Política Estadual

Prefeitos e vices são lançados como apostas do PSB nas pré-candidaturas para o pleito de 2020

Publicados

em

  1. JBN

 

Sigla quer atingir mais de 80 cidades na disputa pela majoritária e mais de 100 devem ter chapas para vereador

Com informações Assessoria de Comunicação do PSB/MT

 

O Partido Socialista Brasileiro em Mato Grosso – PSB/MT, sob a presidência do deputado estadual Max Russi, já contabiliza dezenas de pré-candidaturas a prefeito no Estado para as próximas eleições municipais. A sigla, que está se organizando para lançar pelo menos 80 candidatos à majoritária e chapa de vereadores em mais de 100 municípios, tem realizado filiações e agregado importantes nomes, aprovados pela opinião pública em suas regiões.
Entre os nomes definidos, cinco vão disputar a reeleição. É o caso do prefeito Gustavo Melo, de Alto Araguaia e Valdir Pereira, de Nova Bandeirantes. Ambos foram eleitos em 2016 pelo partido socialista e continuam defendendo a sigla.
Já os prefeitos de Araguaiana, Getúlio Dutra, e de Curvelândia, Sidinei Custódio, migraram para o PSB e também vão lançar os nomes na disputa para um segundo mandato. Getúlio, inclusive, já desponta como favorito para o pleito deste ano no município, marcando mais de 76% das intenções de voto, conforme pesquisa publicada no fim do ano passado.
Marcelo Aquino, prefeito de General Carneiro, que também aderiu ao projeto socialista depois das eleições de 2016, completa a lista dos pré-candidatos à reeleição.
Além dos prefeitos, três vice-prefeitos já têm os nomes costurados para a disputa à majoritária. Em Cáceres, Eliene Liberato, migrou para o PSB em outubro do ano passado, em ato que contou com a presença do presidente do PSB Nacional, Carlos Siqueira. Em Bom Jesus do Araguaia e Planalto da Serra, o PSB, deve ser representado no pleito eleitoral pelos vice-prefeitos Marcilei Alves, popular “Mansão” e Zilda Hipólito, respectivamente.

Leia Também:  STF reconhece autonomia da Prefeitura de Cuiabá para decidir regras durante pandemia

Para o presidente da sigla no Estado, deputado Max Russi, esses nomes fortalecem o PSB, pois já carregam a experiência de gestão e têm suas ações aprovadas pela sociedade. “São nomes que foram eleitos pelo PSB ou migraram posteriormente por entenderem a filosofia e o perfil do partido socialista, além de já trazerem consigo a experiência do poder executivo e as necessidades de cada município. Com certeza, o PSB sairá ainda mais fortalecido nessas eleições”, finalizou.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estadual

Deputado Dilmar defende unificação das carreiras da administração tributária em MT

Publicados

em

Líder do governo na AL defende unificação das carreiras da administração tributária

JBN

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM), líder do governo na Assembleia Legislativa, defende a unificação das carreiras específicas da Administração Tributária da Secretaria de Fazenda do Estado de Mato Grosso (Sefaz-MT), com a efetiva participação dos Agentes de Administração Fazendária (AAF’s). Há mais de 20 anos, os AAF’s lutam para que o Estado cumpra uma  sentença transitada em julgado, que reconheceu suas atribuições como específicas da administração tributária e determinou a isonomia com os Fiscais de Tributos Estaduais (FTE’s).

Dilmar reforça a necessidade de pensar o Estado em um contexto único. “Já conversei com o governador Mauro Mendes e o secretário Rogério Gallo sobre a importância desses profissionais, que podem contribuir muito mais com o estado. São pessoas que possuem conhecimento e formação igual aos demais servidores, não podemos tratá-los diferentes, já que são da mesma categoria. Eles não demonstraram ser diferentes do que eu penso”, declarou.

Segundo o deputado, é preciso achar um encaminhamento da unificação, da união das categorias para que todos os servidores prestem o serviço com excelência ao usuário que fica lá no município e que necessita dos serviços da Sefaz. “Vou continuar lutando para ajudar essa categoria, entendo que são irmãos trabalhando no mesmo ambiente de trabalho, mas sendo tratados de forma diferente. Precisamos urgentemente resolver isso, talvez com uma lei que dê garantia de todos estarem integrados numa definição só na Secretaria. Com a unificação a sociedade terá mais qualidade no atendimento”, completou.

Recentemente, o Governo do Estado editou o Decreto 559/2020, determinando a extinção dos Agentes de Tributos Estaduais (ATE’s) e o aproveitamento na carreira de Fiscais de Tributos Estaduais (FTE’s), classe A, nível I. Excluiu do decreto os AAFs e os Agentes de Fiscalização e Arrecadação de Tributos Estaduais (AFATE’s) de também serem extintos e aproveitados no mesmo ato, atendendo o que regulamenta a disposto na Constituição Estadual de Mato Grosso (Art. 45, X, c/c o Art. 60, VII, dos ADCT).

Leia Também:  No aniversário do ECA, Governo de MT autoriza construção de socioeducativo em Rondonópolis

O presidente do Sindicato dos Agentes de Administração Fazendária de Mato Grosso (SAAFEMT), Manoel Teixeira, ressalta que o apoio dos deputados é muito importante para resolver essa questão que se arrasta há tantos anos. “A justiça reconheceu nossas atribuições e determinou isonomia com os fiscais de tributos, sentença transitada em julgada que até hoje o Estado insiste em não reconhecer. Contamos com o auxílio dos deputados, junto ao Governo do Estado, para analisar o nosso importante papel e reconhecer nossos direitos de uma vez por todas”, conclui.

Manoel alerta que devido a retirada das atribuições dos agentes fazendários nos últimos anos, a Sefaz conta hoje com uma fila gigantesca de processos parados, prejudicando os contribuintes que dependem da análise para dar encaminhamento aos negócios.

Atualmente, são 165 agentes fazendários que prestam serviços em todo o estado, por meio das Agências Fazendárias.

Foto: Assessoria
Por Luciane Mildenberger
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA