Economia

Parque Tecnológico é apresentado para comerciantes e empresários de Várzea Grande

Publicados

em

Seciteci apresenta Parque Tecnológico para comerciantes e empresários de Várzea Grande

O empreendimento terá a capacidade de promover o desenvolvimento de empresas a partir de ideias e tecnologias geradas em instituições de ensino e pesquisa, mas com a parceria de executivos e empresários

Por Camila Paulino

Com informações Seciteci

O secretário e a superintendente da Seciteci, Nilton Borgato e Lectícia Figueiredo, fizeram a abertura do evento – Foto por: Camila Paulino – Seciteci

A Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci) apresentou o Parque Tecnológico Mato Grosso aos empresários e comerciantes várzea-grandenses, nesta quinta-feira (10), na sede da Câmara de Dirigentes Lojistas de Várzea Grande. Durante a reunião, o secretário da Seciteci, Nilton Borgato, ressaltou a importância deste empreendimento criado e gerido pelo Estado para promover pesquisa e inovação na área tecnológica. Na ocasião, reafirmou o compromisso do Governo com o desenvolvimento tecnológico de Mato Grosso.

“Estamos trabalhando fortemente para o desenvolvimento científico de Mato Grosso, tanto que recentemente o governador assinou o decreto que regulamenta a lei voltada à ciência, tecnologia e pesquisa do Estado, com o objetivo de contribuir com a autonomia tecnológica, além de promover a capacitação e o desenvolvimento científico”, disse.

A superintendente de Desenvolvimento Científico Tecnológico e de Inovação da Seciteci, Lectícia Figueiredo, ressaltou a importância destas iniciativas para ampliar as ações do Parque Tecnológico. “Este evento foi importante para sanar dúvidas, recebermos ideias e alinharmos as ações voltadas ao Parque, que vai estimular a cooperação entre instituições de pesquisa, universidades e empresas de todo o Estado”, falou.

Leia Também:  Município é notificado a revogar parte de decreto que flexibiliza medidas

 

Rogério Nunes, coordenador do Parque Tecnológico, apresentando o projeto aos comerciantes e empresários de Várzea Grande
Créditos: Camila Paulino

Rogério Nunes, coordenador do Parque Tecnológico, explica que o empreendimento é um importante mecanismo no processo de inovação tecnológica de Mato Grosso, em especial por ter a capacidade de promover o desenvolvimento de empresas a partir de ideias e tecnologias geradas em instituições de ensino e pesquisa, mas com a parceria de executivos e empresários.

“Este momento é de suma importância porque as ações do Parque estão avançando, e agora estamos promovendo esta conversa com empresários e investidores para ouvirmos os seus anseios e dúvidas. Até porque, queremos que a iniciativa privada venha integrar as ações do Parque, trabalhando conosco, para construirmos juntos os processos”, disse.

O Parque será um ambiente voltado à criação, desenvolvimento, disponibilização de soluções tecnológicas e atração de empresas inovadoras ao mercado. Localizado na região do Chapéu do Sol, em Várzea Grande, a área total do Parque Tecnológico é de 16 hectares.

Conforme acordo com a Prefeitura, a gestão municipal deverá executar as obras de infraestrutura, com o fornecimento de água, esgoto e energia na região. O asfalto já está sendo executado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra).

Leia Também:  Governo de MT lamenta a forma que o prefeito de Cuiabá politiza a situação do Covid-19

O secretário de Desenvolvimento Urbano, Econômico e de Turismo do município, José Roberto, afirma que projeto mudou o perfil da cidade, pois vai melhorar a renda local e a cidade vai dar um salto no desenvolvimento. “A prefeitura vai fazer toda parte da infraestrutura do bairro, para garantir o desenvolvimento desta região, que, com certeza, será bastante valorizada, pois se tornará um polo educacional e tecnológico com a instalação da UFMT, do IFMT e futuramente a Unemat”, falou.
Em maio deste ano, o governador Mauro Mendes assinou a ordem de serviço para construção do Centro de Inovação do Parque Tecnológico Mato Grosso, em Várzea Grande. Serão investidos R$ 8 milhões na obra.

O projeto moderno com estruturas metálicas prevê a implantação de um centro de inovação, incubadoras, aceleradoras, centro de pesquisas, edifícios corporativos, estacionamento, parques, restaurantes e espaço para prestadoras de serviço.

Empresários e comerciantes de Várzea Grande conheceram um pouco mais sobre o projeto do Parque Tecnológico Mato Grosso
Créditos: Camila Paulino
COMENTE ABAIXO:

Economia

Projeto abre inscrições para capacitar empreendedoras negras de Cuiabá

Publicados

em

Por

 

   

Esta é uma ação cultural com resgate das heranças culturais e históricas deixadas pelas pretas quituteiras e proprietárias das tabernas do centro histórico de Cuiabá 

 

 

Por Beatriz Saturnino 

 

Estão abertas as inscrições gratuitas do projeto “Potências Negras de Cuiabá: estratégias femininas – Passado e Presente”, financiado pela Lei Aldir Blanc, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, que realizará seis encontros, com palestras, debates e oficinas, entre os dias 08 e 13 de março, para ensinar mulheres a atuarem e administrarem em seus negócios. O público alvo é a mulher negra, empreendedora, atuante na sociedade cuiabana, que tiveram e têm dificuldades em gerir os seus negócios neste cenário de pandemia da Covid-19.  

 

 

Esta é uma ação cultural que busca, por meio do resgate das heranças culturais e históricas deixadas pelas pretas quituteiras e proprietárias das tabernas do centro histórico de Cuiabá (MT), fortalecer e reestruturar as redes culturais e produtivas das empreendedoras negras no presente.  

 

E dentre elas existe a historiadora e economista, Evanilda Maria Ramos dos Santos, a “Tina”, uma das palestrantes, que também será homenageada pelo importante trabalho de educação financeira que ela desenvolve nas periferias de Cuiabá e Várzea Grande, para promover a auto independência de mulheres. 

Tina é do Fórum Estadual de Mulheres Negras, com sede em Cuiabá, e a partir do projeto de educação financeira ela começou a criar parcerias, sem qualquer repasse de dinheiro público, e conseguiu uma estrutura de psicóloga, fisioterapeuta e nutricionista, para mulheres, principalmente aquelas que são vítimas de violência. Tudo isso na área da casa dela, pois não tinha outro lugar, e até fornece alimentação vindo também da horta criada no local. 

 

O Potências Negras é um projeto pensado para apresentar e trazer visibilidade social ao empreendedorismo das mulheres negras que valorizam os saberes ancestrais, bem como estratégias desses saberes na gestão cultural de seus negócios. Promovendo independência, valorização de autoestima, geração de emprego e renda, e, sobretudo, em um movimento cultural antirracista”, destaca a historiadora, mediadora e produtora do projeto, Silviane Ramos. 

 

Silviane é mestre pela Universidade Federal de Mato Grosso, e doutora pela Universidade Federal de São Carlos, ambos em História. Também é ativista das mulheres negras e empreendedoras culturais, sendo a primeira mulher a empreender um quilombo urbano na capital mato-grossense.  

Foi conselheira Nacional do Patrimônio Imaterial e tem longa carreira no que tange a preservação das festas de santos e outros desdobramentos do patrimônio imaterial. Fez diversos cursos no âmbito da cultura, sobretudo quilombola e é militante fundadora de diversas entidades estaduais acerca das manifestações negras como: Fórum Estadual de Mulheres Negras, Coletivo Herdeiras do Quariterê e Coletivo Maria Taquara.  

 

Além de Silviane, Tina e da proponente do projeto Potências Negras de Cuiabá, Letícia Oliveira, os encontros serão fomentados por um grupo de mulheres de peso, entre historiadoras, educadoras e cientistas sociais, bem como advogada, economista e ilustradora. 

 

PROGRAMAÇÃO  

 

A mediação das oficinas será feita pela proponente Letícia Oliveira, mestre em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2020), e que atua como produtora de ações culturais junto com a população negra e quilombola do estado de Mato Grosso. Centra seus estudos e projetos, especialmente, nas manifestações culturais e religiosas afro-brasileiras, patrimônio e memória da diáspora africana. 

 

O projeto começa no Dia Internacional da Mulher (08.03), com o tema “Os sentidos femininos de empreender”, onde as historiadoras Silviane Ramos e Joana Oliveira vão debater “Quem empreende cultura ancestral?”.  

 

O segundo encontro (09.03) traz “Evidências e heranças no centro histórico de Cuiabá”. Com a palestra: “O que ensinam nossas ancestrais? Mulheres negras e atuantes na sociedade cuiabana dos séculos passados”, por Silviane Ramos e ilustradora e historiadora, Cristina Soares. 

 

Na quarta-feira (10.03) é a vez da assistente social, Elis Regina Prates, e da Tina com o tema “Aprendendo como as nossas ancestrais”, e mediação por Silviane Ramos. Também haverá um ciclo de oficinas ensinando mulheres a atuarem e administrarem em seus negócios. 

 

No dia 11 de março, o encontro traz o tema “Apropriando-se das estratégias negras”, com um ciclo de oficinas ensinando mulheres a atuarem e administrarem em seus negócios, pela advogada Naryanne Ramos e a historiadora Silviane Ramos. 

 

“Você mulher negra, você mulher potência, venha participar desta roda de conversa e importante debate para o empreendedorismo e a valorização ancestral”, convida Letícia Oliveira. 

 

SERVIÇO  

 

As inscrições são gratuitas, destinadas aos interessados com idade a partir dos 18 anos, e devem ser feitas pelo e-mail potenciasnegrasdecuiaba@gmail.com. 

 

Os encontros acontecerão de forma virtual, com transmissão ao vivo pela página do Facebook, “Potências Negras de Cuiabá”, sempre às 19h. Ao final, quem concluir com 75% de presença, ganhará o certificado de seis horas, que será enviado de forma digital, por e-mail. Mais informações pelo Instagram @potencias_negras_de_cuiaba. 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  “Manutenção do superávit permite ao Governo fazer o maior investimento da história de MT”
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA