Arquivos JB News 10 Anos

Outro caminho para o Brasil

Publicados

em

 

 


Wellington Fagundes

 

No dia 1º participei, em Brasília, na qualidade de expositor, do encontro sobre “Navegação de Cabotagem – Como o Brasil Vai Desenvolver a ‘BR do Mar”, com a presença de inúmeras autoridades e operadores do setor. O debate sobre esse tipo de transporte, que se realiza entre os portos do país e pela costa brasileira, ocorre em um momento muito propício, agora que o Brasil aguarda a publicação, pelo Poder Executivo, de Medida Provisória que remova os atuais entraves ao desenvolvimento de setor.

 

Os benefícios econômicos e sociais da navegação de cabotagem são expressivos. Ela é menos poluente, já que um navio emite quatro vezes menos carbono por tonelada transportada do que um caminhão. Também diminui o congestionamento nas estradas: uma única embarcação de 6 mil toneladas transporta a mesma carga que 172 carretas de 35 toneladas.

Hoje em dia, as rodovias concentram 63% do escoamento da produção, enquanto o modal aquaviário movimenta apenas 13%, aí incluídos os segmentos hidroviário e de cabotagem. Para efeitos de comparação, na China, mais da metade de toda a produção é escoada pelo modal aquaviário.

Leia Também:  Deputado Dr. Leonardo cobra conclusão de obras habitacionais da Caixa em Mato Grosso

 

Estima-se que a navegação por cabotagem pode ser até 30% mais barata que o transporte rodoviário. Na prática, o uso dessa modalidade de transporte significa oferecer itens mais baratos para os clientes, aumentar a competitividade e a lucratividade — melhorando o posicionamento de mercado.

 

Vale destacar que o Brasil foi premiado pela natureza e pela História com um litoral que se estende por quase 8 mil quilômetros — ou 10 mil, se acrescentarmos o trecho até Manaus – nossa Amazônia Azul.

 

Outra vantagem adicional do estímulo à navegação como modal de transporte pode ser medida no que classificamos como “grave situação”, que são os roubos e furtos de cargas na estrada. Os níveis alarmantes tem feito com que as empresas busquem alternativas para o transporte ou invistam mais sem segurança, aumentando os custos operacionais (que são repassados a nós, consumidores).

 

Por isso, o estímulo ao uso do modal hidroviário – incluindo a cabotagem, se faz necessário. Não se trata, obviamente, de privilegiar este ou aquele modal, mas de ajudá-los a se complementar de maneira mais eficiente, permitindo ao Brasil — repito — uma logística mais equilibrada. E, por consequência, redução de custos, que deve refletir diretamente na vida da população consumidora.

Leia Também:  Eduardo Botelho propõe política de incentivo às feiras de alimentos orgânicos

 

Para tanto, se faz necessário ultrapassar o empecilho da falta de investimento — tanto do Governo, quanto das empresas que ainda não exploram essa opção. E isso se dará com regras claras e segurança jurídica, a partir de um diálogo produtivo entre o mercado, o Congresso, o Poder Executivo, as agências reguladoras e os órgãos de fiscalização e controle para desatar os nós burocráticos, prestigiar o empreendedorismo e, assim, turbinar a criação de mais e melhores empregos para os trabalhadores do Brasil.

 

*Wellington Fagundes é senador por Mato Grosso e presidente da Frente Parlamentar Mista de Logística e Infraestrutura

COMENTE ABAIXO:

Arquivos JB News 10 Anos

Kalil Baracat cobra melhorias na pavimentação de bairros

Publicados

em

Por

 

O vereador por Várzea Grande, Kalil Sarat Baracat de Arruda apresentou duas indicações que visam melhorias na pavimentação asfáltica de dois bairros da cidade.

Sua primeira indicação solicita do Poder Executivo Municipal junto à Secretaria de Infraestrutura a necessidade de serviços de tapa buracos e reparos na pavimentação asfáltica nas ruas do bairro Jardim Novo Horizonte, em sua totalidade.

Segundo Kalil a proposta é urgente e visa à realização de “tapa buracos” e reparos na pavimentação asfáltica.

“As ruas do bairro em questão encontram-se totalmente esburacadas, quase sem condições de tráfego, provocando pequenas colisões e avarias nos veículos dos que por ali transitam. É tamanha a calamidade em que se encontram as vias que não é possível especificar onde e quão grandes são os buracos. Atender à solicitação daquela comunidade é cumprir com o dever social e zelar pelo bem público e pelos munícipes”, explica o vereador.

Os moradores do bairro Jardim Potiguar também vem passando pelo mesmo problema e dessa forma, Kalil também indicou a necessidade de serviços de tapa buracos e reparos na pavimentação asfáltica em todas as ruas do bairro.

Leia Também:  TRE denuncia venda de senhas em fila para biometria em Cuiabá

“ As ruas Jardim Potiguar estão cheias de buracos com o aumento do fluxo de veículos pela região devido aos desvios das obras da Copa, quase que sem condições de tráfego. Além da falta de conforto e segurança, os buracos deixam o bairro com aspecto feio e mal cuidado desvalorizando os imóveis construídos ali. Dezenas de colisões com prejuízos financeiros e lesões físicas são registradas todos os dias naquele local”, disse Kalil Baracat.

 

Michelle Carla Costa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA