Economia

Policia Civil diz que mais um lote da cerveja Belorizontina está contaminado

Investigação

Publicados

em

Com informações O Tempo

Mais um lote da cerveja Belorizontina está contaminado, diz Polícia Civil

Laudos de peritos da Polícia Civil apontam que, neste terceiro lote contaminado, duas substâncias tóxicas atingiram a bebida

Além dos dois lotes de cerveja contaminados por dietilenoglicol – L1 1348 e L2 1348 –, a Polícia Civil de Minas Gerais confirmou, nesta segunda-feira (13), que ainda um terceiro lote da cerveja Belorizontina, da Backer, também estaria contaminado por substâncias tóxicas.

Além de ter entrado em contato com o dietilenoglicol, a bebida também teria sido contaminada por monoetilenoglicol. De acordo com o delegado Flávio Grossi, da 4ª Delegacia de Polícia Civil do Barreiro, o lote no qual a nova substância foi encontrada foi distribuído com o rótulo Capixaba e circula no Espírito Santo. Até o momento, não há investigação criminal sobre casos em outro Estado.

A contaminação da cerveja é apontada como uma das possíveis causas para o adoecimento de dez pessoas que a teriam ingerido ou adquirido em pontos do bairro Buritis, na região Oeste de BH, antes de serem internadas. Há ainda uma 11ª vítima, confirmada apenas nesta segunda-feira. Trata-se de uma mulher internada no Hospital Municipal São João Batista, em Viçosa, na Zona da Mata.

Leia Também:  Aumento no preço do etanol em MT não tem relação com nova lei sobre incentivos fiscais afirma governo

Todas elas apresentam o mesmo quadro sintomático denominado “síndrome nefroneural”. Os pacientes foram acometidos por insuficiência renal grave e alterações neurológicas. Um deles, morador de Ubá internado na Santa Casa de Juiz de Fora, na Zona da Mata, não resistiu à gravidade dos sintomas e morreu na quarta-feira passada (8).

Casos no Buritis

De acordo com o delegado Flávio Grossi, houve a coincidência dos casos no Buritis por uma questão relacionada à distribuição da bebida. Ainda segundo Grossi, o evento Black Friday ocorreu durante a janela de produção e distribuição do lote contaminado.

“Por isso, houve uma venda concentrada no bairro Buritis, mas também uma venda que fez as pessoas comprarem um volume maior de cerveja, além do maior consumo maior nas festividades de final de ano”, explicou o delegado.

Assista a um trecho da entrevista coletiva com o delegado Flávio Grossi:

Loading video

Os exames laboratoriais de três dos pacientes, que ficaram prontos nos últimos dias, confirmam a presença de dietilenoglicol na corrente sanguínea dessas pessoas.

Leia Também:  Polícia Civil apreende mala com 10 tabletes de maconha

Com isso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) orientou os profissionais da saúde a seguirem um novo protocolo clínico para tratamento de intoxicação por dietilenoglicol.

Os investigadores da Polícia Civil ainda buscam identificar todos os lotes de bebida que teriam sido consumidos pelos pacientes internados para, por fim, encontrar aqueles que estariam contaminados.

Uma força-tarefa composta pela instituição, por técnicos da Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde e da SES-MG investigam o caso.

A reportagem procurou a assessoria da cervejaria Backer para que a empresa possa comentar a descoberta de um novo lote contaminado pela substância química, mas ainda não obteve retorno.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Saiba as as regras de inscrição do Cadastro Único para ter o auxílio emergencial

Publicados

em

 

Entenda as regras de inscrição do Cadastro Único para ter o auxílio emergencial. O Cadastro Único é o instrumento que o governo usa para registrar e identificar as famílias brasileiras de baixa renda. Ele torna visível a população mais vulnerável, em todo o nosso território, e permite ao poder público conhecer suas necessidades. Por isso é importante manter o Cadastro atualizado, para que o governo conheça melhor as famílias e ofereça serviços sociais que contribuam para a melhoria da vida de todos.

O Cadastro é o primeiro passo para que os cidadãos possam ter acesso a vários programas sociais do Governo Federal, como o Bolsa Família – PBF, o Benefício de Prestação Continuada – BPC, o Programa Cisternas, a Tarifa Social de Energia Elétrica, o Programa Minha Casa Minha Vida, a Bolsa Verde, entre outros. Além disso, ele também pode ser utilizado para a seleção de beneficiários de programas ofertados pelos governos estaduais, municipais e do Distrito Federal – DF. Mas vale lembrar que estar no Cadastro Único não significa a entrada automática nesses programas, pois cada um deles tem suas regras específicas.

Leia Também:  Presidência da República cria Comitê de Crise para supervisão e Monitoramento dos Impactos do Coronavirus no Brasil

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA