AGRONEGÓCIOS

Recuperação de áreas pelo agronegócio promove absorção de gases do efeito estufa

Publicados

em

Em oito anos, o Brasil sequestrou o equivalente a metade do que a Noruega emitiu em CO2

A recuperação de áreas pela agropecuária brasileira foi responsável pelo sequestro de 200 milhões de toneladas de CO2 equivalente nos últimos oito anos. Na prática, isso significa que a agricultura brasileira absorve metade das emissões da Noruega, por exemplo. A absorção destes gases decorre da recuperação de 59 milhões de hectares de terras agricultáveis por meio de investimentos financiados pelo Plano Agricultura de Baixa Emissão de Carbono – Plano ABC, que injetou R$ 17 bilhões em crédito para os produtores rurais entre 2010 e 2018.

Os dados foram apresentados pela diretora de sustentabilidade e terras irrigáveis Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Mariane Crespolini, ao presidente da República Jair Bolsonaro, nesta segunda-feira (09). De acordo com o levantamento do Mapa, a recuperação de área no país supera em 167% a meta fixada voluntariamente pelo Brasil no Acordo de Copenhagen.

Com isso, o Brasil se consolida como um dos principais países do mundo em produção sustentável. De acordo com a apresentação de Mariane Crespolini, com as tecnologias disponíveis e investimentos do governo e dos produtores rurais, o país tem potencial para dobrar sua produção de alimentos sem que seja necessária a abertura de novas áreas ou o desmatamento ilegal da Amazônia. “Se o mundo precisar de 70% a mais alimentos, como aponta a FAO, temos condições de abastecer a demanda somente com a aplicação de tecnologias e aumento de produtividade”.

Leia Também:  Bebê de apenas um mês de vida vence a Covid-19 em MT

Atualmente o Plano ABC, que financia iniciativas sustentáveis, é dividido em sete tecnologias, Recuperação de Pastagens Degradadas (RPD); Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) e Sistemas Agroflorestais (SAFs); Plantio Direto (SPD); Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN); Vegetação Nativa; Tratamento de Dejetos Animais (TDA); Adaptação às mudanças climáticas.

Para exemplificar os benefícios da aplicação dessas tecnologias para a produção rural, a diretora do Mapa apresentou o caso de uma fazenda de Goiás. Segundo Crespolini, em 2006, a fazenda tinha alto grau de degradação das suas áreas produtivas. Em uma área de 1.170 hectares, gerava apenas três empregos e tinha um prejuízo anual de 200 reais – o equivalente a 50 dólares.

Com a adoção do Plano ABC, a fazenda gera hoje quase 30 empregos. Na safra 2017/2018, a margem líquida, já descontando todos os custos, impostos e também depreciação de equipamentos, foi de R$ 1904, quase 500 dólares por hectare.

Produtividade – A produção agropecuária ocupa apenas 30% da área total do território. E, historicamente, o incremento da produção do agro brasileiro tem sido explicado pelo aumento de produtividade. Segundo Mariane, de 1976 a 2018, a produção aumentou em 33%, enquanto a produção de alimentos aumentou em 386%. O aumento da produtividade, teve um efeito poupa terra de 150 milhões de hectares. Em outras palavras, se não fosse o aumento da produtividade, para ter a produção atual, o Brasil precisaria de mais 150 milhões de hectares.

Leia Também:  Produtores com dificuldades antes da pandemia não terão novos prazos

Neste contexto de aumento da produção, com aumento da produtividade, da área total do Brasil, 51% é floresta intacta. E que outros quase 15% são áreas que chamamos de Preservação Permanente e de Reserva Legal.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AGRONEGÓCIOS

LF Leilões mira próximo leilão virtual em canal próprio de YouTube com transmissão ao vivo

Publicados

em

 

A LF Leilões tem se preparado para novas mudanças e fortalecimento de sua marca, a muitos anos em parceria com uma empresa de transmissão local viu se obrigado a mudar de ares, está investindo em plataformas próprios. Com nome consolidado no mercado de leilões de gado fruto de uma construção há 7 anos de credibilidade, confiança e bons negócios, o empresário Luis Fernando Sawamura, buscou na família o alicerce para transformar a LF Leilões em referência em leilão de gado de corte, cria, recria e engorda em Mato Grosso.


Na equipe conta com a mãe Andrea e o irmão Ruan Sawamura, também com leiloeiro de ponta Thiers Rocha e uma gama de bons profissionais do mercado, tudo soma para fazer a empresa se destacar no mercado.

A LF realiza seus leilões todas as segundas-feiras a partir das 18h religiosamente. Com a chegada da Pandemia do coronavírus, viu-se obrigado a mudar de leilão presencial realizados no Parque de Exposições Jonas Pinheiro a Acrimat e transforma-la em virtual, sendo uma das primeiras a apostar 100% no leilão virtual devido e vem dando certo.

Leia Também:  LF Leilões mira próximo leilão virtual em canal próprio de YouTube com transmissão ao vivo

Os próximos leilões serão transmitidos pelo youtube (LF Leilões MT), com intuito de estreitar com os clientes irá fortalecer as mídias sociais, segundo Luis Fernando em breve estará sendo transmitido também pelo site www.lfleiloesmt.com.br.

A sede fica na Av. Beira Rio s/n Cuiabá, Parque de Exposições da Acrimat, contato 65 9.9965-0050 ou 9.9643-5505.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA