COVID-19

Notícia sobre animal com Coronavírus é alarmante e pode gerar uma nova crise de saúde pública

Publicados

em

Em plenário do Senado, Wellington Fagundes pediu que imprensa ajude a esclarecer o fato à população para que não haja pânico

 

Médico veterinário e membro da Academia Brasileira de Medicina Veterinária, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) alertou nesta terça-feira, 20, no plenário do Senado Federal, para os efeitos da notícia do primeiro caso de animal doméstico, que contraiu o vírus da Covid-19. O caso envolve uma gata e foi registrado em Cuiabá (MT). Ele pediu que a população não entre em pânico porque não há nenhum caso de registro de animal transmitindo a Covid para o ser humano.

 

Wellington Fagundes ressaltou que a ciência e a pesquisa no mundo inteiro garantem não haver risco de animais transmitirem o vírus para as pessoas mesmo na convivência próxima no ambiente doméstico. Esse fato é confirmado pelo próprio Conselho Federal de Medicina Veterinária. “Já há esse registro e um segundo registro também, mas, ao contrário, do humano levando o vírus para os animais” – observou.

 

O senador pediu aos veículos de comunicação para que ajudem a esclarecer notícia publicada pelo jornal O Globo e repercutida por outros meios de imprensa. Disse temer, principalmente, que a população se apavore e abandone os animais doméstico. Além de ser crime – ele enfatizou – a demasiada ocorrência de animais sem cuidados nas ruas pode provocar “um problema ainda mais sério de saúde pública”.

Leia Também:  Vacinação contra Covid-19 retorna nesta terça-feira no Centro de Eventos do Pantanal

 

No caso de Cuiabá, segundo a veterinária Valéria Dutra, professora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Mato Grosso, a gata foi infectada porque teve contato com os donos durante o período de isolamento deles. O animal pertence a um casal com um filho pequeno. Todos foram infectados em uma festa de família, em setembro. Os pais adoeceram, mas a criança ficou assintomática, assim como o animal.

 

O animal testou positivo pelo exame molecular de PCR, feito pela própria UFMT, mas apresentava sintomas do coronavírus. Os donos da gata que teve a confirmação da doença também estavam com coronavírus e tinham alta carga viral.

 

“Todos os cientistas do mundo garantem que não há nenhuma hipótese, até agora, comprovada nem possibilidade de contaminação dos animais domésticos para o ser humano em relação à Covid. Fica esse registro” – disse o senador.

 

ONÇA NO PANTANAL

 

Wellington Fagundes também celebrou esta semana a notícia da recuperação e volta ao Pantanal da onça pintada que havia sofrido queimaduras em função dos incêndios florestais que abateram o bioma com muita intensidade. Na época, o animal, além de ferido, estava desidratado. Ele parabenizou o trabalho dos médicos veterinários e ressaltou que o retorno da onça ao seu habitat é representativo e uma vitória de todos os envolvidos na luta contra o fogo.

Leia Também:  Ministério Público requer que Cuiabá e VG adotem medidas sanitárias mais restritivas

 

‘Ousado’, nome dado ao animal, foi solto no Parque Estadual Encontro das Águas, no Pantanal, mesmo local onde havia sido encontrado. Ele foi transportado de carro, de Goiás até Mato Grosso, e será monitorado nos primeiros dias de retorno a natureza.

 

COMENTE ABAIXO:

COVID-19

Mato Grosso recebe 25,4 mil doses da CoronaVac nesta quarta-feira

Publicados

em

Por

Até o momento, o estado já recebeu 224.560 mil doses de imunizantes contra a Covid-19

Por Ana Lazarini

Com informações SES-MT

Unidades desta nova remessa serão utilizadas como primeira ou segunda aplicação – Foto por: Christiano Antonucci | Secom

Uma nova remessa da vacina CoronaVac chegará em Mato Grosso às 10h50 desta quarta-feira (03.03), no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, por meio de um voo da Gol.

De acordo com o Ministério da Saúde, a previsão é de que 25,4 mil doses sejam entregues ao Estado para a imunização dos grupos da primeira fase da Campanha de Vacinação contra a Covid-19.

As unidades desta nova remessa serão utilizadas como primeira ou segunda aplicação. Para a vacina CoronaVac, o prazo para a aplicação da segunda dose varia entre 14 e 28 dias.

Imediatamente após a chegada do imunizante, as equipes da Vigilância Estadual trabalharão no recebimento das doses, na conferência da quantidade, na catalogação dos imunizantes e no encaixotamento para distribuição e retirada dos municípios.

Leia Também:  MPF pede na justiça derrubada do decreto do Governo de Mato Grosso

Até o momento, Mato Grosso já recebeu 224.560 mil doses de imunizantes contra a Covid-19.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA