Política Estadual

Prefeitos de MT vão participar de videoconferência para unificar ações de combate á Covid-19

Publicados

em

Prefeitos vão participar de videoconferência para unificar ações de combate á Covid-19

A Associação Mato-grossense dos Municípios, realizará no próximo dia 16 de junho (terça-feira) ás 16h, uma videoconferência, que terá a participação de prefeitos e prefeitas, com o objetivo de discutir estratégias, e ações integradas de combate à pandemia da Covid-19 nos municípios. A reunião por videoconferência será conduzida pelo presidente da AMM, Neurilan Fraga, já com a confirmação de dezenas de prefeitos, inclusive da Capital, Emanuel Pinheiro.

Fraga explica que por conta do crescimento em escala geométrica da propagação do vírus, registrada nas últimas semanas, “é imperativo que os gestores municipais, façam um alinhamento e definam estratégias, para reduzir este crescimento de casos”, disse ele.

As condutas já adotadas pelos gestores, as experiências vivenciadas nas diferentes regiões, além das orientações das autoridades de saúde, vão embasar um novo planejamento, de forma a alcançar um combate mais eficiente á propagação da pandemia. “Evidentemente que cada município e região tem as suas características próprias. Os seus gestores é quem mais conhecem a realidade local, e que vivem o dia a dia. Portanto, é imprescindível a sua opinião”, assinalou.

Na avaliação do presidente da AMM, o essencial agora é a união de esforços de todas lideranças políticas do estado junto com a sociedade, em busca de soluções para o enfrentamento da pandemia, que vem crescendo de forma assustadora em todo estado. Conforme o boletim divulgado ontem pela secretaria estadual de saúde, neste momento Mato Grosso registra mais de cinco mil casos confirmados e 163 mortes pela Covid-19.

Leia Também:  Previdência estadual é aprovada em primeira votação pela Assembleia Legislativa

Fraga reafirma que, se ainda não houve um colapso em todo o sistema público de saúde, é por conta do trabalho que os gestores vêm realizando desde o início da pandemia.

Ele frisa que, através de AMM os prefeitos foram orientados sobre vários aspectos, desde a suspensão das atividades escolares, o cancelamento de qualquer tipo de evento, o distanciamento social, a instalação de barreiras, a fiscalização sanitária, como também o cuidado e o zelo em relação a aplicação dos recursos no combate a pandemia, através da prestação de contas junto aos órgãos de controle.

“As medidas restritivas até agora adotadas, tem provocado muito desgaste político aos prefeitos e prefeitas. São pressões de todos os lados, inclusive, alguns prefeitos sendo ameaçados por conta do fechamento das atividades econômicas e sociais, mantendo apenas as essenciais”, garantiu.

A situação econômica dos municípios de Mato Grosso não é diferente das demais regiões brasileiras. O auxílio financeiro emergencial, que está sendo repassado pelo governo federal, em quatro parcelas iguais, não é suficiente para as prefeituras manter todas as ações de atendimento á população. Segundo Fraga, a restrição no funcionamento das atividades econômicas, evidentemente tem provocado uma brutal queda na arrecadação de receitas como o ICMS, ISSqn, FPM e outras.

Leia Também:  Vereadores e empresários cobram a entrada do comércio, indústria e sociedade civil organizada no Comitê de Enfrentamento ao COVID-19 em Cuiabá e prefeito revoga decreto

De acordo com estudos técnicos da AMM, este ano os municípios de Mato Grosso, terão uma queda de receita em torno de R$ 1.300 bilhão, enquanto que o auxílio financeiro emergencial é na ordem de R$1 bilhão. “Estamos diariamente recomendando aos gestores municipais que a utilização dos recursos, tem de ser feita de forma criteriosa e transparente, acompanhada por processos administrativos, com embasamentos legais dos gastos, e assim, atender as exigências dos órgãos de controle, através das prestações de contas, como também ao conhecimento da sociedade”, disse.

Fraga espera, com o alinhamento das ações definidas na videoconferência, que já nas próximas semanas começam surtir efeitos, “no que diz respeito ao controle mais eficaz do crescimento da pandemia em Mato Grosso, além de estabelecer estruturas de saúde para atender a população, quando demandada”, concluiu o presidente da AMM.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Estadual

Governo do Estado firma parceria para abertura de 40 novas UTIs na região sul de MT

Publicados

em

Compromisso foi firmado em reuniões feitas pelo governador com os prefeitos José do Pátio e Leonardo Bortolin

Lucas Rodrigues

Reunião gabinete de situação 16.06.2020 – Foto por: Christiano Antonucci
A | A

O Governo do Estado firmou parceria com as prefeituras de Rondonópolis e Primavera do Leste para a abertura de novas 40 UTIs na região sul de Mato Grosso, exclusivas para o atendimento dos casos de coronavírus.

O compromisso foi firmado na tarde desta terça-feira (16.06), durante duas reuniões.A primeira foi do governador Mauro Mendes com o prefeito José Carlos do Pátio (Rondonópolis), o senador Wellington Fagundes e os secretários Mauro Carvalho (Casa Civil), Gilberto Figueiredo (Saúde) e Alberto Machado (Gabinete de Governo).

A segunda reunião foi com com o prefeito Leonardo Bortolin, de Primavera do Leste, que também contou com a participação dos secretários.

“Essa estratégia de abrir leitos por todo o Estado é importante para salvar vidas. Mas também precisamos da ajuda da população, que tome todos os cuidados, fique em casa se puder, e se precisar sair tome todas as medidas segurança, use máscara o tempo todo e faça tudo aquilo que é recomendado. Não se pode brincar com a vida. O Governo está fazendo a sua parte e é preciso que cada um faça a sua”, afirmou o governador, que agradeceu ao senador Wellington Fagundes pelo apoio para conseguir equipamentos às UTIs.

Leia Também:  Prefeito de Nova Maringá distribuirá medicamento a toda população para prevenção da Covid-19

Ficou acordado nas reuniões que serão abertos 10 leitos novos de UTIs para Primavera do Leste e 30 em Rondonópolis.

Rondonópolis conta hoje com 30 UTIs para o coronavírus, sendo 10 no Hospital Regional, 10 na Santa Casa e 10 na Unidade de Pronto Atendimento.

Para aumentar a capacidade, ficou acertada a abertura de mais 30: o Governo irá contratar 10 UTIs na Santa Casa, enquanto a Prefeitura garantiu a abertura de mais 20 leitos de UTI no hospital que o município abrirá nos próximos dias. Essas 20 UTIs terão o custeio pago pelo Governo do Estado e pelo Ministério da Saúde.

Também serão destinados 20 respiradores que o Estado recebeu do Ministério da Saúde para equipar os leitos. Com essas 30 novas UTIS, somadas às 30 já existentes, Rondonópolis terá um total de 60 unidades de terapia intensiva para o coronavírus.

“Quero agradecer ao governador e ao senador Wellington. Essa videoconferência foi muito produtiva e me senti contemplado enquanto representante do município”, afirmou o prefeito José Carlos do Pátio.

Leia Também:  Deputado Thiago solicita que Estado crie programa de atendimento aos moradores de rua

Já em Primavera do Leste, ficou acertada a abertura de 10 novos leitos cujas diárias para custeio serão pagas pelo Estado e pelo Ministério da Saúde.

“Agradeço ao governador por essa parceria, ao secretário Gilberto e em especial aos municípios de Poxoréu, Paranatinga e Santo Antônio, que estarão entrando com a sessão dos equipamentos, leitos, respirador e o Estado vai pagar 100% da manutenção em parceria com o Governo Federal. Com certeza isso vai ajudar muito a população que estiver com o quadro agravado de covid-19”, destacou o prefeito Leonardo Bortolin.

Para o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, o trabalho de interiorizar os leitos de UTI irá salvar muitas vidas e dará agilidade no atendimento.

“Temos mais de 15 municípios em tratativas com o Governo do Estado para abertura de leitos de UTI. Isso interioriza as unidades de UTI para a covid-19, diminui o fluxo de pacientes que precisam ser enviados à Grande Cuiabá e dá mais resolutividade onde os pacientes de fato estão”, ressaltou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA