Policial

Taxa de homicídios de Mato Grosso em 2019 é a menor da década afirma governo

Publicados

em

Ano passado fechou com 842 assassinatos, uma queda de 8,1 % em relação a 2018

Débora Siqueira

– Foto por: Lenine Martins
A | A

Mato Grosso fechou o ano de 2019 com a menor taxa de homicídios dos últimos 10 anos. De 1º de janeiro a 31 de dezembro do ano passado foram contabilizados 842 assassinatos no Estado, número 8,1% menor do que os 961 casos registrados pelas polícias Militar e Judiciária Civil em 2018. A taxa de homicídio ficou em 24,19 morters a cada 100 mil habitantes. As informações são da Coordenadoria de Estatísticas e Análise Criminal (Ceac) da Secretaria de Estado de Segurança Pública.

Dentre as vítimas de assassinatos, 90% são homens e 10% são mulheres. Dos 87 casos de homicídios com vítimas femininas, 39 foram classificados como feminicídio, ou seja, a motivação do crime foi apenas pelo fato de a vítima ser uma mulher.

Para reduzir o número de mortes, foi fundamental entender a motivação dos crimes, pesquisando as causas do assassinato. Foram avaliados fatores que provocam os homicídios, como drogas, desajustes sociais, álcool, crime organizado, passional e conflitos agrários.

Leia Também:  Rotam prende homem por resistência, desobediência, ameaça e uso ilícito de drogas

“A redução dos homicídios se deve a uma série de fatores. O enfraquecimento das facções criminosas com a Operação na Penitenciária Central de Cuiabá, o fortalecimento das atividades no sistema penitenciário, políticas públicas voltadas à preservação da vida, investimentos em prevenção, inteligência, fortalecimento dos setores de investigação e perícias, análise criminal de maneira geral como forma de conhecer a dinâmica dos crimes para um policiamento orientado em todas as modalidades que possam prevenir o crime”, destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

Dentre as 15 Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), Cuiabá teve a segunda menor taxa de homicídios: 15,66 mortes a cada 100 mil habitantes. O ano fechou com 104 assassinatos nos sete municípios que compõe a Risp de Cuiabá, 16,8% a menos do que em 2018, que registrou 125 casos. Barra do Garças tem a menor taxa com 14,87 homicídios a cada 100 mil habitantes.

Nove Regiões Integradas de Segurança Pública apresentaram redução nas taxas de homicídios dolosos, mas seis tiveram taxas acima da média estadual. As maiores reduções foram nas Risps de Pontes e Lacerda, Primavera do Leste e Alta Floresta.

Leia Também:  Aproximação e planejamento viabilizam ações de prevenção à criminalidade em MT

As menores taxas por 100 mil habitantes estão nas Risps de Barra do Garças, Cuiabá e Alta Floresta (18,17/100 mil hab).

“Conforme o último Anuário de Segurança Pública referente a homicídios dolosos em 2018, a taxa nacional naquele ano foi de 23,5 a cada 100 mil habitantes, o que demonstra que Mato Grosso, depois de muitos anos com índices acima da média nacional, começa a demonstrar uma grande tendência de redução”, finalizou Bustamante.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Gaeeco prende acusado de tráfico de drogas no transporte de grãos em MT

Publicados

em

Foi preso nesta terça-feira (18) em Sinop por agentes do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de Sorriso e Cuiabá, um homem acusado de integrar organização criminosa, que utilizava o transporte de grãos para acondicionar droga (maconha). O mandado de prisão temporária foi expedido pela Justiça de Santa Catarina na operação “Peito de Aço”, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do referido estado, em apoio às 2ª e 4ª Promotorias de Justiça de São Miguel do Oeste.

Na operação, foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, nove mandados de prisão temporária e 21 mandados de busca e apreensão nas Comarcas de São Miguel do Oeste, Descanso, Campos Novos, Catanduvas, Cunha Porã, Joaçaba e Rio do Campo, além de cidades nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Além disso, foram apreendidos bens no total de R$ 893.547,00, e o valor estimado da droga apreendida é de R$ 1.519.000,00, o que totaliza um prejuízo de R$ 2.412.547,00 à organização criminosa. A droga tinha como origem o Estado do Mato Grosso do Sul e como destino os Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

São apurados crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, associação criminosa, porte ilegal de armas e munições e lavagem de dinheiro. No decorrer da investigação foram apreendidas mais de uma tonelada e meia de maconha, além de haxixe, arma e munições, o que acarretou a prisão preventiva de cinco pessoas.

O nome da operação é alusivo ao local em que comumente era ocultada a droga, em um compartimento dissimulado localizado no “peito de aço” dos caminhões. Participam da operação integrantes dos grupos regionais do Gaeco de Blumenau, Florianópolis, Chapecó, Joinville, Lages e São Miguel do Oeste, de Maringá e Guarapuava, no Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, DENARC do Paraná, Departamentos Prisionais do Paraná e Mato Grosso do Sul, Pelotão de Patrulhamento Tático do 13º Batalhão da Polícia Militar (Rio do Sul), Canil Setorial do 10° Batalhão (Blumenau), Rádio Patrulha da Polícia Militar de Santa Terezinha, Rádio Patrulha da Polícia Militar de Rio do Campo e Canil da Divisão de Investigação Criminal de Lages, além do apoio do Instituto Geral de Perícias.

No curso da investigação prestaram auxílio nas apreensões e prisões as policias Civil, Militar, Rodoviárias Estadual e Federal dos Estados de Santa Catarina, Paraná e a Polícia Rodoviária Federal do Mato Grosso do Sul.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Botelho diz que discussão sobre eleição da mesa diretora somente a partir de maio
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA