Esportes

Primeiro Torneio de Futebol Amador de Várzea Grande termina com vitória de Unidos da Favela

Publicados

em

Jogos foram organizados pela Prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, em comemoração ao Dia Municipal do Futebol Amador.

jB News

Com uma campanha invicta, o time Unidos da Favela foi o campeão do primeiro Torneio do Dia do Futebol Amador de Várzea Grande, realizado no campinho do bairro Asa Bela neste sábado (30), em comemoração ao Dia Municipal do Futebol Amador. O evento, organizado pela Prefeitura de Várzea Grande por meio da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (SMECEL), além de estimular a prática de atividades físicas, movimentou o comércio local e aumentou a visibilidade do bairro.

Outros cinco times participaram do torneio de futebol society, em modelo de chave, que mobilizou a comunidade do bairro, mais de 600 competidores e 50 servidores da Superintendência de Esporte e Lazer. Para o Secretário da Smecel, Sílvio Fidelis, o torneio reforça a importância da prática de esportes nas comunidades, garantindo saúde para os atletas, lazer para as famílias e movimento para os comerciantes.

“O esporte amador envolve todos. Os atletas trazem suas famílias para participar e, através do exemplo, se tornam modelos de saúde e disposição para seus filhos e amigos. Além disso, eventos como esse reúnem muitas pessoas, tanto participantes quanto espectadores, o que movimenta o comércio e fortalece nossa cidade”, disse.

Leia Também:  Várzea Grande sedia final da Supercopa masculina de Voleibol

Fabio Augusto de Jesus, jogador do “time da casa” – Amigos do Asa Bela – disse que o futebol amador tem mais paixão e amizade envolvida do que o esporte profissional. “Futebol é a coisa mais importante para mim. Eu cresci no bairro jogando bola e tenho certeza que o mundo seria um lugar melhor se a gente pudesse resolver tudo no campo”, afirmou.

O Dia Municipal do Futebol Amador, 30 de julho, visa reconhecer a importância dessa prática na região da Grande Cuiabá. Foi instaurado pela Lei 4880/2022, de autoria do presidente da Câmara, Fábio José Tardin. “Essa Lei nada mais é do que uma homenagem aos jogadores amadores. Fico feliz com o nosso Secretário Silvio Fidelis, através da Superintendência de Esporte e Lazer, por fazer nosso projeto valer a pena, reunindo pessoas e movimentando o comércio, principalmente depois da pandemia”.

Anny Victória do Nascimento Xavier, de 18 anos, assistiu o namorado jogando, mas disse que gosta de assistir às partidas por causa da energia dos vencedores. “Estou torcendo muito para ele ganhar, mas se não fizer um gol para mim, ele vai ver só”, ameaçou.

Além do lazer e da saúde, o torneio movimentou o comércio do bairro Asa Bela, que se reorganizou para receber o evento. “Decidimos abrir mais cedo por causa do evento. Vamos vender bebida e espetinho até emendar com nosso horário da noite”, disse Adelmo Tales Santos Silva – o Ceará, e completou: “O futebol amador é muito marcante na minha família. Amanhã temos um evento aí dos filhos, os primos, contra nós, os homens casados, então isso movimenta muito a nossa família”.

Leia Também:  Aron Dresch é reeleito presidente da FMF

Da mesma forma, Katilyn Karoline, comerciante da região, aproveitou o movimento do torneio para contratar uma banda de pagode, com o objetivo de chamar mais atenção para seu estabelecimento. “Nossa expectativa hoje é atender mais de 200 pessoas, porque eventos como esse movimentam tudo. Muitos comerciantes que costumavam abrir só à noite, estão abrindo agora cedo”, disse.

O torneio, organizado pela Superintendência de Esporte e Lazer, aproximou a comunidade e fortaleceu o comércio local. “Esse foi um grande evento da Prefeitura. O futebol amador é a principal diversão para nós que moramos na periferia. Os jogadores podem vir com suas famílias, filhos e filhas, estimulando as próximas gerações. Isso é fazer o social diretamente na comunidade, mostrando que a prefeitura não está só no centro da cidade”, concluiu o superintendente de Esporte e Lazer, Jadir Pereira.

A competição contou com a organização do professor Eronildo Luiz Ramos de Santos, e a participação dos times: Mansão; Unidos da Favela; Vírus da Bola; Sem Ressaca; Velha Guarda e SMECEL F.C.

COMENTE ABAIXO:

Esportes

No Mundo da Bola chega à edição 500 com Zico e Edu dividindo histórias

Publicados

em

Por

O programa No Mundo da Bola, da TV Brasil, comemorou a marca de 500 edições neste domingo (7) com uma escalação estrelada. Participaram do debate os irmãos Zico e Edu, ex-craques do futebol brasileiro, além de Zenon, campeão brasileiro com o Guarani na década de 70. Eles acompanharam o apresentador Sérgio Du Bocage e o comentarista Márcio Guedes. A atração separou alguns depoimentos ainda não exibidos, como a entrevista que Edu deu ao quadro ‘Os Setentões’ em que contou uma história de quando travou, sem querer, o carro do irmão quando ele jogava na Itália. Zico relembrou, aos risos, a situação inusitada.

“Era um domingo, não tinha ninguém na rua em Udine. Um fã da Udinese pegou a gente e levou para casa. O carro ficou lá no mesmo lugar por uns quatro dias até que alguém conseguisse destravar”, revelou o Galinho.

Programa No Mundo da Bola, programa 500, MNDB Programa No Mundo da Bola, programa 500, MNDB

Programa No Mundo da Bola, programa 500, MNDB – Carlos Colla/Direitos Reservados

Em outro material, originalmente preparado para o quadro ‘Álbum da bola’, Zico, maior artilheiro da história do Maracanã, com 334 gols, demonstrou que a autoconfiança foi elemento fundamental para o sucesso na carreira. 

‘Eu sei o caminho da trave, já nasci com esse carimbo. Dentro da área, bobeou [o Zico] guardou’ , disse o craque em trecho do quadro. 

Os participantes também responderam à pesquisa da semana, sobre quais times brasileiros avançarão nos duelos caseiros das quartas da Libertadores (Flamengo x Corinthians e Palmeiras x Atlético-MG). Os convidados foram unânimes em apontar Flamengo e Palmeiras como favoritos a alcançarem as semifinais.

“É chover no molhado”, disse Zenon, que também revelou estar honrado por participar da edição número 500 do No Mundo da Bola. “Saudades do Alberto Léo. Estou me sentindo muito emocionado”, revelou o ex-jogador, referindo-se ao jornalista, ex-apresentador do No Mundo da Bola, que faleceu em junho de 2016.

Fonte: EBC Esportes

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Futebol feminino: Brasil vence Copa América com 100% de aproveitamento
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA