Arquivos JB News 10 Anos

O significado da reconstrução da mama para as mulheres que passaram por mastectomia

Publicados

em

JBN

O câncer de mama é segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Em alguns casos é necessária a retirada total da mama (mastectomia) em outros só  a parcial, mas de alguma forma o psicológico da mulher é abalada pela mutilação que sofre vendo ser retirada um pedaço da sua feminilidade. 

Uma opção após a alta é a reconstrução da mama. Mais que uma cirurgia é uma ‘injeção’ para de ânimo para as mulheres que lutaram contra essa doença com sessões de quimioterapia e radioterapia. A reconstrução da mama com implante ou não de silicone ajuda e muito na autoestima.

A cirurgia é como qualquer outra. Exige indicação do médico e completa avaliação do risco cirúrgico.

 

Tanto é usado para preencher a mama a técnica de retalhos retirado da região abdominal ou dorsal (costas), é levado ao local a ser operado. O retalho é um tecido retirado de uma região do corpo e transferido a outra.

Leia Também:  Geriatria ajuda a envelhecer com qualidade de vida, independência e mobilidade

 

Entre 3 e 6 meses depois da reconstrução, a paciente pode passar  por uma cirurgia complementar e se preciso opera a outra mama para deixar as duas simétricas.  

 

Algumas mulheres podem ter que reconstruir o bico e auréola do peito. Nesses casos tanto podem se usar a técnica da tatuagem como pode ser feito com enxertos de pele e mucosas próprios da paciente. O médico discute com a paciente qual será a melhor opção.

 

Essas cirurgias em média duram 3 horas e o pós-operatório deve ser seguido com repouso, uso de antibióticos e anti-inflamatórios.

 

É importante a paciente saber que a sensibilidade da mama não volta ao normal após a reconstrução mamária, ainda que possa melhorar com o tempo. A cicatrização é um processo lento, que costuma deixar marcas, ainda que discretas.

 

Em caso de implantes de silicone é necessária a realização de exames de acompanhamento periódicos.

 

Qualquer alteração na mama reconstruída deve ser informada imediatamente ao seu médico.

 

Vale lembrar que o câncer de mama pode ser prevenido se a mulher fizer o exame do toque e pelo menos uma vez por ano fazer um checkup com ultrassom de mana e acima de 40 anos a mamografia. Se descoberto no início as chances de cura aumentam muito.

Leia Também:  MT ocupa o 5º lugar no ranking em geração solar distribuída

 

 Lembre-se o Instituto Nacional de Câncer(INCA) estima para o Brasil, 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres. Não se deixe entrar nesta estatística.

 

Benedito Figueiredo Junior é cirurgião plástico na Angiodermoplastic

COMENTE ABAIXO:

Arquivos JB News 10 Anos

Kalil Baracat cobra melhorias na pavimentação de bairros

Publicados

em

Por

 

O vereador por Várzea Grande, Kalil Sarat Baracat de Arruda apresentou duas indicações que visam melhorias na pavimentação asfáltica de dois bairros da cidade.

Sua primeira indicação solicita do Poder Executivo Municipal junto à Secretaria de Infraestrutura a necessidade de serviços de tapa buracos e reparos na pavimentação asfáltica nas ruas do bairro Jardim Novo Horizonte, em sua totalidade.

Segundo Kalil a proposta é urgente e visa à realização de “tapa buracos” e reparos na pavimentação asfáltica.

“As ruas do bairro em questão encontram-se totalmente esburacadas, quase sem condições de tráfego, provocando pequenas colisões e avarias nos veículos dos que por ali transitam. É tamanha a calamidade em que se encontram as vias que não é possível especificar onde e quão grandes são os buracos. Atender à solicitação daquela comunidade é cumprir com o dever social e zelar pelo bem público e pelos munícipes”, explica o vereador.

Os moradores do bairro Jardim Potiguar também vem passando pelo mesmo problema e dessa forma, Kalil também indicou a necessidade de serviços de tapa buracos e reparos na pavimentação asfáltica em todas as ruas do bairro.

Leia Também:  Violência

“ As ruas Jardim Potiguar estão cheias de buracos com o aumento do fluxo de veículos pela região devido aos desvios das obras da Copa, quase que sem condições de tráfego. Além da falta de conforto e segurança, os buracos deixam o bairro com aspecto feio e mal cuidado desvalorizando os imóveis construídos ali. Dezenas de colisões com prejuízos financeiros e lesões físicas são registradas todos os dias naquele local”, disse Kalil Baracat.

 

Michelle Carla Costa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA