CULTURA

Primeira Live do Grupo Flor Ribeirinha será neste domingo direto de São Gonçalo Beira Rio

Publicados

em

 

O grupo Flor Ribeirinha, realiza no próximo domingo, dia 24 de maio, ás 16h30, o show Raízes que dão Flor, que será transmitido ao vivo por meio de suas redes sociais: Facebook, Instagram e também no YouTube. O show vai acontecer no Quintal da Domingas, na tradicional comunidade de São Gonçalo Beira Rio.


O show faz parte do Festival de Cultura em Casa, promovido pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer do Estado. A Secretaria selecionou os projetos mais relevantes com o objetivo de promover neste período de isolamento social, a programação cultural com apresentações artísticas transmitidas pela internet.
O diretor Artístico e coreógrafo do Grupo Flor Ribeirinha, Avinner Augusto, explica que o show Raízes que dão Flor está sendo preparado especialmente para a live no domingo. A apresentação traz o recorte de vários repertórios artísticos regionais do grupo, que remetem a identidade da comunidade, que é o berço das raízes culturais. A ideia central do show é cantar e dançar a comunidade e suas personagens da cultura popular. “Estaremos esperando por você no Festival Cultura em casa com a alegria e a beleza da cultura cuiabana, diretamente do Quintal da Domingas. Arraste o sofá da sala e venha cantar e dançar muito com a gente. Quem quiser gravar sua dança em casa pode nos enviar o vídeo” disse ele, e também postar: Simbora Flor Ribeirinha! #live #florribeirinha #raizesquedaoflor #culturaemcasa
*No sábado, a oficina com a Dona Domingas*
O encontro especial com a Dona Domingas, também transmitido ao vivo pelo por meio das mídias sociais do Grupo Flor Ribeirinha, será no sábado dia 23 de maio, ás 10h. A Oficina também faz parte do Festival de Cultura em Casa, promovido pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer do Estado.

Leia Também:  Grupo Flor Ribeirinha celebra os seus 27 anos com uma live muito especial nesta segunda-feira


A Mestre de Cultura Popular, Domingas Leonor, vai ministrar uma oficina em foco na vivência cultural e experiência artística do siriri. Será uma aula inesquecível que traz a experiência de vida e a resistência dos mestres que possibilitam as novas gerações elementos culturais significativas para a constituição da identidade individual e coletiva. Ela recordará neste encontro, uma infância permeada pelos valores tradicionais, principalmente as memórias enriquecidas pelas festas, brincadeiras nos quintais, pelas relações afetivas da cultura que fortalecem os grupos sociais do ensino do siriri.
Domingas Leonor que é a fundadora e presidente da Associação Cultural Flor Ribeirinha, disse estar muito feliz em realizar este trabalho, neste período de isolamento social. Ela destaca que o grupo continua trabalhando com muita dedicação. “Nos dedicamos de forma incansável neste processo de resgate e manutenção da nossa cultura popular. Conto com a participação de todos nesta oficina. Mesmo que sendo á distância, as pessoas estão bem próximas do meu coração”, disse ela emocionada.
Pelas mídias sociais #cultura em casa#saberes do Siriri #dradomingas

Leia Também:  Como ganhar meu marido de volta da outra mulher

Fotos: Divulgação
Assessoria de Imprensa
Malu Sousa

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CULTURA

Bonsucesso completará 72 anos de criação de Distrito nesta quarta-feira

Publicados

em

JB News

Nesta quarta-feira (23.09), o Distrito de Bonsucesso, em Várzea Grande – MT, completará 72 anos de história nesta quarta-feira.


Bonsucesso, é reconhecido por ser uma região turística dentro da cidade, e suas comidas típicas e guloseimas, assim como a rapadura produzida de forma ainda  artesanal,o moinho de cana, e o peixe que já é um prato típico da região. E as redes feitas a mão são os grandes destaques que tipificar a comunidade.

O Distrito de Bonsucesso foi registrado em  23 de Setembro de 1948, vai completar 72 anos, nesta quarta-feira 23, pela Lei estadual n. 126 de autoria do Deputado Licínio Monteiro da Silva.

Conforme o historiador Wilson Tavares, os últimos documentos de criação do distrito quanto a propriedade de terra, foram datados de 1866, os documentos já falavam de transmissão de herança de terras.
Assim, ele ressalta que as informações quanto a ocupação das terras da região, incluindo o distrito, em que criou a Sesmaria de Bonsucesso, as quais foram terra de Justino Antonio da Silva Claro, e Seo Fião, pois era o Tataravô de seu Fião, dono da maioria das terras naquele tempo, e aparecem também terras no nome de Dona Teonila e familia, foram datadas em 1823, que este espaço de tempo na historia são insignificantes.
“Diante de todo o levantamento histórico da região ficaram sendo marcados para alguns, a data reconhecida entre  15 ou 16, como alguns mais antigos relatam, nós afirmamos pela fala de inclusive de Seo Fião, ser 16 de Outubro de 1823, portanto 197 anos em 2020”, diz o historiador.

Leia Também:  Grupo Flor Ribeirinha celebra os seus 27 anos com uma live muito especial nesta segunda-feira


Dona Eliane da Silva, presidente da Vila Nova de Bonsucesso, filha de uma das rendeiras mais antigas, inclusive falecida, disse a reportagem que a região carece de muito apoio dos poderes públicos para dar continuidade na fabricação de peças artesanais, como por exemplo, as redes tecidas a mão, pela falta de incentivo esta deixando de existir, e nos próximos anos pode ser que não aconteça mais. Segundo, dona Eliane ficou ainda pior nos últimos tempos, devido a um vendaval que ocorreu no último dia 14 de outubro de 2019, devastando toda a comunidade. “De lá pra cá, ninguém mais veio nos ajudar a reconstruir Bonsucesso, e amargamos no descaso.


De acordo com dona Eliane, além da falta de políticas públicas para o desenvolvimento do turismo, não tem atendimento de saúde na região, creches e espaço de lazer, e cursos profissionalisantes para a juventude que ainda resistem na comunidade.

Representatividade

A comunidade não conta com nenhum representante no legislativo municipal,  e nestas eleições de 2020, o jovem Ribeirinho Roberto Ribeiro da Rosa, em nome da população de Bonsucesso, resolveu ser uma opção para resgatar a tradição e a cultura da região.

Leia Também:  Maior evento de vendas on-line de MT acontece em outubro


Para Roberto, a idéia de ser um pré-candidato a vereador, veio por conta das inúmeras promessas nunca realizadas para o desenvolvimento do local pelo poder público, diante do quadro negativo em que se encontra, e é o único nome da comunidade para representar os debates necessários para toda região de Bonsucesso.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA