Destaque

O Sagrado Feminino é tema de grupo com mais de 150 mulheres

Publicados

em

*MULHERES DA GRANDE FAMÍLIA*

Por Beatriz Saturnino

Qual a chave para o autoconhecimento? Nesta quarta-feira (25.11), às 19h30, pela plataforma virtual Google Meets, estudantes de psicologia e a psicóloga Adhriana Pontes, trazem a roda de conversa “O Sagrado Feminino” para mais de 150 mulheres do grupo.

Para ter o autoconhecimento é necessário se auto observar. Uma prática que deve ser realizada diariamente, sem julgamentos. Para isso é preciso se reconhecer e ressaltar o seu poder feminino, tendo consciência sobre seus próprios pontos fortes, para utilizar a seu favor, conhecendo suas limitações, tendo a chance de modificá-las.

Ou seja, quando se estabelece prioridades, é possível agir de forma equilibrada, com maior controle das suas emoções e, assim, consegue enxergar mais soluções quando os outros só vêem o caos.

Na noite de hoje (25), será debatido o tema “O Sagrado Feminino”, que vai falar do encontro da mulher consigo mesma, um resgate da essência feminina, indo para uma filosofia de vida que objetiva o despertar dessa mulher com uma consciência e insights de si.

Leia Também:  Inscrições para curso técnico gratuito em agentes de saúde vão até dia 17

E isso envolve a mulher enquanto mãe, avó, filha, empoderada, empreendedora; também a autoestima, a aceitação e a reconstrução do eu. Todos esses fatores contribuem para a construção e constituição do Sagrado Feminino, que vem dos primórdios na Literatura enquanto “ser sagrado”.

Participam do debate as estudantes do oitavo ano de psicologia da UNIC, do Estágio Específico I, Estefani Varella, Kamilla Alves, Marcia de Oliveira e Yasmim Amorim, com supervisão de Carla Queiroz, e a psicóloga Adhriana Pontes, como convidada.

*O Projeto*

O grupo Mulheres da Grande Família, comandado pela empresária e dona de casa, Leonora Sodré, é um projeto que nasceu há pelo menos um ano, e que durante a pandemia se sustentou com reuniões virtuais, oportunizando mulheres a se empoderar, trazendo conhecimento de forma multidisciplinar e profissional.

No dia 24 de novembro aconteceu o primeiro encontro presencial, em um café da manhã com workshop “Dicas de Mesa Posta- Café da manhã na prática”, com a especialista em Etiqueta Social, Renata Corrêa, integrante do Grupo Mulheres da Grande Família.

Leia Também:  Desembargador Mario Kono nega pedido de abuso de poder impetrado por Emanuel Pinheiro e manda Estado seguir com a construção do BRT

As lives são realizadas toda quarta-feira, sempre às 19h, em forma de bate-papo ou mini palestra. Já foram abordados os temas “Saúde Mental”, com foco em depressão, com a psicóloga Thais Dias Vidotti, “Mulheres em situação de risco”, com a advogada e presidente da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abracrim), Michelle Marie de Souza, “Automaquiagem”, com a maquiadora profissional Mayara Strobel, “Empoderamento prático através de ferramentas e furadeiras” com a engenheira Civil, Daniela Argenta, o tema “Receber Bem e Mesa Posta”, com a fonoaudióloga e especialista em Etiqueta Social, Renata Corrêa.

Também contamos com a palestra sobre fisioterapia pélvica, com a fisioterapeuta pélvica especialista em uroginecologia, coloproctologia, sexualidade e uropediatria, Fernanda Massaro, com o tema “Vulnerabilidade também é um valor psicológico”, e a “Política – Empatia, Tolerância e Empoderamento Feminino”, com a colaboradora Emanuelle Menezes, que é historiadora, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso, e especialista em ensino de História

COMENTE ABAIXO:

Destaque

Desembargador Mario Kono nega pedido de abuso de poder impetrado por Emanuel Pinheiro e manda Estado seguir com a construção do BRT

Publicados

em

JB News

Da Redação

 

 

O desembargador Mario Roberto Kono de Oliveira do (TJ_MT), da Turma de Câmaras Cíveis Reunidas de Direito Público e Coletivo, negou um pedido de liminar impetrado pela prefeitura de Cuiabá contra o governo do estado de Mato Grosso, alegado que o município não participou das oitivas da tomada de decisões que cancelou o a implantação do modal de transporte Veículo Leve Sobre Trilho (VLT), para o Bus Raoid transit (BRT).

A prefeitura alegou que o Governo tomou a decisão de forma unilateral, sem a participação dos municípios por onde o modal de transporte será implantado, quais sejam, Cuiabá e Várzea Grande, e que tampouco os estudos técnicos citado pelo pelas autoridades estaduais que teriam embasado tal decisão foram, foram disponibilizados aos municípios.

O prefeito Emanuel pinheiro argumenta no pedido que tem direito líquido e certo na participação do processo decisório da escolha do novo modal, e Argumenta que as funções públicas de interesse comum devem ser planejadas e executadas em regime de colaboração entre o Estado e os municípios da Região Metropolitana, com base em diretrizes e instrumentos definidos na legislação federal e estadual de regência, visando uma efetiva integração e compartilhamento de planos, políticas e ações no âmbito da região, e isso não ocorreu segundo o prefeito.

Leia Também:  Conselho da Mulher pede que possível abuso contra servidora do Indea sejam apurados dentro do devido processo legal, com as garantias cabíveis

Para Kono os elementos apresentados  pelo prefeito, através de seus procuradores não comportam o deferimento do pedido de liminar, e manda o Estrado seguir com mudança do modal, como previsto pelo governador Mauro Mendes (DEM), uma vez que ressaltado pelo próprio Impetrante, a alteração do modal de transporte intermunicipal depende de decisão do Ministério de Desenvolvimento Regional, não podendo este ser decidido de forma unilateral pelo Chefe do Executivo Estadual, e que a viabilidade da retomada das obras do Veículo Leve Sobre Trilhos é discutida desde julho/2019, entre o Governo do Estado, a Caixa Econômica Federal e o Ministério de Desenvolvimento Regional.

 

“Feitas estas considerações, diante dos elementos coligidos ao feito, não se evidencia, em sede de cognição sumária, que a autoridade coatora tenha promovido, unilateralmente, a alteração do modal de transporte intermunicipal, apenas manifestando a intenção de assim proceder, após o aval do Ministério de Desenvolvimento Regional, embasado em estudos e relatórios apresentados pelo Grupo de Trabalho composto pela Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, Governo do Estado e Caixa Econômica Federal, que em princípio, foram franqueados ao Impetrante. Logo, conclui-se pela ausência da plausibilidade do direito substancial invocado que autorize reconhecer, de plano, ofensa à direito líquido e certo, não havendo se falar, por ora, em ilegitimidade no ato perpetrado pelo Impetrado, mostrando-se prudente o aguardo do contraditório. Ante o exposto, indefiro o pedido liminar postulado no writ”. Decide.

Leia Também:  Gilberto Figueiredo retorna às atividades na Secretaria Estadual de Saúde

Veja aqui a decisão completa:👇

Decisão

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA