Internacional

Taiwan denuncia a entrada de 21 caças militares chineses na ilha

Publicados

em

Taiwan denuncia incursão de caças chineses
Flickr

Taiwan denuncia incursão de caças chineses

Em mais um episódio da tensão provocada pela visita da presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, a Taiwan , o governo de Taipei denunciou a incursão de 21 caças chineses na área de identificação de defesa aérea.

Entre as aeronaves, estão oito J-11 e 10 J-16, que invadiram o espaço aéreo na parte sudeste da ilha.

Além disso, Taiwan negou a informação de Pequim que caças SU-35 da força aérea atravessaram o estreito que separa o território da China enquanto o avião de Pelosi se dirigia ao aeroporto.

Visita de Nancy Pelosi

A presidente da  Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, chegou nesta terça-feira em Taipé, na primeira visita de um integrante dos altos escalões políticos americanos à ilha desde 1997, e que deve acirrar as já tensas relações entre Pequim e Washington. 


A viagem foi mantida em sigilo por semanas, e apesar das promessas da Casa Branca de que tudo transcorrerá “em segurança”, o presidente chinês, Xi Jinping, alertou os EUA para que “não brinquem com fogo”, se referindo a Taiwan.

Por volta das 22h40, pelo horário local, 11h40 pelo horário de Brasília, o Boeing C-40C, da Força Aérea dos EUA, pousou no aeroporto de Songshan, nos arredores de Taipé, vindo de Kuala Lumpur, na Malásia. 

A rota usada foi pouco usual, como mostrou o site de monitoramento FR24: a aeronave contornou as Filipinas, e não passou pelo Mar do Sul da China, área onde Pequim tem disputas territoriais com os vizinhos e mantém presença militar ostensiva. Antes da chegada, uma mensagem de boas vindas foi projetada no arranha-céu Taipei 101, de 438 metros de altura.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia Também:  Israel mantém ataques e Jihad Islâmica retalia com foguetes em Gaza

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:

Internacional

Guerra: Zelensky diz que confronto terá fim com libertação da Crimeia

Publicados

em

Por

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky
Ansa

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky , afirmou que a guerra iniciada pela Rússia só terminará com a “libertação” da Crimeia, anexada unilateralmente por Moscou em 2014.

“Essa guerra russa contra a Ucrânia, contra toda a Europa livre, começou com a Crimeia e deverá terminar com a Crimeia, com a sua libertação. Hoje é impossível dizer quando isso acontecerá, mas sei que voltaremos a ter a Crimeia ucraniana”, disse em seu discurso diário.

O mandatário ainda afirmou que o “mundo errou em não responder com toda a força os primeiros passos agressivos da Rússia em 2014”.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia Também:  Ministro de Taiwan afirma que a China se prepara para invadir a ilha

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA