POLITICA

Senador Carlos Fávaro destaca que burocracia em excesso atrapalha de vacinas à regularização fundiária

Defendendo Reformas

Publicados

em

Ao defender reformas, Fávaro destaca que burocracia em excesso atrapalha de vacinas à regularização fundiária

A burocracia excessiva do Brasil é tão prejudicial ao desenvolvimento que atrapalha desde a rápida aprovação das vacinas contra a Covid-19 até a regularização de terras de pequenos e médios produtores. A avaliação foi feita pelo senador Carlos Fávaro (PSD-MT), nesta terça-feira (12), durante participação em uma live realizada pela Revista ISTOÉ. Para o parlamentar, é de fundamental importância que a Reforma Administrativa seja mais aprofundada, caso contrário, o país seguirá como um atrapalhador do cidadão nas mais diversas áreas.

Fávaro destacou que a Reforma Administrativa, cuja tramitação deve avançar ao longo de 2021 na Câmara dos Deputados e no Senado, não deve se prender apenas a questões como a estabilidade do servidor público. “Quero deixar claro que sou a favor da estabilidade a servidores de áreas estratégicas e essenciais, mas isso não pode ser o eixo central da reforma, porque não vai trazer os resultados que a população espera. Precisamos avançar, aprofundar as reformas”.

Leia Também:  MPMT alerta para tentativas de golpe usando nome de Promotores de Justiça

Um dos exemplos citados pelo senador ao falar da importância da desburocratização é a aprovação emergencial, por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) das vacinas para combater a Covid-19. “Os servidores da Anvisa têm pais, mães, irmãos, amigos, filhos. Tenho certeza que nenhum deles está segurando de propósito a aprovação das vacinas, sabendo que milhares de pessoas morreram pela doença. Eles estão apenas seguindo os ritos necessários, que existem em um país tão cartorial como o nosso e isso fez com que quase 50 outras nações iniciassem a imunização antes de nós”.

A situação dos imunizantes, pontou Fávaro, é apenas mais um dos muitos processos excessivamente burocratizados, que ao longo de décadas atrapalham o desenvolvimento do país. “Há décadas, milhares de pequenos e médios produtores vivem isso na pele. Eles foram chamados, se apresentaram, fizeram o cadastro rural, apresentaram seus passivos para compensação e até hoje não tiveram suas terras regularizadas. Tudo isso por conta justamente do excesso de burocracia”.

Leia Também:  Estado vistoria Baía de Chacororé e identifica intervenções para mitigar seca e recuperar parte que sofreu erosão

Ao jornalista Germano Oliveira, diretor da ISTOÉ, o senador salientou que diminuir a burocracia não significa, em nenhuma hipótese, precarizar o controle e a fiscalização. “Temos hoje muitas tecnologias que podem ser empregadas na administração pública, tornando o país um fomentador do desenvolvimento e não um atrapalhador. O que se vive hoje com as vacinas, se vive há muito tempo em muitas outras áreas”.

Fávaro também falou sobre a questão ambiental, sobretudo em um momento em que o país sofre diversos questionamentos internacionais por conta das políticas de preservação. O senador lembrou que todos os produtores sabem da importância da preservação para a sustentabilidade do negócio. “Respeito ao meio ambiente é certeza de mercado para os produtores rurais”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:

POLITICA

Neri Geller integra comitiva oficial que viabiliza Arthur Lira à presidência da Câmara Federal

Publicados

em

 

Na Região sul do Brasil

JB News

Da Redaçã

Na Região sul do Brasil

O deputado Neri Geller do PP de Mato Grosso, vem se mostrando um grande articulador na Câmara Federal, após assumir vice-presidência da frente Parlamentar da Agricultura (FPA) uma das mais importantes comissões de debate no Congresso Nacional, agora se mostra grande articulador para eleger o deputado Arthur Lira (PP/AL), presidente da Câmara Federal.
Neri integrou nesta segunda-feira 18, a comitiva oficial que viabiliza a presidência da Câmara Federal tendo como candidato o líder do PP, deputado Arthur Lira.

A eleição para escolha do novo presidente acontece no próximo dia 01 de fevereiro. A mesa diretora da Câmara decidiu agora a pouco que a eleição irá acontecer de maneira presencial. O deputado Arthur Lira fez um post nas redes sociais onde afirma que “Prevaleceu o que é regimental, o que está na constituição”.


A eleição para escolha do novo presidente tem também o deputado baleia Rossi do MDB que também tem apoio de um grupo de deputados.
Na semana passada o deputado Neri Geller articulou uma reunião com toda a bancada federal de Mato Grosso em Cuiabá-MT. A reunião teve como pauta o pedido de apoio da bancada de Mato Grosso a candidatura de Arthur Lira, com presença da maioria dos parlamentares que hipotecaram apoio ao líder do centrão.

Leia Também:  Neurilan Fraga representará prefeitos do Centro-Oeste em reunião com o ministro da Saúde

A vinda articulada pelo líder de bancada deputado Neri, demostra alinhamento politico do Estado com o modelo de gestão defendido por Lira. Tido em Brasília como um grande articulador, extremamente hábil na condução de temas difíceis.
A partir de hoje a comitiva que viabiliza a presidência estará reunindo com os deputados de Porto Alegre na da região Sul do Brasil, a comitiva irá reunir com o governador Eduardo Leite e os deputados da bancada, em seguida darão entrevista na sede do PP.

Ao JB News Neri Geller, defendeu que “A Câmara precisa de voz, e que essa voz seja independente, que tenha autonomia para falar em nome dos deputados e levar à uma condução tranquila. Esse tem que ser o perfil do novo presidente da Casa, e Lira possui qualidades importantes de um líder: cumpre palavra, tem bom senso e é aberto ao diálogo. Pronto! Esse é o perfil que o novo presidente da Casa precisa ter, além de coragem para o enfrentamento de temas delicados, porém essenciais”.
Geller ainda avalia, que a agenda proposta por Lira vem diretamente ao encontro de temas essenciais não apenas para a economia brasileira, mas principalmente para por fim aos gargalos impostos aos estados produtores, como Mato Grosso, responsável por sustentar grande parte do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. O enfrentamento de temas como o licenciamento ambiental, a reforma agrária e a própria reforma tributária têm puxado para baixo o avanço do Brasil. “Mesmo com todos os entraves o Brasil, e no caso, Mato Grosso tem conseguido avançar porque somos pujantes, porque nossos produtores não recuam diante das dificuldades. Agora imagina se os produtores pudessem trabalhar em condições favoráveis?”, destacou Geller.

Leia Também:  Após ser eleito presidente da câmara municipal de cuiaba, Ver. Juca do Guaraná reúne equipes de transição

No tocante à má condição das rodovias em Mato Grosso, Lira defendeu que o avanço do tema somente ocorrerá diante de uma articulação forte e independente em Brasília, a exemplo da implantação da Ferronorte e da conclusão das obras de duplicação da BR-163 até os portos do Contorno Norte.

Veja a defesa de Arthur Lira em prol da agricultura:👇

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA