EDUCAÇÃO

Senador Carlos Fávaro solicita à UFMT que conclua processo de revalidação de diplomas médicos

Publicados

em

Fávaro solicita à UFMT que conclua processo de revalidação de diplomas médicos

Enquanto falta de médicos se torna empecilho para ampliação de leitos de UTIs em Mato Grosso, mais de mil profissionais aguardam prova da UFMT

Diante da alta demanda por médicos para atuar na linha de frente de combate à Covid-19 em todo o país, as dificuldades de contratação de profissionais por parte do Governo de Mato Grosso já refletem até no sistema de saúde de outros estados. Enquanto isso, mais de mil médicos formados no exterior, que desde 2018 passam pelo sistema de complementação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) aguardam apenas uma avaliação final para atuar legalmente no Brasil.

A oferta de profissionais capacitados, adaptados às normas brasileiras e ambientados com o sistema de saúde do país é essencial para o enfrentamento da epidemia. Por isso, o senador Carlos Fávaro (PSD-MT) requereu à UFMT a aplicação da IV Etapa do processo de revalidação do diploma de médico formado no exterior em caráter emergencial.

Conforme a instituição, a prova prevista para o dia de agosto foi suspensa em razão da pandemia sem previsão de nova data.

A fim de manter as medidas de segurança, o senador sugere que a prova seja feita de forma remota, em conformidade com a Portaria nº 544 do Ministério da Educação (MEC), que autoriza as instituições de ensino superior a utilizarem as tecnologias de ensino à distância.

Vale ressaltar, ainda, que a Portaria nº 374, também do MEC, autorizou, em abril, a antecipação da formatura de profissionais da saúde que já tivessem cumprido 75% do estágio supervisionado.

Leia Também:  Mato Grosso deve receber vacinas contra a covid-19 ainda esta semana

O Revalida é aplicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), que não realiza provas desde 2017. Quanto a isso, o senador Carlos Fávaro (PSD) também fez uma indicação ao presidente Jair Bolsonaro para que edite uma Medida Provisória autorizando a prova remota, em caráter emergencial.

Sem o processo realizado pelo Inep, a opção é buscar a certificação por meio das universidades que têm autonomia para desenvolver processos próprios, como a UFMT.

No caso dos complementandos que aderiram ao Edital 003/FM/2018 da universidade, os profissionais passaram pela primeira fase que inclui a verificação de documentos, grade curricular e carga horária. Em seguida, passam por uma prova teórica, cuja pontuação define o tempo de complementação (um ano ou um ano e meio). Neste período, ficam em regime de 9 horas em hospitais, passando por cinco rotações: ginecologia e obstetrícia, pediatria, cirurgia geral, clínica médica e saúde preventiva. Em cada uma das etapas é feita avaliação prática.

Ao todo, 1021 médicos já concluíram estas três primeiras etapas para a revalidação do diploma. A Etapa IV foi instituída durante o edital lançado em 2017. Até o ano passado, os médicos formados no exterior que tentavam a revalidação por meio da UFMT não precisavam passar por esta última avaliação.

Durante a vigência do edital, ou seja, até a avaliação final, que consiste em prova discursiva, os médicos não podem se inscrever em programas como o Mais Médicos, por exemplo, nem participar de outros processos de revalidação. Eles somente podem exercer a profissão após a conclusão do processo.

Leia Também:  AMM busca apoio para estruturar escolas municipais no retorno às aulas

“Estamos vivendo um momento drástico e a UFMT tem muito a contribuir podendo disponibilizar mais mil médicos capacitados e ambientados com a saúde brasileira para atuar no combate à pandemia. Foi feito um processo rigoroso e, assim como os estudantes que puderam antecipar sua formatura para atender à demanda, estes profissionais também podem contribuir e muito”, destacou o parlamentar.

A falta de médicos no Brasil já levou três estados, além de municípios e Defensorias Públicas, a ajuizarem, pelo menos, sete ações para autorizar a contratação de médicos formados no exterior sem o reconhecimento do diploma por instituições brasileiras.

Pesquisa realizada pelo Datafolha em meio a este cenário apontou que, dentre as 1511 pessoas ouvidas em todo o Brasil, 91% consideram importante que o profissional formado no exterior seja aprovado no Revalida antes de atuar no Brasil.

De acordo com o boletim divulgado pelo Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) no dia 9 de julho, dos cerca de 7 mil médicos aptos a atuar no estado, pelo menos 210 foram infectados pelo coronavírus e três não sobreviveram.

“Portanto, faço um apelo ao reitor da UFMT para que conclua este processo dos 1021 médicos que já passaram por toda as três etapas, que façam uma prova virtual e atendam às pessoas que estão padecendo nos municípios”, finalizou o senador.

por Sissy Cambuim 

COMENTE ABAIXO:

EDUCAÇÃO

Unemat abre vestibular com 1.000 vagas para Educação a Distância

Publicados

em

por Danielle Tavares

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) lança edital para o seletivo simplificado com oferta de 1.000 vagas para cursos na modalidade Educação a Distância, para matrícula no período letivo de 2021/1. São oferecidos sete cursos, para 34 turmas em 25 municípios do estado, onde há polos de apoio presencial UAB/Unemat.

São eles: Administração Pública (nos polos de Alto Araguaia, Arenápolis, Cáceres, Ribeirão Cascalheira e São Félix do Araguaia), Artes Visuais (nos polos de Água Boa, Cuiabá, Primavera do Leste, Sapezal e Sorriso), Geografia (Aripuanã, Barra do Bugres, Campo Verde, Pontes e Lacerda e São Félix do Araguaia), História (Alto Araguaia, Colíder, Jauru, Juína e Lucas do Rio Verde), Letras (Canarana, Cuiabá, Nova Xavantina, Porto Esperidião e Vila Rica), Matemática (Canarana, Comodoro, Jauru, Porto Esperidião e Vila Rica) e Pedagogia (Água Boa, Barra do Bugres, Diamantino, Guarantã do Norte e Sapezal).

 

SISTEMA DE INGRESSO

A Unemat reserva 60% das vagas de todos os cursos aos estudantes que cumpriram integralmente o ensino médio em escola pública. Essas vagas são destinadas a candidatos negros, indígenas, portadores de deficiência e demais estudantes de escola pública, conforme quantidade prevista no edital.

Leia Também:  Matrículas terminam na quarta-feira; escolas tradicionais têm vagas abertas

Nos cursos de licenciaturas, há também reserva de vagas para professores da rede pública de ensino, em exercício, sem formação inicial em nível superior ou que não possuam formação na área em que atuam. Confira documentação necessária no item 4 do Edital.

INSCRIÇÕES

As inscrições são realizadas somente pela internet no endereço eletrônico www.unemat.br/vestibular.

Antes de efetivar a inscrição, o candidato deverá escrever a Carta de Intenção. No ato da inscrição deverá marcar: opção do curso e polo ao qual pretende concorrer, anexar fotografia atual e carta de intenção.

ISENÇÃO DE TAXA

O prazo de inscrição com isenção de taxa é de 25 a 28 de janeiro.

A Unemat aceita inscrições gratuitas para candidatos nas seguintes condições: com renda familiar inferior a dois salários mínimos, doador regular de sangue ou Profissional Técnico da Educação Superior. Para cada caso, há documentos de comprovação específicos para serem anexados no ato da inscrição. Confira documentação necessária no item 8 do Edital.

INSCRIÇÃO COM PAGAMENTO DE TAXA

Leia Também:  MPMT alerta para tentativas de golpe usando nome de Promotores de Justiça

A inscrição com pagamento da taxa no valor de R$ 60 deve ser feita via internet, no endereço eletrônico www.unemat.br/vestibular, de 18 de janeiro a 14 de fevereiro.

PROCESSO SELETIVO

A seleção será constituída da avaliação da Carta de Intenção. Ela deverá ser escrita de forma objetiva, clara e concisa, conforme modelo e orientações disponibilizadas no anexo do edital. O documento deverá ser anexado no ato de inscrição.

O período letivo dos cursos na modalidade Educação a Distância terá início no dia 03 de maio. Todas as publicações referentes ao processo seletivo simplificado serão divulgadas no endereço eletrônico www.unemat.br/vestibular.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA