempo de resposta é menor e a atuação é impetrada por especialistas, que são os militares do Corpo de Bombeiros, com suporte do Município”.

Leia Também:  Pesquisa aponta eleição de Kalil em VG neste domingo

Acorizal e Jangada lideram as baixas sobre o número de focos de calor com dois e oitos apontamentos, respectivamente. O Comando atua nos 11 municípios que formam a região Metropolitana de Cuiabá.

‘VG SEGURA’ – As parcerias entre a Prefeitura Municipal de Várzea Grande e o Corpo de Bombeiros não se restringem ao combate às queimadas. No programa ‘VG Segura’, os bombeiros formam brigadistas contra incêndios e primeiros socorros em órgãos públicos e grandes empresas. No âmbito municipal 200 servidores passaram pela capacitação. Atualmente, em cada escola ou creche, há um profissional formado pelo programa.

O 2º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar, em Várzea Grande, é referência em busca e resgate com cães, tendo parte de canil atuado na tragédia de Brumadinho (MG), quando os cães ficaram cerca de 100 dias em atuação.

 
COMENTE ABAIXO:

Destaque

SEMA divulga que órgãos do governo não participam da operação em Colniza na reserva Roosevelt

Publicados

em

Por

JB News

Por Alisson Gonçalves

A Secretária de Meio Ambiente de MT, esclacereu o motivo da não partição do governo de MT na operação em Colniza, na reserva Roosevelt.

De acordo com às informações nenhum órgão estadual, faz parte da ação, que foi desenvolvida apenas pelo Ibama, ICMBio e Forças de Segurança nacional.

“Não tem participação do Governo de Mato Grosso, Sema e nem das Forças de Segurança estaduais. É uma operação exclusivamente do Ibama, ICMBio e Força Nacional. Não tivemos participação no planejamento e ciência de qual a forma como está sendo realizada a operação em Colniza”, afirmou a secretária.

A operação em Colniza tem como objetivo desarticular criminosos, que praticam a extração ilegal de madeira, já que o lugar é uma área de reserva ambiental.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Grupo Rodeio ingressa pedido de recuperação judicial com R$ 24,8 mi de dívidas
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA