AGRONEGÓCIOS

Pecuária e Tecnologia uma parceria que dá certo

Publicados

em

Pecuária e Tecnologia- parceria que dá certo!

 

Reconhecida internacionalmente por sua qualidade, a carne é um produto brasileiro consumido em mais de 150 países. O Brasil chegou a tal situação depois de várias décadas de investimentos em pesquisa e inovação tecnológica em toda a cadeia produtiva.

E entidades como a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), fundada há quase 50 anos, contribuíram e continuam contribuindo para essa realidade. Representando os interesses de milhares de pecuaristas de Mato Grosso, estado com o maior rebanho do Brasil, a Acrimat sempre busca o que está na vanguarda da tecnologia, realizando diagnósticos que pontuam as demandas dos produtores, para em seguida as transformar em projetos quando necessário; e promovendo capacitações e qualificações em atividades como a Acrimat em Ação e Acricorte, que levam ao produtor rural conhecimento científico de ponta.

Tendo como missão ser uma associação inovadora, é natural que a Acrimat sempre fez proveito de novas tecnologias para melhorar a qualidade da carne produzida em MT, e dados de entidades respeitadas pelo mercado, como a Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP), certificam que nossas carnes são de alta qualidade, atendendo tanto especificações federais internas como as de importadores.

O resultado é que o Brasil é muito bem visto no exterior como produtor de alimentos, pois além da alta qualidade que a carne precisa ter, para atender mercados extremamente exigentes, nossa produção é, em sua maioria, advinda de animais a pasto, que têm um dos menores custos do mundo. Estudos como apresentado pela Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), enumeram as vantagens da criação a pasto. Os animais expressam em suas carnes a dieta consumida, e as produzidas por bovinos criados no campo têm melhor constituição, com maior participação de ômega 3 e ácido linoleico conjugado (CLA).

Leia Também:  Portal JBNews inaugura novo layout de pagina em comemoração aos seus 11 anos

A pecuária nacional começou com a colonização, a princípio como atividade de subsistência. A partir dos anos 1950, começou um processo de modernização do setor, com o surgimento dos primeiros grandes frigoríficos. No artigo “Inovações tecnológicas e agronegócio da carne bovina no Brasil”, divulgado em 2009, o economista Leonardo Henrique de Almeida e Silva lembra que na década de 1970, favorecido pelo chamado milagre econômico, o país deu início à montagem de um complexo agroindustrial.

Na década de 90, após a recessão da economia mundial, o crescimento voltou com força e a pecuária nacional deu início a um período de importantes inovações tecnológicas. Rastreabilidade eletrônica, genética animal e modernas formas de processamento da carne bovina colocaram o Brasil em situação de destaque.

Outros fatores contribuíram para o sucesso internacional da carne brasileira, e o crescimento das exportações foi essencial para que muitos produtores começassem a investir em sustentabilidade, focando em meio ambiente e bem-estar animal. E para atingir esse objetivo, foi precisar aprender novas técnicas de uso e manejo do solo, propiciando meios de maior produção na mesma área utilizada anteriormente, reduzindo custos e aumentando a margem de lucro.

Leia Também:  MP de MT regulamenta uso de WhatsApp para comunicação de atos processuais com à vítima e o investigado

E quem proporcionou que a nutrição, a genética e o próprio manejo evoluíssem para a obtenção de maior desempenho do rebanho foi a tecnologia, que a cada dia oferece mais e mais ferramentas para o pecuarista. Outro exemplo: o bom manejo dos animais. O bem-estar deles leva a maior desempenho individual, pois manter o bovino em situação favorável agrega valor e favorece sua produtividade.

A nutrição dos animais, outra técnica que tem avançado muito e a qualidade da ração, aprimorada com a inclusão de núcleos minerais, são atividades complementares que somam valoração no trabalho do pecuarista.

Por isso digo, sem medo de errar, que a união da tecnologia e pecuária é uma parceria que dá certo!

*Dr. Oswaldo Ribeiro é pecuarista e médico radiologista, e assume como presidente da Acrimat em 1º de janeiro de 2020.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AGRONEGÓCIOS

Acrimat em Ação contará com Dia do Campo

Publicados

em

A Acrimat representa o setor que detém o maior rebanho bovino do Brasil: são mais de 30 milhões de cabeças. Mato Grosso é ainda o maior produtor de carne, com 1,28 milhões de toneladas.

Ascom/Acrimat

acrimat em acao em campo.jpeg

Em sua 10ª edição, o Acrimat em Ação, maior programa itinerante da pecuária de corte mato-grossense, contará com um dia de campo. A novidade consiste de visita técnica realizada a uma propriedade localizada em um dos municípios pólo visitados pela equipe da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat).

“Nesta edição comemorativa de 10 anos, os municípios polo de cada rota contarão, pela 1ª vez, com o Acrimat em Ação em Campo”, conta o diretor técnico da entidade, Francisco Manzi. “Uma fazenda previamente escolhida abrirá suas porteiras para juntos, proprietário, equipe da Acrimat e palestrante mostrarem em loco tanto a aplicação prática do tema da palestra como responder a questionamentos dos pecuaristas que forem ao evento”, explica Manzi.

Na Rota 01, o Dia de Campo será realizado na Fazenda Girau, de propriedade de Marcello Affonso. A fazenda fica a três quilômetros de Cáceres, na rodovia que leva ao distrito de Vila Aparecida (MT-343). No encontro, o palestrante da primeira rota, Flávio Dutra, participará de um bate papo informativo com o tema ‘Pecuária de Corte de Sucesso: um caminho sem volta”.

Leia Também:  Conheça a Band 3, pulseira inteligente da Huawei que chegou ao Brasil

Sobre o Acrimat em Ação, o presidente da associação, Oswaldo Ribeiro, destaca: “nosso objetivo é oferecer conhecimento técnico sobre assuntos pertinentes à pecuária de corte; fomentar discussões que estimulem o desenvolvimento da pecuária; promover uma maior integração entre os produtores e captar as necessidades específicas de cada região”.

Rota 01

A Rota 01 dá o ponta-pé inicial ao programa. A primeira cidade a ser visitada será Pontes e Lacerda, no dia 28 de fevereiro. No dia seguinte, será Vila Bela da Santíssima Trindade. Poconé (02.03), Rio Branco (03.03) e São José dos Quatro Marcos (04.03) são os próximos municípios a receber a comitiva da Acrimat. O encerramento ocorre em Cáceres, nos dias 6 e 7 de março.

Acrimat em Ação

A Acrimat representa o setor que detém o maior rebanho bovino do Brasil: são mais de 30 milhões de cabeças. Mato Grosso é ainda o maior produtor de carne, com 1,28 milhões de toneladas. Nesse contexto, a Acrimat promove o evento com o formato de circuito com palestras que levam ao debate, conhecimento, troca de informações com temas de relevância à bovinocultura de corte.

Leia Também:  Xô, Black Fraude: extensões do Google Chrome vão te mostrar o menor preço

Ao longo de três meses, a equipe técnica da Acrimat também faz o trabalho de levantamento e coleta de dados, captando as necessidades específicas de cada região visitada.

Para esta edição, a expectativa é de que as palestras sejam assistidas por mais de 5 mil pessoas. O público-alvo é formado por pecuaristas de pequeno, médio e grande porte; além de lideranças empresariais do agronegócio.

O programa conta com patrocínio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi), Fundo Mato-grossense de Apoio à Cultura da Semente (Fase-MT), Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat) e FS Bioenergia.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA