POLITICA

Neri Geller integra comitiva oficial que viabiliza Arthur Lira à presidência da Câmara Federal

Publicados

em

 

Na Região sul do Brasil

JB News

Da Redaçã

Na Região sul do Brasil

O deputado Neri Geller do PP de Mato Grosso, vem se mostrando um grande articulador na Câmara Federal, após assumir vice-presidência da frente Parlamentar da Agricultura (FPA) uma das mais importantes comissões de debate no Congresso Nacional, agora se mostra grande articulador para eleger o deputado Arthur Lira (PP/AL), presidente da Câmara Federal.
Neri integrou nesta segunda-feira 18, a comitiva oficial que viabiliza a presidência da Câmara Federal tendo como candidato o líder do PP, deputado Arthur Lira.

A eleição para escolha do novo presidente acontece no próximo dia 01 de fevereiro. A mesa diretora da Câmara decidiu agora a pouco que a eleição irá acontecer de maneira presencial. O deputado Arthur Lira fez um post nas redes sociais onde afirma que “Prevaleceu o que é regimental, o que está na constituição”.


A eleição para escolha do novo presidente tem também o deputado baleia Rossi do MDB que também tem apoio de um grupo de deputados.
Na semana passada o deputado Neri Geller articulou uma reunião com toda a bancada federal de Mato Grosso em Cuiabá-MT. A reunião teve como pauta o pedido de apoio da bancada de Mato Grosso a candidatura de Arthur Lira, com presença da maioria dos parlamentares que hipotecaram apoio ao líder do centrão.

Leia Também:  Governador Mauro Mendes pede auxílio do embaixador dos EUA para compra direta de vacinas

A vinda articulada pelo líder de bancada deputado Neri, demostra alinhamento politico do Estado com o modelo de gestão defendido por Lira. Tido em Brasília como um grande articulador, extremamente hábil na condução de temas difíceis.
A partir de hoje a comitiva que viabiliza a presidência estará reunindo com os deputados de Porto Alegre na da região Sul do Brasil, a comitiva irá reunir com o governador Eduardo Leite e os deputados da bancada, em seguida darão entrevista na sede do PP.

Ao JB News Neri Geller, defendeu que “A Câmara precisa de voz, e que essa voz seja independente, que tenha autonomia para falar em nome dos deputados e levar à uma condução tranquila. Esse tem que ser o perfil do novo presidente da Casa, e Lira possui qualidades importantes de um líder: cumpre palavra, tem bom senso e é aberto ao diálogo. Pronto! Esse é o perfil que o novo presidente da Casa precisa ter, além de coragem para o enfrentamento de temas delicados, porém essenciais”.
Geller ainda avalia, que a agenda proposta por Lira vem diretamente ao encontro de temas essenciais não apenas para a economia brasileira, mas principalmente para por fim aos gargalos impostos aos estados produtores, como Mato Grosso, responsável por sustentar grande parte do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. O enfrentamento de temas como o licenciamento ambiental, a reforma agrária e a própria reforma tributária têm puxado para baixo o avanço do Brasil. “Mesmo com todos os entraves o Brasil, e no caso, Mato Grosso tem conseguido avançar porque somos pujantes, porque nossos produtores não recuam diante das dificuldades. Agora imagina se os produtores pudessem trabalhar em condições favoráveis?”, destacou Geller.

Leia Também:  Deputado Dr. Eugênio assina pedido de suspensão do Zoneamento Socioeconômico Ecológico ao governador

No tocante à má condição das rodovias em Mato Grosso, Lira defendeu que o avanço do tema somente ocorrerá diante de uma articulação forte e independente em Brasília, a exemplo da implantação da Ferronorte e da conclusão das obras de duplicação da BR-163 até os portos do Contorno Norte.

Veja a defesa de Arthur Lira em prol da agricultura:👇

COMENTE ABAIXO:

POLITICA

Justiça pede bloqueio de R$ 29,8 milhões de Sergio Ricardo, Mauro Savi mais 4 por fraudes

Publicados

em

Por

JB News

Da Redação

A saga e o inferno astral do conselheiro afastado do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) Sérgio Ricardo de Almeida para provar sua inocência nos crimes de fraudes e corrupção, o qual seu nome vem sendo envolvido, a cada dia piora mais.
Após receber o aval do Superior tribunal de Justiça (STJ), para voltar ao cargo de Conselheiro no TCE-MT, Sérgio Ricardo precisa provar que não comprou a vaga na cadeira de conselheiro no tribunal, enquanto isso outros processos que envolvem o seu nome em suposto crime por fraudes e corrupção, quando ainda era deputado estadual atormentam e lhe tira o sono.

Dessa vez, o Juiz Bruno D´Oliveira Marques, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), determinou o bloqueio de mais de R$ 29 milhões de reais em bens dos ex-deputados estadual Mauro Savi, Sergio Ricardo de Almeida, do ex-secretário da Assembleia Legislativa de MT (ALMT), Luiz Márcio Pommt. O bloqueio também atingiu os bens dos empresários, Jorge Luiz Martins Defanti, Adair Noragrol e João Dorileo Leal.

Leia Também:  Para Fávaro o mais importante é garantir o auxílio emergencial para a população que mais necessita até o fim da pandemia

A decisão foi proferida nesta quarta-feira (03.03), que segundo a denúncia, os réus participaram de esquemas de fraudes nas licitações na casa de leis estadual conforme delatado pelo ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Geraldo Riva.
Segundo Riva, os materiais gráficos foram comprados e nunca foram entregues para a Assembleia, somente emitiam notas frias.
O ministério público de Mato Grosso (MPE-MT) alega que durante as investigações “comprovou-se que o referido pregão não passou de um subterfúgio para apropriação de receita pública pelos operadores do esquema na ALMT (Jose Geraldo Riva,, Mauro Savi, Sérgio Ricardo de Almeida, e Luiz Márcio Pommot). Cada um deles, em suas diferentes funções, agiram cientes de que o referido Pregão Presencial objetivava o desvio de recursos públicos para pagamento de propina aos deputados estaduais nas suas mais variadas formas, como mensalinho, financiamento de companhas eleitorais, compra de votos para eleições da mesa diretora”.
No seu depoimento o ex-deputado estadual José Geraldo Riva, afirma que as licitações para a aquisição de materiais gráficos eram realizadas com o intuito de desviar recursos públicos para pagar o denominado mensalinho a parlamentares, financiar companhas eleitorais e comprar de votos para eleições da mesa diretora.

Leia Também:  Justiça pede bloqueio de R$ 29,8 milhões de Sergio Ricardo, Mauro Savi mais 4 por fraudes

Veja parte da decisão:👇

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA