COVID-19

Notícia sobre animal com Coronavírus é alarmante e pode gerar uma nova crise de saúde pública

Publicados

em

Em plenário do Senado, Wellington Fagundes pediu que imprensa ajude a esclarecer o fato à população para que não haja pânico

 

Médico veterinário e membro da Academia Brasileira de Medicina Veterinária, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) alertou nesta terça-feira, 20, no plenário do Senado Federal, para os efeitos da notícia do primeiro caso de animal doméstico, que contraiu o vírus da Covid-19. O caso envolve uma gata e foi registrado em Cuiabá (MT). Ele pediu que a população não entre em pânico porque não há nenhum caso de registro de animal transmitindo a Covid para o ser humano.

 

Wellington Fagundes ressaltou que a ciência e a pesquisa no mundo inteiro garantem não haver risco de animais transmitirem o vírus para as pessoas mesmo na convivência próxima no ambiente doméstico. Esse fato é confirmado pelo próprio Conselho Federal de Medicina Veterinária. “Já há esse registro e um segundo registro também, mas, ao contrário, do humano levando o vírus para os animais” – observou.

 

O senador pediu aos veículos de comunicação para que ajudem a esclarecer notícia publicada pelo jornal O Globo e repercutida por outros meios de imprensa. Disse temer, principalmente, que a população se apavore e abandone os animais doméstico. Além de ser crime – ele enfatizou – a demasiada ocorrência de animais sem cuidados nas ruas pode provocar “um problema ainda mais sério de saúde pública”.

Leia Também:  Municípios de Mato Grosso comemoram a aprovação do projeto que garante a compensação da Lei Kandir

 

No caso de Cuiabá, segundo a veterinária Valéria Dutra, professora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Mato Grosso, a gata foi infectada porque teve contato com os donos durante o período de isolamento deles. O animal pertence a um casal com um filho pequeno. Todos foram infectados em uma festa de família, em setembro. Os pais adoeceram, mas a criança ficou assintomática, assim como o animal.

 

O animal testou positivo pelo exame molecular de PCR, feito pela própria UFMT, mas apresentava sintomas do coronavírus. Os donos da gata que teve a confirmação da doença também estavam com coronavírus e tinham alta carga viral.

 

“Todos os cientistas do mundo garantem que não há nenhuma hipótese, até agora, comprovada nem possibilidade de contaminação dos animais domésticos para o ser humano em relação à Covid. Fica esse registro” – disse o senador.

 

ONÇA NO PANTANAL

 

Wellington Fagundes também celebrou esta semana a notícia da recuperação e volta ao Pantanal da onça pintada que havia sofrido queimaduras em função dos incêndios florestais que abateram o bioma com muita intensidade. Na época, o animal, além de ferido, estava desidratado. Ele parabenizou o trabalho dos médicos veterinários e ressaltou que o retorno da onça ao seu habitat é representativo e uma vitória de todos os envolvidos na luta contra o fogo.

Leia Também:  CDL de Várzea Grande e IHEMCO Banco de Sangue realizam campanha para arrecadação de bolsas de sangue

 

‘Ousado’, nome dado ao animal, foi solto no Parque Estadual Encontro das Águas, no Pantanal, mesmo local onde havia sido encontrado. Ele foi transportado de carro, de Goiás até Mato Grosso, e será monitorado nos primeiros dias de retorno a natureza.

 

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COVID-19

Academias de Cuiabá cobram de prefeitura ampliação de horário de funcionamento

Publicados

em

JB News

Por Rafael Medeiros

“Parece que a covid 19 só e transmitida das 14h às 16h, absurdo”

O final de ano ainda pode ser magro para o setor de academias em Cuiabá. O segmento permanece sob constante insatisfação com o poder publico municipal, do qual impõe ainda restrição de horário devido à pandemia. De acordo com a Associação Brasileira de Academias (Acad) em Mato Grosso, o setor apresenta melhoras nos quadros de funcionários e de alunos, porem esta distante do que era no mesmo período do ano passado, ainda mais com a chegada do final de ano.

“Historicamente o número de alunos tende a aumentar com a chegada das festas de final de ano, são pessoas que buscam por uma disposição melhor, corpo mais tonificado, e mesmo para aquelas eu precisam se manter mais saudáveis diante de complicações médicas. Porem com horário restrito, principalmente no horário pós almoço, as academias estão com dificuldades de absorver esse público, não é possível que a prefeitura de Cuiabá acredite que a Covid 19 seja transmitidas das 14h as 16h, não entendemos essa política restritiva. No Estado de Mato Grosso são aproximadamente 1.000 academias em Cuiabá são aproximadamente 300, algumas nem conseguiram voltar, faliram, mas esta é uma dura realidade apenas em Cuiabá que mantem essa política irracional”, desabafa Celso Mitsunari, representante da Acad Brasil.

Leia Também:  Eleitores poderão ser presos apenas em flagrante a partir de desta terça-feira

Em Cuiabá as academias representam o segmento que mais tempo permaneceu sob total restrição, mesmo sendo considerada uma atividade essencial por parte do governo brasileiro. Um dos maiores empresários do segmento Fitness de Mato Grosso, Amir Maluf, pondera sob o ponto de vista econômico e trabalhista com a restrição.

“Todo o setor fitness é penalizado, o custo em manter o funcionamento ficou mais elevado, pois matemos um rígido protocolo de biossegurança e isso exige mais profissionais de limpeza e atendimento. De outro lado o número de alunos diminuiu com restrição de um horário muito importante, e ainda trás transtornos as empresas, pois os funcionários ficam impedidos de trabalharem das 14h até às 16h.

Todas essas implicações não permitiu até o momento a recuperação financeira do setor que amargou meses de fechamento e teve a maior crise histórica”, defende Amir Maluf.

Antes da pandemia o setor emprega no Estado mais de 4,5 mil profissionais da área da saúde, apenas nos municípios de Cuiabá e Várzea Grande, e as demissões superaram a casa dos 40%”, contabiliza Celso Mitsunari,.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA