Política Estadual

Thiago Silva cobra transporte intermunicipal entre Guiratinga, Tesouro e São José do Povo

Publicados

em

O deputado estadual Thiago Silva recebeu na última semana na Assembleia Legislativa o presidente da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager-MT) Fabio Calmon. Na oportunidade, ambos puderam debater a questão do transporte intermunicipal entre os municípios da região sudeste do Estado.
O parlamentar tem recebido diversas reclamações de munícipes da região por conta da falta de opções de transporte intermunicipal que atendam os municípios de Rondonópolis, Guiratinga, Tesouro e São José do Povo e busca uma solução junto ao Estado.
“Hoje não temos transporte intermunicipal na região que atendam em os horários comerciais a necessidade do trabalhador, que muitas vezes trabalha em outra cidade e para não faltar seu horário de expediente, eles tem que ir de taxi, gastando muito dinheiro. Buscamos uma solução junto ao Estado para que haja economicidade e eficiência no transporte desses trabalhadores”, disse o deputado Thiago.
O presidente da Ager Fabio orientou que o estado deve fazer audiências públicas nesses municípios (assim como foi feito na baixada cuiabana) para encontrar junto da população os melhores horários que possam atender a demanda dos trabalhadores. Thiago Silva irá trabalhar para que seja resolvido o quanto antes essa situação que tem atrapalhado a vida de centenas de pessoas.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Morre de infarto em Cuiabá o jornalista Rodivaldo Ribeiro
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estadual

Deputado Dilmar defende unificação das carreiras da administração tributária em MT

Publicados

em

Líder do governo na AL defende unificação das carreiras da administração tributária

JBN

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM), líder do governo na Assembleia Legislativa, defende a unificação das carreiras específicas da Administração Tributária da Secretaria de Fazenda do Estado de Mato Grosso (Sefaz-MT), com a efetiva participação dos Agentes de Administração Fazendária (AAF’s). Há mais de 20 anos, os AAF’s lutam para que o Estado cumpra uma  sentença transitada em julgado, que reconheceu suas atribuições como específicas da administração tributária e determinou a isonomia com os Fiscais de Tributos Estaduais (FTE’s).

Dilmar reforça a necessidade de pensar o Estado em um contexto único. “Já conversei com o governador Mauro Mendes e o secretário Rogério Gallo sobre a importância desses profissionais, que podem contribuir muito mais com o estado. São pessoas que possuem conhecimento e formação igual aos demais servidores, não podemos tratá-los diferentes, já que são da mesma categoria. Eles não demonstraram ser diferentes do que eu penso”, declarou.

Segundo o deputado, é preciso achar um encaminhamento da unificação, da união das categorias para que todos os servidores prestem o serviço com excelência ao usuário que fica lá no município e que necessita dos serviços da Sefaz. “Vou continuar lutando para ajudar essa categoria, entendo que são irmãos trabalhando no mesmo ambiente de trabalho, mas sendo tratados de forma diferente. Precisamos urgentemente resolver isso, talvez com uma lei que dê garantia de todos estarem integrados numa definição só na Secretaria. Com a unificação a sociedade terá mais qualidade no atendimento”, completou.

Recentemente, o Governo do Estado editou o Decreto 559/2020, determinando a extinção dos Agentes de Tributos Estaduais (ATE’s) e o aproveitamento na carreira de Fiscais de Tributos Estaduais (FTE’s), classe A, nível I. Excluiu do decreto os AAFs e os Agentes de Fiscalização e Arrecadação de Tributos Estaduais (AFATE’s) de também serem extintos e aproveitados no mesmo ato, atendendo o que regulamenta a disposto na Constituição Estadual de Mato Grosso (Art. 45, X, c/c o Art. 60, VII, dos ADCT).

Leia Também:  No aniversário do ECA, Governo de MT autoriza construção de socioeducativo em Rondonópolis

O presidente do Sindicato dos Agentes de Administração Fazendária de Mato Grosso (SAAFEMT), Manoel Teixeira, ressalta que o apoio dos deputados é muito importante para resolver essa questão que se arrasta há tantos anos. “A justiça reconheceu nossas atribuições e determinou isonomia com os fiscais de tributos, sentença transitada em julgada que até hoje o Estado insiste em não reconhecer. Contamos com o auxílio dos deputados, junto ao Governo do Estado, para analisar o nosso importante papel e reconhecer nossos direitos de uma vez por todas”, conclui.

Manoel alerta que devido a retirada das atribuições dos agentes fazendários nos últimos anos, a Sefaz conta hoje com uma fila gigantesca de processos parados, prejudicando os contribuintes que dependem da análise para dar encaminhamento aos negócios.

Atualmente, são 165 agentes fazendários que prestam serviços em todo o estado, por meio das Agências Fazendárias.

Foto: Assessoria
Por Luciane Mildenberger
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA