Saúde

Rede Cegonha da Maternidade de Várzea Grande tem parecer positivo do MS e pode receber mais investimentos e novas UTIs

Publicados

em

JB News

Com mais de 500 nascimentos realizados desde maio deste ano quando foi inaugurada pelo prefeito Kalil Baracat nas comemorações dos 154 Anos de Fundação de Várzea Grande, a Rede Cegonha Dr. Francisco Lustoza de Figueiredo, da Maternidade Municipal, recebeu a visita oficial de técnicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde para acompanharem o desempenho da unidade, o que pode resultar em novos investimentos e na ampliação dos serviços maternos na segunda maior cidade de Mato Grosso.
Instalada em suas novas dependências a partir da pandemia da COVID 19, que retirou, a mesma do Hospital Pronto Socorro Municipal, abrindo assim mais espaço para o atendimento de pacientes de outras áreas principalmente de traumas, a Rede Cegonha em Várzea Grande caminha para estar consolidada com a implantação de leitos de UTIs neonatal e infantis, em uma continuidade, na parceria com a Assembleia Legislativa através do 1º secretário, Eduardo Botelho (DEM) e dos deputados Janaina Riva e Dr. João, ambos do MDB e Paulo Araújo (PP), estes dois últimos membros da Comissão de Saúde do Parlamento Estadual.


A finalidade da vistoria acompanhada pelo secretário de Saúde, Gonçalo Barros e sua equipe, foi inspecionar as instalações, verificar as acomodações e a aplicabilidade dos recursos no fortalecimento das políticas públicas voltadas à mulher e o bebê. Para pleno funcionamento, a maternidade recebeu investimentos na ordem de R$ 2 milhões da Assembleia Legislativa, mais os recursos aportados da arrecadação de impostos municipais de Várzea Grande.
“Foi uma grata surpresa o que encontrei em Várzea Grande, tanto em relação aos números atuais como o processo de criação desse serviço da maternidade, como aqueles que estão por vir. Nosso grande objetivo é reduzir a mortalidade materna, e a estrutura da maternidade com tudo que está sendo ofertada, principalmente a forte relação entre a Atenção Básica e o Serviço Especializado que são fundamentais para garantia destes resultados que estamos buscando, que é a redução da mortalidade materna, em especial das causas evitáveis. Pelos números demonstrados percebe-se que o município está no caminho e agora é seguir em frente e avançar na ampliação da estrutura e dos serviços prestados como está planejado e já sendo executado. A equipe está fortalecida e alinhada e os números mostram a queda dos resultados de mortes, com certeza Várzea Grande está no caminho certo”, sublinhou Regina Nunes, assessora técnica da coordenação de Saúde das Mulheres do Ministério da Saúde.

Leia Também:  Mato Grosso e Mathias prometem emocionar o público no aniversário de 42 anos Nova Brasilândia


De acordo com a assessora, o Ministério da Saúde, por meio da coordenação das Mulheres, faz todo plano de ação voltado para Rede Cegonha. “A visita teve como cunho principal conhecer as instalações, serviços, ver as necessidades dos serviços e no que nós enquanto técnicos e órgão de política de Saúde Pública, podemos contribuir”.
Já para o coordenador de Atenção Especializada da Secretaria de Saúde do Estado de Mato Grosso, Hosano Delgado, o serviço novo colocado em prática pela Prefeitura de Várzea Grande e a Secretaria Municipal de Saúde, está bem exitoso. “É importante para o município fazer esse trabalho. Foram apresentados dados da implantação e de como Várzea Grande pretende ampliar o serviço. Parabenizamos o esforço, pois este serviço é importante para atender a população de Várzea Grande. O Estado vem também como parceiro para poder dar maior acesso a população e reduzir a mortalidade materna. É um serviço que tende a crescer inclusive, com a implantação de novos serviços no Estado de Mato Grosso. Vimos com bons olhos todos os esforços que o município tem feito para gestantes, para crianças, para saúde da mulher, como um todo”.
O prefeito Kalil Baracat ressaltou que áreas essenciais têm recebido atenção redobrada por parte de sua gestão que prioriza os atendimentos a população que necessita do suporte do Poder Público para ter acesso a saúde de qualidade, ensino, segurança, obras e social voltados para a consolidação de Várzea Grande como uma metrópole em desenvolvimento.
“Não nos faltará empenho, determinação e principalmente recursos para garantir que toda a população tenha acesso a saúde de qualidade. Contamos com o apoio dos profissionais da Saúde de nossa cidade e apoio da Assembleia Legislativa, do Governo do Estado e queremos também apoio do Governo Federal para avançar mais e realizar mais”, disse o prefeito.
O secretário Municipal de Saúde, Gonçalo Barros avaliou a visita das equipes técnicas do MS e SES a Maternidade Municipal “Rede Cegonha” como de suma importância para cidade, um assunto sensível à questão humanitária, do acolhimento para mães e os bebês que estão chegando. “É uma questão de cidadania receber os bebês do nosso município que precisam da Rede Pública para nascer e com qualidade nos serviços médicos de saúde. O Ministério fez a visita e vistoria acompanhada com toda equipe técnica da Secretaria de Estado de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande, de antemão parabenizo todos os profissionais por tudo que tem feito para atingirmos a melhora nos índices da maternidade, que hoje é uma realidade”.

Leia Também:  Por 11 votos a cinco, deputados rejeitam projeto do conselho LGBT em Mato Grosso


O secretário enumerou projetos em andamento para a unidade como, UTI Neonatal, já em processo de licitação. “No futuro bem próximo estaremos sim preparados para atendimento de alto risco, no momento não podemos fazer no local, apesar de ter duas salas cirúrgicas, com esse implemento poderemos atender partos de alto risco, assim alcançando e dando conforto as mães e aos bebês que chegam no dia a dia. A inauguração da Maternidade ocorreu em 14 de maio e desde então cerca de 528 crianças nasceram na maternidade, isso mostra a importância do investimento, do projeto e a sensibilidade do prefeito Kalil Baracat”, enfatizou o secretário.
Gonçalo destaca ainda que os resultados esperados e que vem acontecendo, exigem investimentos de recursos públicos, esforços profissionais do pessoal saúde, além da importante participação da Assembleia Legislativa na canalização de recursos e ainda a dedicação e zelo do prefeito Kalil Baracat, que não mede esforços, pois se o assunto é saúde, a prioridade é total, principalmente com a situação pandêmica, aonde um pouco de conforto para as mães e para crianças que estão chegando é atuar com justiça e sensibilidade.
O diretor superintendente do Hospital Pronto Socorro e Maternidade, Ney Provenzano, a decisão de mudar a Rede Cegonha foi adotada de forma planejada e eficiente por ser o momento de pandemia da COVID 19 e existir a preocupação com os riscos de infecção cruzada. “O resultado nos dá ânimo para continuarmos, pois tudo indica estarmos no caminho correto, saindo de uma média de 100 partos/mês para mais de 200, fora outros 400 atendimentos no geral dentro da Rede Cegonha, que é uma extensão no Hospital São Lucas. Mudamos do Pronto Socorro por conta de recomendação do prefeito Kalil Baracat e do secretário Gonçalo Barros para humanizar o atendimento das pessoas que nos procuram”, pontuou o diretor.
Participaram da visita na maternidade: Regina Célia Nunes – Ministério da Saúde; Priscilla Gomes Meyer – superintendência Estadual do MS; Siriana Maria da Silva – coordenação de Ações Programáticas e Estratégicas SES; Inês Stranieri e Suzana Albuquerque – técnicas da Saúde da Mulher SES; Claudia Moreno – diretora do Escritório Regional de Saúde da Baixada Cuiabana; Hozano Delgado – coordenador da Atenção Especializada SES e Aparecida Cristina – técnica da Coordenação de Atenção Especializada da SES.

COMENTE ABAIXO:

Saúde

Mais um casal de brasileiros são diagnosticados com a variante Ômicron

Publicados

em

Por

JB NEWS

Por Alisson Gonçalves

Foto: Exame

Mais um casal de brasileiros foram diagnosticados com a variante Ômicron do coronavírus , informou  a prefeitura de São Paulo  (SP), nesta quarta-feira, 01.12, o fato só foi divulgado hoje quinta-feira 02.12. As informações são de que os mesmos já haviam tomado as doses única da vacina da Janssen, quando ainda estavam na África do Sul, país onde residem.

O casal chegou ao Brasil a passeio em 23 de novembro. Dois dias depois, quando retornariam para a Cidade do Cabo, testaram positivo para covid-19.

A nova variante ,apresenta sintomas como cansaço, dores musculares, coceira na garganta, febre baixa e em poucos casos
tosse seca.

Os sintomas da Ômicron são mais parecidos com a variante Beta.

Até agora, os pacientes infectados pela Ômicron apresentaram apenas sintomas leves. No entanto, a nova variante preocupa a OMS e os países por causa das 50 mutações que a nova cepa apresenta, sendo 32 apenas na proteína S, principal alvo das vacinas desenvolvidas até o momento.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mauro Mendes diz que ainda vai convesar com Pivetta para continuar na vida pública
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA